15/01/2005

Sem dúvidas...



Área metropolitana de Viseu - crítica à estratégia emergente

"A criação da Área Metropolitana de Viseu, trás consigo uma alteração muito substantiva, na atribuição de um conjunto de competências, por parte da administração central – a articulação de investimentos municipais de interesse supranacional; a coordenação de actuações entre os municípios de interesse supranacional; a coordenação de actuações entre os municípios e serviços da administração central; o planeamento e gestão estratégica, económica e social; a gestão territorial dos municípios que a integram e, ainda, o estabelecimento de contratos-programa e protocolos com entidades públicas e privadas. (...)
(...) Penso, ainda, que a liderança deste processo deveria passar, sobretudo nesta fase inicial mais difícil de arranque, pela autarquia de Viseu. Não acontecendo, como tudo parece indicar, fragiliza-se e compromete-se o processo.
Azevedo Pinto in Jornal do Centro http://www.jornaldocentro.pt

Será assim? Do que não há dúvida é que foi Viseu o elemento galvanizador deste processo e se não for também mola impulsionadora... pode-se correr o risco de a criança se sentir rejeitada ou tornar-se rebelde? Ou serão estes mesmo receios infundados? Os próximos tempos o dirão!

Ainda a propósito de sites...

Mais um passeio na net e dou conta de que no da Sub-Região de Saúde de Viseu se lê:
Bem-vindos à Home-Page da Sub-Região de Saúde de Viseu. Esta página é sua! Use-a para saber tudo sobre a Saúde no seu Concelho, no seu Distrito e no seu País. Veja, consulte e interrogue sobre o que não encontrar. Criámos este site para o informar melhor, mas também para lhe permitir ajudar-nos a dar-lhe um serviço cada vez mais eficiente e de qualidade...
O serviço deve ser de tal forma eficiente que as ultimas noticias que tem dão conta da vinda de Maria de Belém Roseira a Viseu! Há coisas que, infelizmente, para o cidadão nunca mudam...

A Internet na GAMVIS

Sob o título "Penalva e Castro Daire ainda não têm sítio oficial na internet" o Jornal do Centro publica esta semana uma noticia onde dá conta da situação das Câmaras do Concelho e da GAMVIS neste campo das novas tecnologias de informação. Ver http://www.jornaldocentro.pt
Diz a noticia que "as câmaras municipais de Castro Daire e de Penalva do Castelo são as únicas do distrito e da Grande Área Metropolitana de Viseu que não têm um sítio oficial na internet. Todas as restantes autarquias já possuem um portal electrónico, onde disponibilizam as mais variadas informações."
Pois bem, resolvi dar uma navegadela na net e descobri que "os culpados" não são só aqueles! Mangualde também têm o site em construção como já aqui falei nisso (vidé artigo Aqui Perto http://gamvis.blogspot.com/2005/01/aqui-perto.html) e São João da Pesqueira também tem o site indisponivel. Além disso, a maioria dos sites não estão actualizados, 11 Concelhos não disponibilizam informação sobre Actas e/ou deliberações municipais, 9 disponilizam serviços de apoio ao munícipe online e curiosamente apenas Penedono e Cinfães dispoêm de informação noutra lingua (Inglês/Francês). Encontramos ainda sites com registo no dominio .com, sites com animações pesadissimas para quem não disponha de uma ligação de banda larga, etc. No quadro abaixo dou conta da análise efectuada aos sites e pese, a apreciação subjectiva procurei classificar o site em função do grafismo, da acessibilidade e da informação disponivel... Vale o que vale!
Mas, como de forma alguma quero tirar espaço ao outro Fernando que escreveu a noticia, deixo-lhe aqui um desafio. Ora, experimente enviar um email para as Câmaras a pedir uma qualquer informação e verá que arranja motivo para outra noticia...

