26/03/2005

A ver acontecer...

Confesso que ultimamente tenho mesmo aprendido muito com o meu Chefe. Mais que um lider têm sido quase um mestre espiritual e digo-vos isto apenas a propósito duma ideia que há dias me deixou que é deliciosa:
Dizia-me ele:
Há pessoas que fazem acontecer, há outras que vêm acontecer e ainda existem os que perguntam o que é que aconteceu!? Não é profunda? E, nós em que grupo estamos hoje?

Sabiam que...

O título Duque de Viseu foi criado pelo rei João I de Portugal em 1415, a favor do seu terceiro filho Henrique, o Navegador. Juntamente com Coimbra, criado na mesma altura, é o mais antigo ducado do país.

25/03/2005

Vida…um rodapé da morte…

Um blog não deve ser um diário e ainda hesitei em publicar estas linhas! Mas tenho deixado aqui também algum sentimento além de que pela palavra se liberta a dor. E, este nó na garganta obriga-me a recordar aqui o amigo que hoje faleceu e a deixar-lhe uma última palavra.
Carlos Costa, partis-te de repente, sem aviso, quando tudo pareciar estar melhor, deste a mão à Morte e disseste não à dor. Não vou invocar justificações, nem tão pouco me vou virar para os Deuses e reclamar sobre a sua injustiça. Conheci a tua alegria de viver, o tanto e o muito que deste ao desporto, ao associativismo e ao futebol. A tua desistência era a última coisa que esperava. Só compreendo que tenhas aceitado a morte para te livrares de vez desse maldito cancro que te minava diáriamente. Descansa agora em Paz.
...Adeus Carlos Costa, vais estar sempre comigo, até um dia destes… Com saudade eterna, o teu amigo!

A ler

Já fiz render o tempo nestes meus dias de lazer... Devorei o livro do José Gil e garanto-vos que vale a pena ler... Ali se fala das "Invejas" (e os correspondentes corporativismos...) e do "Poder seco" que comanda tudo na máquina societária lusa!... "A inveja é mais do que um sentimento. É um sistema. E não é apenas individual: criam-se grupos de inveja" diz José Gil e neste campo sou levado a concordar com ele. O Sistema da Inveja constitui, de facto, toda uma sistemática psico-social, generalizada e estrutural na sociedade portuguesa. E, na verdade, temos de convir que ela vem de longe, na História nacional; pode ser, entretanto, perfeitamente identificada e caracterizada nas suas origens; até se pode explicar perfeitamente, em termos psico-sócio-antropológicos. Mas, ao mesmo tempo, deixem que vos diga que acho frustrante afirmar-se que somos uma sociedade suavemente paranóica!... Se calhar, somos!

Portugal: País da Não Inscrição

24/03/2005

Túnel é coisa fina

Cansados de fazer buracos por tudo o que é local parece ter chegado aos nossos autarcas a moda dos túneis... Ter um túnel significa que a Cidade está no caminho certo do progresso! Sem túnel o que nos diferenciava de Aveiro por exemplo? A parceria estreita que a Universidade tem com a industria local? Que importância tem isso? Um túnel é... o que está a dar!
Deixando agora de lado a ironia, gostava de lançar a discussão sobre o nosso Túnel. Sentem a sua utilidade? Acham que cumpre a finalidade com que foi pensado? O trânsito naquela zona da cidade está mais fluido ou ficou mais dificil? E, que efeitos terá por ocasião da Feira de S. Mateus e do efectivo funcionamento do Fórum?
Não tenho respostas a estas questões mas deixem que deixe aqui uma dica sobre o que o nosso túnel devia ter a funcionar e ainda não tem (aliás, acho que em Portugal nenhum tem???). Devia ter indicação sobre a estação rádio que deviamos sintonizar dentro do túnel. Já se imaginaram bloqueados por alguma razão num túnel? E, imaginem o pânico que a falta de informação pode gerar nestas áreas... Umas antenas interiores, a ligação a uma rádio que em caso de problemas no túnel informa imediatamente os condutores do que se está a passar e dá instruções sobre como devem agir poderá minimizar muitos problemas. Fácil, não é?

O Túnel de Viriato é pequeno mas mais vale prevenir que remediar

Ainda há disto...

Pois é, não esperem muitos posts estas dias... Tirei uns dias de férias (com tanto que é preciso fazer neste nosso País até parece mal dizer isto!!!), mas a principal razão é que a ligação por estas terras é de, imaginem!!! 38,6 Kbps... E, duvido que o "choque tecnológico" entretanto se faça sentir!

Importa-se de repetir?

"O que mais me sensibilizou foi o contacto humano, o enriquecimento que tive nesse campo..." Há falta de espelhos na Alberto Sampaio?

Ainda sobre as Portas

Um dos leitores assume a frustação, que também é minha, dos comentários terem desaparecido. A tecnologia às vezes tem destas coisas! E, tinha lançado alguma discussão sobre as 7 Portas da nossa Cidade. Para que esses tempos de infância lhe venham à memória aqui vai uma ajudinha... Esta é uma das Portas da Cidade de Viseu! Digam lá que não é bonita...

