11/12/2004

Roma não paga a traidores

"Viriato considerava a auto-suficiência a sua maior riqueza, a liberdade, a sua pátria, e a superioridade que lhe advinha da coragem, a sua mais segura posse." Diodoro
Em 147 a.C., alguns milhares de guerrilheiros lusitanos encontram-se cercados pelas tropas do pretor Caio Vetílio. Em princípio, trata-se apenas de mais um episódio da guerra que a República Romana trava há longos anos para se apoderar da Península Ibérica. Mas os Lusitanos, acossados pelo inimigo, elegem um dos seus, Viriato e entregam-lhe o comando supremo. Entre 147 e 139, ano em que foi assassinado, Viriato derrotou sucessivos exércitos romanos, levou à revolta grande parte dos povos ibéricos e foi o responsável pelo início da célebre Guerra de Numância. Viriato foi um verdadeiro génio militar, político e diplomático.
Todos os grandes historiadores, começando pelos romanos antigos, elogiam as grandes qualidades de Viriato. Nelas se destacam, a inteligência, o humanismo, a capacidade de liderança, e a sua grande grande visão de estratega militar e politico. A este grande homem, que liderou os antepassados dos portugueses, os Lusitanos, os romanos só conseguiram vencer recorrendo à vergonhosa traição cobarde. Este homem, tinha origens humildes, provando-se na época, tal como hoje, que as capacidades individuais não dependem do estrato social, nem das habilitações académicas.
Viriato (180 a.C. - 139 a.C.) viria a morrer assinado por três dos seus pares, Ditalcón, Audax y Minuro, seduzidos por Roma por dinheiro. Contudo, depois de Viriato morrer, os seus seguidores foram mortos ou escravizados.
Conta a lenda que, morto o herói, os assassinos ao reclamarem o prémio dos romanos receberam como resposta: «Roma não paga a traidores»!
Um ditado popular diz: "Há três categorias de homens mal agradecidos: os que calam os favores recebidos; os que cobram os favores recebidos e os que se vingam". Ditalcón, Audax y Minuro pertenciam a esta última categoria. Na GAMVIS só deviam ter cabimento os os espíritos bem formados capazes de cultivar a gratidão e a solidariedade humana! Dessa forma à dimensão fisica da GAMVIS somariamos a imensa dimensão da vida, o respeito pela pessoa humana. Estarei enganado?