31/08/2019

Aqui só se sabe criticar, dizem!

Para que não digam, como alguns ainda hoje o fazem, que só critico por criticar aqui deixo uma solução para a resposta à questão que ontem o PS Viseu levantou na sua acção de campanha no Montebelo. O mundo mudou, o interior está cada vez mais abandonado e ostracizado e ao contrário da tia loura Ana que como solução aponta para “vivermos com pouco e no interior nos contentarmos com o que temos” a alternativa é não nos resignarmos, arregaçar as mangas e seguir uma estratégia diferente daquela que nos trouxe até aqui.
Assim, antes de mais, é necessário “vender o interior, vender a região”. Para isso, há que:

1) Planear: é preciso estudar a região e analisar as possibilidades dos segmentos de empresas e indústrias que poderão ser atraídos; olhar os mercados modernos, apontar as novas tendências e de seguida decalcar para a região;

2) Infraestruturas: as empresas procuram por cidades que ofereçam a infraestrutura necessária, como tratamento de água, rede de saneamento, fibra óptica, estradas e energia eléctrica que chegam até as empresas, estação ferroviária, rodoviária e aeródromo para a capital e outros;

3) Logística: muitas empresas e indústrias escolhem aonde irão abrir suas filiais pela localização;

4) Mão de obra: caso a empresa precise de mão de obra qualificada, é preciso ver se a cidade terá pessoas que ofereçam esses serviços. Senão é preciso antecipar e procurar por parcerias com ensino superior, escolas profissionalizantes, imigração, etc;

23/08/2019

Crítica Social do Dia - Sobre a Amazónia

1- São incontáveis os suspeitos dos incêndios na floresta amazónica. Quase tantos quanto os inocentes dos incêndios de 2017 por terras lusas. Tal crime ambiental no Brasil só tem correspondência com a impunidade praticada em Portugal.

2- Mais crime ambiental é cortarem árvores para se fabricar pasta de papel, mais tarde usada para se produzir e imprimir o Diário da República, com todas as asneiras que lá vêem sendo escritas em forma de leis, muitas delas contra essas mesmas árvores.
É um sacrilégio terem de derrubar árvores para depois se escreverem as tolices que os nossos governantes dizem.

3- Por Viseu urge proteger a mata do Fontelo, cousa tão urgente quanto prevenir a desflorestamento da Amazónia. Aliás Amazónia e Fontelo são parecidas: Ambas tem índios, com um senão porém: os da primeira protegem-na, os de cá destroem-na.
Para concluir, dizer que em terras da Beira, este ano, miraculosamente ainda não tivemos incêndios como os Amazónia, mas temos Seats Ibizas que é quase a mesma coisa.

PHE

Crítica Social da Semana - Faz sentido!

A existência, ao ser temporária, não tem sentido! Estamos todos condenados. Pior, nada interessa, e assim, como Michel Foucault afirmava, a vida é um absurdo.
Revejamos pois os absurdos desta semana:

1- Governo manda ACT inspecionar Ryanair porque supostamente “estava a substituir os grevistas por trabalhadores de bases estrangeiras”.
Isto depois de, na semana passada, o próprio governo substituir os motoristas em greve por soldados e agentes da polícia.
Faz sentido...

2- O mundo chora o crime ambiental provocado por incêndios sem fim na Amazónia.
Enquanto isso, por Viseu abatem-se árvores e a Mata do Fontelo continua votada ao abandono.
Faz sentido...

3- O festival aéreo ViseuAirRace foi cancelado. Segundo a vereador da cultura, Jorge Sobrado, por não haverem patrocínios, mantendo a ambição de um dia o mercado o proporcionar.
E se Deus quiser as eleições.
Só assim fará sentido...

4- O presidente Americano quer comprar a Gronelândia.
Não faz sentido!
Mas já faria comprar Portugal. Eu vendia-lhe a minha parte. A preço de saldo. Mais desconto lhe faria se incluísse também as criaturas que nos governam.
Sem elas, não faria sentido!
Puro absurdo!

PHE

19/08/2019

Crónica Social da Semana - Lusitano FC

Finalmente foi encontrado o substituto de Seixas na Concelhia do PSD: António Loureiro. Isto a julgar pela maneira como as comadres se zangaram no jantar de aniversário do Lusitano FC.

Sem saber, AH cavou a sua sepultara e entregou de bandeja a sua sucessão ao Presidente do Lusitano, para desgosto de quem, em delírios de grandeza, ainda se julgava nessa premissa, prelados e encapotados incluídos.

Pela maneira como enfrentou o edil, António Loureiro não só está de parabéns, como também está de caminho livre para uma ascensão de sucesso. Nem duvido que o povo vai reconhecer o feito e atrevimento, transformá-lo em votos, e tomá-lo como líder, entregando-lhe a víria.

Há muito que precisávamos quem pusesse a criatura no sítio. Em sentido.
Parabéns pela atitude. Ganhou a minha simpatia, atenção e admiração. É este tipo de gente que merece que se lhes agite bandeiras e cole cartazes.

Sobrado celebrou a missa.
Mas António Loureiro não diz amém

PHE

12/08/2019

Crónica Social do dia - Absolutismo

1- Segundo a primeira página do jornal Correio da Manhã, “António Costa ameaça grevistas com prisão”. Isto num país onde a separação de poderes é nublosa. Além do péssimo serviço com que tem brindado o país no poder executivo, o Primeiro-ministro quer agora também prestar um terrível serviço no poder judicial, naquilo que poderá ser entendido como o ensaio do regresso do absolutismo a Portugal.