Porta dos Cavaleiros

23/03/2005

Ainda se lembram?

Mas poupem na água...

Outra vez?

Há nuvens negras no céu da cidade... e não são só de chuva! Essas até são desejadas... As outras a que me refiro vêm no Público de hoje e nem sequer vou comentar pois já aqui noutro post disse o que penso disso! Por vezes e por alguns Viseu teima em ser conhecida e falada pelas piores razões... Comportamentos mesquinhos de gente tacanha!

Mais uma vez e pelas piores razões...

Por cá também há Primavera

A Primavera dos viseenses vai ser recheada de cultura graças ao Teatro Viriato, que projectou um programa variado e ambicioso. Por cá vamos ter o Festival Internacional de Marionetas, o Formas Animadas, o projecto Mariposas e Outros Trajectos, de Abril a Julho. A música e a dança são as principais apostas na programação de sala. Entre 7 e 14 de Maio, vários espectáculos, workshops, ateliers, sessões de leitura e animação de espaços irão animar ruas, parques, associações e escolas da cidade. O Ballet Gulbenkian regressa também ao Teatro Viriato com O Canto do Cisne. Boa Primavera esta que o Miguel Honrado nos traz. A não perder!

22/03/2005

Spring and Easter has come to Kosovo

When you walk around in Film City, where I stay, these days in the week before Easter you meet people who are glad for the warm and sunny weather that we finally have got. When we come out in the morning we are met by the light from the sun, the birds which sing and the warm freshness in the air. No wonder that we feel in better mood.
Many who have been here over the winter has experienced that Kosovo can be dark, cold and snowy. We are glad to leave that behind us now...
Oxalá os nossos Soldados Tugas assim se sintam nesta Páscoa que se aproxima! Daqui de Viseu de onde saíram no cumprimento duma honrosa missão a mando de Portugal ficam os nossos votos de uma Páscoa Feliz e que o sol e a Primavera os acompanhem dia a dia... E a Sorte também!

A neve derrete... e oxalá o ódio também desapareça do coração dos kosovares!

Da interioridade

Diz-me um amigo no seu email, depois de confessar o seu amor a Viseu, sentimento comum nos leitores do blog (espero eu!) que a "interioridade é ainda em Viseu e infelizmente um handicap forte, que não tem permitido tirar todo o partido possível do progresso que apesar de tudo é assinalável".
Pegando nessa afirmação é fácil afirmar que, apesar do evidente progresso, inúmeras dificuldades continuam a colocar-se na nossa região em matéria de atracção de investimentos, de reconversão e diversificação do tecido produtivo, de criação de emprego capaz de fixar as populações mais jovens, de aproveitamento de recursos naturais e ambientais, de defesa e promoção do seu património arquitectónico, e de tantos outros aspectos que, dia a dia, se repercutem, por vezes de forma bem negativa, na vida de cada um dos viseenses e beirões.
Na política de desenvolvimento seguida encontramos de tudo: florestas de produção, vulgo, eucaliptos e discursos inflamados, campos de golfe e miragens, turismo na serra e incêndios na montanha, zonas industriais desertas e multinacionais enquistadas e incertas numa qualquer área, Politécnicos e universidades com muitos alunos e poucas oportunidades de emprego, e outras tantas quantas situações se poderiam pôr nesta lista de realidades, dúvidas, esperanças, provocações, falhanços e sucessos. E também neste cenário encontramos muitos municípios e autarcas mediáticos a desmultiplicarem o seu protagonismo e a sua acção em prol do desenvolvimento: infra-estruturas, equipamentos, acessibilidades, loteamentos industriais, mercados, centros de saúde, bombeiros, escolas, centros históricos, organização de eventos, casas da cultura, bibliotecas, polidesportivos, piscinas, centrais de camionagem, lares de idosos, mas também excesso de Câmara Municipal-Estado-Providência, subsidiodependência, política assistencialista, e descoordenação de um aparelho estatal demasiado centralizado, hierárquico e sectorializado, e demasiado frágil ao nível local.
De facto, muitas cidades de pequena e média dimensão como a nossa aumentaram a oferta de emprego nas instituições públicas, no pequeno comércio e na construção civil e obras públicas e o ensino médio e superior têm constituído fortes atractores de uma população jovem, embora flutuante, mas mantêm como principal problema o emprego pós-diploma, por exemplo. A não resolução desta questão da criação de emprego e doutras que tenham a ver a iniciativa empresarial e investimento, com a gestão dos recursos naturais e ambientais, com a defesa e promoção do património histórico, turistico, cultural e arquitectónico transforma o nosso aglomerado urbano numa espécie de plataforma giratória, ou centrifugadora, de futuro incerto.
Pensar o Interior e acabar com a "interioridade" implica a criação de regiões que tenham o apoio nacional e comunitário que o seu desenvolvimento exige (naquelas questões) e aqui a GAMVIS terá papel primordial. A não ser assim, o amigo Pina verá por muitos anos ser uma verdade inquestionável a sua afirmação, para mal dos nossos pecados... e da nossa interioridade!