Aqui ficam os links dos sites:

http://www.cm-aguiardabeira.pt/
http://www.cm-fornosdealgodres.pt/
http://www.carregal-digital.pt/
http://www.cm-gouveia.pt/
http://www.cm-seia.pt/
http://www.fish.pt/castrod
http://www.cmmangualde.pt/
http://www.cm-moimenta.pt/
http://www.cm-nelas.pt/
http://www.cm-ofrades.com/
http://www.cm-penalvadocastelo.pt/
http://www.cm-penedono.pt/
http://www.cm-santacombadao.pt/
http://www.cm-spsul.pt/
http://www.cm-satao.pt/
http://www.cm-sernancelhe.pt/
http://www.cm-tarouca.pt/
http://www.cmtondela.com/
http://www.cm-vilanovadepaiva.pt/
http://www.cm-vouzela.pt/
http://www.cm-viseu.pt/
http://www.cm-lamego.pt/
http://www.cm-resende.pt/
http://www.cm-armamar.pt/
http://www.cm-cinfaes.pt/
http://www.cm-mortagua.pt/
http://www.cm-tabuaco.espigueiro.pt/
http://www.cm-sjpesqueira.pt/

13/01/2005

O Túnel

Localizado sob a rotunda de Viriato, na estrada da circunvalação, junto à Feira de S. Mateus, o túnel rodoviário de Viriato, obra da OPCA em consórcio com a MSF e a CME, foi inaugurado dia 23 de Julho, pelo Dr. Fernando Ruas, presidente da C. M. Viseu.
Esta obra, que teve início em Janeiro de 2003, está integrada no programa de requalificação urbana ViseuPolis e consistiu na construção de um túnel de 370 metros de extensão, dos quais 240 metros são subterrâneos, com quatro faixas de rodagem e duas rampas de acesso de 65 metros cada, equipado com modernos sistemas de segurança, representando uma obra fundamental para o descongestionamento do trânsito naquela zona da cidade.
Tenho ouvido diversos comentários sobre esta obra, uns favoráveis outros nem por isso... Julgo que discutir do valor ou do interesse da obra depois dela estar feita é chover no molhado! Sejamos pragmáticos... O Túnel cumpre ou não a finalidade para o qual foi construido? Se não, qual a solução para obviar este problema?

Nunca o Viriato se imaginou andar metido nestes buracos...

Também os há na Madeira...

Ligaram-me hoje da Madeira. Não foi o John Garden como calculam, mas foi um amigo que muito estimo. E, coincidência ou não depois de ontem ter colocado aqui um post sobre a amizade! Ligou-me não a pessoa a que habitualmente chamamos amigo e cuja amizade é apenas conhecimento e familiaridade contraída por circunstância fortuita ou por qualquer interesse. Nesta ligação de amizade de que falo, há também saudade de tempos bons e maus, recordação de bons e piores momentos apesar da divergência que até numa ou noutra ocasião se manifestou. As pessoas que mais admiro são aquelas que melhor divergem da minha pessoa até porque só se diverge de outrem dentro do que nos é comum. Porque há quem nada tenha de comum connosco, nem sequer a própria existência e a mesma humanidade. Tu tens, caro Amigo! Terás sempre a minha amizade...

Não há solidão mais triste do que a do homem sem amizades. A falta de amigos faz com que o mundo pareça um deserto.
Francis Bacon

12/01/2005

Ao meu Mestre

Atento ao repto via GSM para que neste Blog sucite alguma discussão sobre temas da actualidade e enquanto aguardo pelo Clube de Jornalistas da 2 deixo aqui já uma reflexão sobre a (nossa) amizade nos tempos que correm desta cultura do Eu, do Agora e do Já ao Custo que Seja. Aqui, por estas terras de Viriato, sem a serenidade da sua presença recordo-me que me ensinou que os amigos são necessários, não só porque nos ouvem, como porque se riem connosco; me ensinou que através dos amigos conseguimos um pouco de objectividade, um pouco de modéstia, um pouco de cortesia. A geito de tributo que sei não aceitará me recordo que naqueles dias de frio inverno também me ensinou algumas das regras da vida. Consigo aprendi que se desejamos ser amados, então temos que ser modestos; se queremos ser admirados, temos também que ser orgulhosos e que se queremos as duas coisas, temos que usar externamente a modéstia e internamente o orgulho. Sim, aprendi que amigo é o que ajuda, o que permanece igual na prosperidade e no infortúnio, o que dá um bom conselho e o que tem uma simpatia real por nós! Nestes tempos globais de egoismo e inveja a nossa Amizade nasceu na Srª da Beira, ultrapassou fronteiras até Timor e passeia agora reforçando-se diáriamente do interior à Capital (ou Kapital, se quiser quando ai for). Apesar de tudo isto ainda me custa compreender essa costela verde de lagarto assumido... Mas Fernando, Amigo é assim mesmo!

Só se possuem eternamente os amigos de quem nos separamos.
Marguerite Yourcenar, in 'Sistina'

Precisam-se Homens de Carácter !!!

