11/06/2005

Programa de fim de semana

O melhor que as freguesias têm para mostrar está exposto, desde ontem, no Parque Aquilino Ribeiro. É a quinta edição da Festa das Freguesias, que se prolonga até amanhã. Em stands montados no interior do parque da cidade, o rico património histórico-cultural de cada uma das 34 freguesias do concelho de Viseu, expõem-se aos olhares dos visitantes. Pode apreciar-se desde a variedade de produtos agrícolas, ao artesanato, à produção de enchidos ou à mais-valia industrial, comercial e tecnológica das freguesias do nosso Concelho. Vou passar por lá a ver!

10/06/2005

Assim é dificil

Quando vi a noticia fiquei um pouco céptico ao ler que Petit, Deco e outros tantos craques vinham dar uma ajudinha na miséria financeira do CAF. Os jogadores não recebem há 5 meses, a empregada da lavandaria nem se lembra dos meses em atraso, o capital social da SAD já ardeu há muito, o Clube vive com uma Comissão Administrativa, enfim...! O preto é a cor do Clube e negro é o seu futuro. E, pasmo em ver "empresários" serem homenageados pela "ajuda" que deram ao Clube! Patético mesmo, se não fosse pensar nos jovens que ali praticam desporto de formação. Mas afinal as estrelas depois de terem viajado da Estónia na noite anterior sempre marcaram presença no estádio solidarizando-se assim com o CAF e com os colegas de profissão. Quem se alheou de tudo isto afinal foi o público deixando o estádio a 1/3 da lotação.

Movimento de Independentes

O Jornal do Centro dá-nos conta de uma iniciativa interessante na Cidade. O aparecimento de um grupo de pessoas apartidárias que se propõe "pensar e debater a Cidade e Concelho nos próximos anos", aproveitando "o momento mais atento e mais dinâmico" que se vive. Há de facto situações que devem merecer na cidade a atenção e a participação activa dos viseenses e por isso fico com bastante expectativa a aguardar pelos "debates públicos, tertúlias e discussões, de forma a incentivar os cidadãos de Viseu a participarem na construção do próprio projecto". É certo que movimentos deste tipo já têm surgido e marcam existência na cidade, como é o caso do PROVISEU mas cedo perdem a força da aceleração inicial e a capacidade de intervenção social... Espero que assim não seja, que as pessoas em causa que, para já se desconhecem, sejam motor desta discussão participada sobre a cidade e que não seja apenas uma máquina para catapultar "alguém" para uma candidatura encapotada à Câmara! Para já, a iniciativa merece aplauso...

Vão e... fiquem por lá

Desencantados com o país e em protesto contra o actual quadro político, económico e social, meia centena de motards de Viseu "fugiram" para Espanha para não terem que passar o 10 de Junho, Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades, em território nacional. "D. Afonso Henriques nunca se devia ter desentendido com a mãe. Hoje, de certeza, estaríamos melhor", diz o organizador. "Eu não me importava nada se os espanhóis anexassem Portugal e passássemos a ser uma província espanhola, nada mesmo", diz, em tom irónico, um dos participantes na entrevista ao JN.
E esta? Também sou motard mas moto minha não participa em cenas destas... Porque é que não ficam por lá? Se desprezam tanto o nosso Portugal porque não se nacionalizam espanhois? Só me sai disto... Ah, Viseu estás a perder qualidades!

08/06/2005

Cartão de visita

As entradas principais da nossa cidade continuam a apresentar como cartão de visita uma miséria social. A prostituição de rua não se esconde, revela-se com toda a sua degradação a quem chega à cidade... e ninguém parece estar preocupado com esta "chaga". A cidade e quem ali anda mereciam melhor sorte! Enfeitam-se as rotundas porque se quer dar uma boa imagem da cidade e ali ao lado a negra e mortal realidade da SIDA...

A SIDA numa campanha em França... em Viseu tudo como dantes!

Outra vez no Top das misérias

A região de Viseu registou nos primeiros cinco meses deste ano o maior número de incêndios florestais com uma área ardida igual ou superior a um hectare comparado com os restantes distritos do país. Segundo o relatório da Direcção-Geral de Recursos Florestais, que analisa o período entre 1 de Janeiro e 29 de Maio, verificaram-se em Viseu 340 fogos florestais. Seguem-se Braga, com 284 fogos e Vila Real com 258, num total de 2.095 incêndios florestais.
É urgente acabar com este problema... Temos todos que fazer algo pelas nossas florestas. È lá que está o ar que precisamos para respirar...

O de Mangualde ontem começou assim... Vi da minha varanda e avisei os Bombeiros, mas prefiria não ter esta foto! A noite foi de pânico para muita gente e a região está mais pobre.