Fia-te na Virgem...

Título do DRegional (22Mar): Autarca mantém confiança na criação da Universidade Pública!
Será? Ou vai tudo começar de novo?

Lá voltamos ao mesmo... Estudos e mais estudos!

Quem não sabe...

Pois é, meus amigos! Quem sabe, sabe. Quem não sabe, inventa... Foi o que me aconteceu com este nosso espaço de diálogo. Não sabia que o enetation (link que usei para os comentários) dava alguns erros e zás... lá se foram os vossos desejados e simpáticos comentários. Não os consegui recuperar e por isso aqui me penitencio! Uso agora um novo formato que espero se mantenha mais seguro... Agora, para o testarmos, toca a clicar e mandem aí umas bocas!

21/03/2005

Choque eléctrico

O Presidente da AIRV, Luís Paiva, diz que o cenário está "negro" para as empresas da região com o aumento da electricidade previsto para o próximo mês. Os preços da electricidade para os clientes industriais vão aumentar de novo a partir de 1 de Abril entre os 5,59 e 9,82 por cento.
O presidente da Associação Empresarial de Viseu (ASIRV) vê esta decisão como forma de ajudar a caminhar a região para «um cenário nada agradável».
O cenário traçado pelo empresário é negro, já que afirma que na região «a indústria não vão conseguir sobreviver». «Temos que saber o que querem para a região, se uma região industrializada ou só de serviços», frisou o presidente da AIRV.
Concordo consigo, Eng Paiva, acho que nos querem mesmo pôr às escuras... Alguém anda às apalpadelas por aí!...

Precisa-se energia alternativa... e fora do quintal!

Continuam as boas noticias por cá

Ao que consta esta semana a lixeira vai definitivamente ser retirada da Av. Alberto Sampaio. Com um misto de satisfação e tristeza vejo isto acontecer. Com alegria porque finalmente desaparece da nossa urbe esta sinistra e ignóbil miséria e com tristeza porque a porcaria vai voltar à bela zona da bacia do Vouga, entre o Caramulo e o maciço da Gralheira, que assim vai ficar conspurcada.

Organizem-se, porra!

Este fim de semana foi de novo, trágico para a PSP. A par de mudanças no comportamento social e de novas formas e patamares mais elevados de violência o Comando da PSP parece dar sinais de nada fazer para alterar este estado de coisas. Também não me admira que apenas apareçam os sindicalistas a pôr pior o que já está mau. Civilizaram tanto as forças de segurança, apostaram tanto no policiamento de proximidade e chavões semelhantes que os resultados começam a ter efeitos desastrosos até para o pessoal, infelizmente. Sem que nestes ultimos anos os Governos pratiquem uma cultura de segurança, sem um Comando orientador e formador da força (o Director Nacional é um aposentado por razões do foro psicológico, imagine-se!) com a sociedade a ser cada vez mais violenta e os "desbocados e abstuntas" dos sindicalistas a lançarem achas para a fogueira, entristece-me mas não me surpreende que aconteçam azares como os que aconteceram na Amadora. Será que o responsável é apenas o criminoso que disparou contra a patrulha? E, quem deu a ordem? Planeou, avaliou os riscos, instruiu a força, deu-lhe os meios para a missão? Ao esconderem-se atrás da incompetência deixam que os OCS dêm voz aos sindicatos que apenas fazem com que o sentimento de insegurança dos cidadãos aumente e que os delinquentes acreditem na a ideia de impunidade. Porque é que não se unem mas é numa perseguição e punição exemplar do criminoso? Não resolveriam os problemas dos que infelizmente e valorosamente se foram no cumprimento do dever mas criariam melhores condições para os demais e para a sociedade.
Não duvido também que seja necessário melhorar as condições de trabalho, o estatuto remuneratório e os meios da PSP mas "um fraco chefe faz fraca a forte gente"! Sem liderança, sem comando eficaz de pouco servirão os meios. Sem meios não chegará o apelo ao sentido do dever. Do que não tenho dúvida nenhuma é que os criminosos levam a sua actividade a sério! Para azar da PSP mas também para nosso mal...

Oh tão lindos...

20/03/2005

Efeito do fim de semana

O fim de semana tem este efeito...Perde-se o contacto com o mundo e com os amigos! Nota-se no blog até pelo menor número de visitas! Até o gráfico murcha... E, não há solução para vos manter ligados! Será que colocar fotos porno resultará?

Mais um fim de semana em que o gráfico murchará

Lá por fora

Este fim de semana o Tiago Monteiro voltou a conseguir acabar a sua segunda participação em Grandes Prémios. Desta vez na Malásia ficou em 12º, penúltimo lugar, mas o rapaz promete... Para já o que importa é que a nossa bandeira também anda por este mundo da velocidade! Força Tiago! Aplica-te a conduzir essas máquinas da F1.

O Tiago Portuga conduz "bombas" destas... São de perder a cabeça