"...Os homens de carácter são a consciência da sociedade a que pertencem. A medida natural dessa força é a resistência às circunstâncias. Os homens impuros julgam a vida pela versão reflectida nas opiniões, nos acontecimentos e nas pessoas. Não são capazes de prever a acção até que ela se concretize. Todavia, o elemento moral da acção preexistia no autor e a sua qualidade, boa ou má, era de fácil predição. Tudo na natureza é bipolar, ou tem um pólo positivo e um pólo negativo. Há um macho e uma fêmea, um espírito e um facto, um norte e um sul. O espírito é o positivo, o facto é o negativo. A vontade é o norte, a acção é o pólo sul. O carácter pode ser classificado como tendo o seu lugar natural no norte. Distribui as correntes magnéticas do sistema. Os espíritos fracos são atraídos para o pólo sul, ou pólo negativo. Só vêem na acção o lucro, ou o prejuízo que podem encerrar. Não podem vislumbrar um princípio, a não ser que este se abrigue noutra pessoa. Não desejam ser amáveis mas amados. Os de carácter gostam de ouvir falar dos seus defeitos; aos outros aborrecem as faltas; adoram os acontecimentos; vinculam a estes um facto, uma conexão, uma certa cadeia de circunstâncias e daí não passam. O grande homem sabe que os eventos são seus servos: estes devem segui-lo. (...)
Ralph Waldo Emerson, in 'O Carácter'

A frase

Os viseenses têm direito a saber como são empregadados, empregados os dinheiros públicos!
Corrigido a tempo mas ia-lhe fugindo a boca para a verdade... Aceitam-se apostas! Dica: Foi dita a propósito de uma louvável iniciativa de beneficiação do pulmão verde da Cidade.

Levámos na boca!

A par de noticias que dão conta das dificuldades vividas no Clube Académico de Futebol, hoje morreu mais um sonho. Já estamos fora da Taça. Os tipos da terra do carrapau marcaram 3 buchas. 1-3 foi o resultado final!

11/01/2005

Que a Sorte os acompanhe!

O 2º Batalhão de Infantaria da Brigada Ligeira de Intervenção (2º BLI), sedeado no Regimento de Infantaria 14 (RI14), terminou ontem o exercício “Hermes 051”, realizado na região, que tem como objectivo preparar esta força de cerca de 300 militares para o Kosovo, local para onde será destacado a partir do próximo mês de Fevereiro.
Ler mais in Diário Regional de Viseu http://www.diarioregional.pt/2016.htm

Pacto para a Nova Centralidade

O objectivo é corrigir as actuais linhas de fractura entre o litoral e o interior, e o sistema territorial bicéfalo que, a sul e a norte, nas zonas metropolitanas de Lisboa e Porto, exerce uma enorme pressão sobre as estruturas económicas e demográficas da Região Centro."
Almeida Henriques, Presidente do CEC

Ler mais In Jornal Público http://jornal.publico.pt/2005/01/11/LocalCentro/LC10.html

Linha da Beira Alta

Desde hoje que estou "pendurado" nesta linha... Oxalá o comboio me traga de Lisboa o meu bem mais precioso e depressa!

Quando teremos estação de Caminho de Ferro em Viseu? E o TGV?

Apoio da CEE

Jovem agricultor português depois de receber os fundos da CEE

Matemática fria

Vamos a números: na divisão administrativa anterior do distrito de VISEU encontramos o número de 24 Concelhos (2002) e uma população em 2001 de 394927 habitantes, numa área de 5006,5 Km2, o que representa uma densidade populacional de 78,9 hab./Km2. A taxa de crescimento (1991/2001) era de -5%.
Na nova GAMVIS se somarmos os dados dos novos concelhos (Seia, Gouveia, Fornos Algodres e Aguiar da Beira) e descontarmos os dos "desistentes" (Mortágua, Cinfães, Resende, Lamego, Armamar, Tabuaço e São João da Pesqueira) os numeros diminuem para 354887 habitantes numa área de 4789Km2. Espera-se que na hora de "dividir o bolo" não se faça esta fria matemática!


O novo mapa

10/01/2005

O todo é mais que a soma das partes!!!