Para desanuviar

Numa empresa portuguesa, por causa das fotocópias, foi emitida a seguinte circular:
Caros Colegas:
Pede-se encarecidamente ao pessoal da Empresa, que no momento de solicitar fotocópias ao colega da REPROGRAFIA, Srº João o façam de uma forma clara e objectiva, completando as frases que escreverem.
Acontece que os "post it" juntos aos documentos por fotocopiar, e os pedidos escritos, têm causado problemas ao nosso colega de trabalho que nos faz o favor de tirar as cópias, chegando ao extremo de criar problemas conjugais. Como exemplo, citamos algumas notas de "post it" encontradas nos bolsos do nosso colega pela sua esposa.
- Por favor, João, depressa!...depressa!...Lindo!
- João, faz-me como o fizeste da outra vez!
- João, dá-me duas, rapidinho!
- João, pelos dois lados... e presta atenção que por trás tem que ficar tudo.
- Por favor, João, primeiro a mim, que estou aflita.
- Quando tirares, faz com que se veja o melhor possível.
- Pode ser sem pressa, mas que fique bem feito!
- João, urgente! Podes meter-me no meio sem que ninguém perceba e fazer rapidinho?
- João, pode ser pela frente e por trás. Se não conseguires, dá-me duas separadas.
- Então, João, quando é que me fazes o trabalhinho? Estou a ficar aflita.
Percebem agora a GRAVE situação que se encontra o nosso colega??? E agora imaginem o estado em que se encontra a sua ESPOSA e com razão.


Cuidado com as fotocópias... Os programas dos anos anteriores da Feira de S. Mateus são exemplo de como fotocopiar nem sempre é boa ideia!

Habitação social

Já aqui há dias o tinha anotado positivamente. Mas para que não se pense que aqui só se faz critica fácil também se repete o que de bom vai acontecendo na Cidade e cerca de 4,3 milhões de euros que vão ser investidos na requalificação e construção de habitação social em Viseu até 2009 é um facto que registo, independentemente de estarmos em ano de eleições ou não. Quem ganha são os moradores e os viseenses com menores condições económicas. Já é pois certo e a Câmara de Viseu e o Instituto Nacional de Habitação (INH) assinaram, ontem, um acordo de cooperação, no âmbito do programa Prohabita, que vai viabilizar a reabilitação de 195 casas degradadas nos bairros sociais da Balsa, Paradinha, Fundação Salazar, 1º de Maio e Marzovelos. O acordo inclui, ainda, a construção de 67 fogos, de raiz, no Bairro 1º de Maio (para realojar os actuais inquilinos), e a construção de três fogos num edifício na Rua Nossa Senhora da Piedade, no centro histórico.

Andas mesmo a pedi-las

O ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Mariano Gago, reiterou hoje que não vai ser construída uma universidade em Viseu.
"Durante legislatura não será criada mais nenhuma universidade, mais nenhuma escola superior", afirmou Mariano Gago no dia em que se reúne com o presidente da Câmara Municipal de Viseu, Fernando Ruas.
Lisboa, 08 Jun (LusaRádio)

07/06/2005

Umas vezes a pé, outras de carro...

A Câmara de Viseu recuou na ideia de manter totalmente pedonal - à excepção dos veículos prioritários e transportes públicos - a Praça de Viriato. Depois do protesto de moradores e comerciantes da Avenida Emídio Navarro contra as condicionantes impostas à circulação de veículos ligeiros, que estavam a "prejudicar gravemente o comércio tradicional", a autarquia deu-lhes razão. A circulação nos dois sentidos, entre as avenidas da Bélgica e Emídio Navarro, regressará, nos próximos meses. "Vamos criar uma pequena rotunda, imaterial, junto ao Café Paris, e ficaremos com aquela via aberta ao trânsito enquanto tal se justificar", explicou Américo Nunes ao JN. O processo foi já remetido à Sociedade Viseu Polis, uma vez que a decisão de abrir o trânsito nos dois sentidos, entre as Avenidas da Bélgica e Emídio Navarro, irá implicar o alargamento daquela via. "Agora que vamos ter os veículos eléctricos (Gulliver) e vamos começar a construir o funicular até ao Largo da Sé, precisávamos daquela estrada funcional. Mas a praça não perderá a característica pedonal", concluiu o vice-presidente da autarquia.
Bem, a inutilização desta via cortou no meu entender uma das linhas de comunicação que atravessava a cidade e prejudicava claramente o trânsito nesta zona norte citadina. Depois dos protestos dos comerciantes e não só a via foi aberta num sentido apenas e agora (quando se justificar??) nos dois sentidos através duma rotunda (mais uma, mas esta é imaterial??). Mas, deixem-me perguntar: o Viseu Polis não fez estudos de trânsito antes da construção da Praça? Se precisavam da via pela razão da funicular e dos Gulliver porquê agora a necessidade de obras de rectificação? O Túnel de Viriato não tinha por finalidade evitar o trânsito por cima da Praça? Ou muito me engano ou não tarda nada e este túnel estará reduzido a outra finalidade - mictório da Feira de S. Mateus!

Planeamento a "pedido" e avulso é o que vejo daqui do alto...