2- Ainda segundo a primeira página do Correio da Manha, “Polícia e GNR com ordem para não deixarem incólume violação à lei”. Isto num país onde grassa a corrupção e o nepotismo. Mas compreende-se que seja tudo mais do mesmo, com dois pesos e duas medidas: Sócrates, Salgado, Oliveira e Costa riem-se com os jerrycans atestados; Os motoristas sofrem...

PHE

27/07/2019

Viriatum Vissaium

O Santuário de Nosso Senhor Viriatum fica situado na Praça Vissaium, na freguesia de Santa Bárbara, concelho do Almeida, diocese e distrito de Viseu.
Diz a lenda que, em 1392, um parolo de 12 anos minorca de nascença, introduzindo-se por entre as fendas das muralhas, aí encontrou uma linda imagem do guerreiro, que ali teria sido escondido há mais de quinhentos anos por evangélicas fugindo a uma perseguição.
A devoção e todo o carinho que o menino dedicou à imagem, valeram-lhe especial protecção divina que por milagre lhe concedeu o dom da vereação.
Depressa se divulgou o feito, originando uma crescente afluência de peregrinos, jamais interrompida até aos dias de hoje. Promessas, pedidos de subsídios e garantias de voto são o dia a dia.
Os primeiros devotos prepararam um santuário imersivo cheio de luzinhas e bolinhas onde entronizaram a imagem, construindo ao lado uma pequena casa de banho.
Daqui partiu a devoção para os mais variados pontos do país e do mundo, chegando à concelhia laranja e ao Santo António à Lapa. No próximo mês serão mais de um milhão os visitantes do Santuário

25/07/2019

Crónica Social da Semana - Bruxas

1- Não é fácil nos dias de hoje ser-se uma árvore em Portugal. Ardem por todo o país. Por Viseu, como este ano ainda cá não houve incêndios, cortam-nas com moto-serra. Para compensar, e simular o fumo, fazem corridas de Seats Ibizas.

Lembro-me que a minha avó tinha, em cima da televisão, um daqueles galos que adivinham o tempo, que me intrigavam e irritavam imenso por nunca falharem as previsões. Deviam fazer desses brinquedos para os incêndios. Como a coisa é tão certa, era negócio garantido, para mal da Bruxa Maia, que corria o risco de ficar sem emprego.


Tal como as bruxas, também ser-se incendiário é uma profissão de sucesso em Portugal. Vale-nos que seja um trabalho temporário.

2- A Câmara concessionou os parques para automóveis da cidade por quase 5.5 milhões por 30 anos a troco de um retorno de 25%... ou seja, é menos de 1% ao ano. Estranho o estado cobrar tão pouco, tendo em consideração o que nos leva em IVA, IRS, IRC, e outros. Cobrar 0,83% se não é milagre, só pode ser mau negócio, ou bruxedo.

3- A atleta Rosa Mota visitou um militar amputado às duas pernas num acidente. Faz sentido... se foi para meter inveja, enquanto mostra as medalhas que ganhou pela rapidez com que dava às... pernas.

Dar às pernas é também o que os agora chamados Bombeiros Sapadores (é mais chique) vão ter que fazer, assim que haja uma emergência no centro da cidade, tendo em conta que o novo quartel fica no aeródromo. Vir no velhinho UMM até ao Rossio, demora uma eternidade, e se entretanto não avariar, ou cair de podre pelo caminho, quando chegar, já a emergência se extinguiu, como que por magia ou bruxedo.

5- Aguardam-se explicações oficiais do Presidente da Câmara para a demissão do Sr. Comandante da Polícia Municipal. As oficiosas já as sabemos, e são indecorosas! Faz pensar se a Bruxa Maia não precisará de exorcizar alguém.
PHE

23/07/2019

Crónica Social do Dia - Sobre os Incêndios

1- Estando mais uma vez o país a arder, logo veio o governo desculpar-se com os artefactos explosivos encontrados, e com a possibilidade de mão criminosa nos incêndios. Mais do que um problema de como os incêndios começam, temos um segundo problema de não os conseguirem apagar. O governo tenta fazer-nos crer nas responsabilidades dos primeiros. A história recente leva-me a acreditar nas incapacidades dos segundos.

Independentemente das causas dos incêndios, está a incompetência dos governantes em acabar com eles, só superada pela nossa capacidade em continuarmos a acreditar nas criaturas, nelas votarmos e com elas tirarmos selfies.

2- Ao contrário do que a propaganda do Rossio apregoa, a maior riqueza do concelho de Viseu não está no turismo. Muito menos estará no vinho. Os maiores activos de toda a região são os recursos florestais. Precisamente os mais desprezados e negligenciados. Urge que o Município crie e adopte medidas de alavancagem, incentivo, promoção e estímulo em relação à floresta, sua exploração e protecção.

3- O governo anunciou que as Forças Armadas vão destacar 20 militares (uma imensidão) e quatro máquinas de rasto para apoiarem na abertura de caminhos que facilitem o acesso de operacionais que combatem o fogo. A questão é se isso já não deveria estar feito à muito, até por uma questão de prevenção estrutural.
A fronteira entre negligência e dolo é aqui muito ténue...

PHE