Aguiar da Beira, Carregal do Sal, Castro Daire, Fornos de Algodres, Gouveia, Mangualde, Moimenta da Beira, Nelas, Oliveira de Frades, Penalva do Castelo, Penedono, Santa Comba Dão, São Pedro do Sul, Sátão, Seia, Sernancelhe, Tarouca, Tondela, Vila Nova de Paiva, Viseu e Vouzela são os municípios fundadores da GAM de Viseu, sendo 17 do distrito do Viseu e 4 da Guarda. O presidente da Câmara de Viseu, porta-voz do município sede desta nova divisão administrativa, na altura da assinatura dos Estatutos da GAMVIS afirmou que apesar de esta ser a mais pequena das grandes àreas metropolitanas do País vai permitir que tenha uma “maior capacidade reivindicativa”. Fernando Ruas sublinhou que a GAMVIS “é um desafio e a concretização de um sonho. É o lançamento de oportunidades que nos levam a tentar fazer a aproximação com as seis áreas metropolitanas mais desenvolvidas, todas elas localizadas no litoral”. O autarca falou ainda de “um parto com um nascimento perfeito”, sendo agora possível reivindicar de forma “transparente, uma série de equipamentos, pois o interior sempre foi relegado para segundo plano”. O presidente de Viseu salientou ainda as mais valias dos municípios que integram a GAMVIS (Douro, Lafões, Dão e Serra da Estrela) como “um potencial extremamente importante, devido à diversidade impressionante de produtos endógenos” e aos produtos turísticos, “um sector extremamente importante que podemos, a partir de agora, tentar explorar”. A fase que se segue, como advertiu Fernando Ruas, é de “planificação intensa”, pois “à medida que cada um destes concelhos se vai desenvolvendo, todos nós nos desenvolvemos”. Por isso, “vale a pena apostar neste desenvolvimento colectivo” para que se “dê um salto no processo de desenvolvimento desta vasta região”. A GAMVIS tem 354.887 habitantes e uma área de 4.789 quilómetros quadrados.

O desafio de Lafões

Continuando as minhas viagens cibernéticas pela nossa GAMVIS deparei com um desafio interessante num site bem construído (http://www.cm-vouzela.pt) sobre a Princesa de Lafões:
Reza assim:
Se é visitante assíduo da nossa Homepage e gosta de Vouzela, podemos oferecer-lhe um jogo de dominó, com a nova imagem do concelho.
Para receber esta peça, deve enviar-nos um
mail, com a resposta à seguinte pergunta:
- Em que freguesias se podem admirar as três (3) Torres Medievais, de planta quadrangular?
Deverá, também, indicar o seu endereço postal para procedermos ao envio (via C.T.T.).

Uma das freguesias é Vilharigues onde existe a bonita Torre Medieval. As outras vou ver se descubro onde são... Não deixarei de agradecer uma ajuda! Vamos esgotar o stock dos dominós ao Presidente da Câmara!!!

09/01/2005

Há disto na GAMVIS...

Viseu, Espadanal... O campo e a cidade! Idílico, não acham? Paisagem de encher a alma, as ovelhas no campo! Pois, e logo ao lado o lixo do progresso... Porquê esta falta de cuidado? Ninguém fiscaliza isto?

Bilhete Postal

Reparem bem no cheirinho que sai deste cartão... Coisa linda esta, hem?

Aqui perto!

MANGUALDE, é um dos concelhos da GAMVIS. Tem uma área de 219,0 km2, 20 933 habitantes e 18 freguesias, é ainda um dos 24 municípios do distrito deViseu. Rodeado por vinhedos e pomares entre os rios Dão e Mondego, a pequena cidade de Mangualde encontra-se inserida no perímetro da Serra da Estrela. Em Mangualde, encontra a residência nobre do século XVIII, Palácio dos Condes de Anadia, proeminentemente situada na rua principal. Com a sua fachada barroca de cor-de-rosa imponente, o palácio encontra-se entre os edifícios mais distintos no nosso País. E, ainda tem paisagens tão bonitas como esta da Srª do Castelo, que consigo ver da minha janela!!! Mas, o site da Câmara está muito timido! Será do frio? http://www.cmmangualde.pt/

Por ali passavam pessoas, coisas e ... as ideias

Leio que Viseu nasceu de um cruzamento de estradas romanas. Uns historiadores falam em seis e alguns há que falam em cerca de uma dúzia. Mas para local de que se desconhece o nome, não serão estradas a mais? É certo é que em Viseu se construiu a Cava de Viriato, aquela enorme fortificação romana mas justificaria ela a dúzia de estradas? Ou, como alguém pretendeu, seria a sua função o vigiar esse cruzamento?