Ainda o défice

Aqui vai, tal e qual o recebi. A ser verdade, bem prega Frei Tomás:
Estando nós habituados a ver o Dr. Vitor Constâncio a defender, dia sim dia não, a contenção da massa salarial, em especial a dos funcionários públicos, e tendo sido que o Governo decidiu que os assalariados que auferem de salário mínimo só podem ter aumentos equivalentes a uma bica por dia de trabalho efectivo, não deixou de ser uma feliz coincidência saber que os administradores do Banco de Portugal também apertam o cinto.
Pois, apertam o cinto de viaturas novinhas em folha: o governador, Vítor Constâncio, teve direito a um BMW 530 D, no valor de 67400 euros (13400 contos). Para dois administradores foram um Saab Sport Sedam 2.2, no valor de 37 mil euros (7400 contos) e um Volvo V40 1.9D, de 36730 euros(7363 contos). E para que o motorista do Dr. Vitor Constâncio não se sentisse diminuído também levou um Peugeot 206 color line.
No Banco de Portugal existem 56 viaturas atribuídas para 1794 funcionários, o que dá um carrinho por cada 32 almas. O mesmo rácio aplicado à DGCI implicaria que esta disporia de um parque com nada menos que com 406 viaturas, o que agora dava um jeitão para cumprir as últimas ordens do senhor ministro e ir a correr atrás de todos os que devem impostos a ver se davam um remendinho no buraco orçamental. E se aplicado aos 700.000 funcionários públicos isso implicaria que o Estado deveria ter qualquer coisa como 21.875 viaturas, o que dava ocupação à Ford Europa por uns tempinhos.
Ao que parece, o Banco de Portugal dá o exemplo de uma forma original: quem parte e reparte e não fica com a melhor parte ou é estúpido ou não tem arte.

Na net

No espaço de votação online do Noticias de Viseu os números vão aumentado devagarinho mas a tendência mantêm-se:
Quais são as maiores carências de Viseu?
Qualidade do Ensino: 6.85%

Acessibilidades: 17.81%
Centros de Saúde: 10.96%
Emprego: 58.90%
Outras carências: 5.48%

Mais um candidato

Carlos Vieira é o candidato do Bloco de Esquerda (BE) à Câmara Municipal de Viseu, nas Eleições Autárquicas de Outubro deste ano, e Maria da Graça Pinto encabeça a lista para a Assembelia Municipal. Um dos compromissos assumidos por Carlos Vieira é o de lutar contra «o crescimento desordenado da cidade e afirma que Viseu tem crescido «somente em betão» e não «em espaços verdes», tornando-se numa urbe «onde as crianças e os idosos não têm lugar», sem falar das pessoas portadoras de deficiência e do facto de o seu crescimento ter sido feito «à custa da desertificação das aldeias».

06/06/2005

Ao alcance da ficha eléctrica

Viseu é uma das 13 cidades, a nível nacional, escolhidas pela EDP para testar a utilização de uma nova tecnologia, através da qual será possível aceder a serviços de voz e à Internet de banda larga, utilizando a infra-estrutura da rede eléctrica actualmente instalada. A nova tecnologia, designada "PLC - Powerline Communications", permitirá navegar na banda larga, recorrendo a uma simples ficha de electricidade. O projecto foi recentemente apresentado pela EDP à Associação Nacional de Municípios Portugueses e deverá arrancar ainda este ano. Oxalá chegue a todos e a custos mais baixos.

1,2,3 diga lá... outra vez!

Digo bastardos para não ter que lhes chamar filhos da puta... que aproveitaram este ensejo para desabafar o ódio que têm sobre a minha pessoa!

Uma ideia por Viseu

Na blogosfera local apareceu mais um espaço de debate sobre Viseu. Os jornais do fim de semana já davam conta que os jovens "laranjinhas" tinham lançado uma "ideia por Viseu" (http://umaideiaporviseu.blogspot.com/) mas para já, a ideia que fica é que ainda não lavaram a roupa suja toda, pelo menos a julgar pelas criticas no artigo com o título "Vereador da Juventude procura-se (pelo menos um verdadeiro) onde o autor afirma esperar para esta área "uma pessoa com verdadeiro espírito jovem e não como o actual que parece ter 70 anos, pelo menos de cabeça e mentalidade"! Com ideias destas e amigos assim... "hadem ir longe, hadem"!

Restos da festa...

Na Malveira... Ele há cada maluco!

Lá por fora

Ainda hesitei em dar-vos a conhecer esta "loucura"! Com a frenética onda que anda na cidade de fazerem rotundas em que tudo que é sítio... se alguém apanha a ideia...!

Já estamos perto das 100... a seguir é o Guiness

O Blog também é vosso... sempre!

O pessoal anda atento... e é de justiça fazer aqui umas correcções:
1. Afinal o Tomás Ribeiro gastou mais do que julgava para se "enfeitar". Foram 124.000,00 notas.
2. O Ministro da Saúde e de Torredeita é candidato à Assembleia Municipal pelo PS.
3. Os Pavões não estão só no Fontelo. (http://bemaberto.blogspot.com)

05/06/2005

Dia Mundial do Ambiente

Chegámos ao novo milénio, mas os problemas ambientais que enfrentamos são-nos aflitivamente familiares, atravessam gerações e agravam-se ano após ano. Apesar da Cimeira da Terra, do Protocolo de Montreal e de tantas outras iniciativas os seres humanos continuam a espoliar o ambiente mundial. Algumas práticas insustentáveis permanecem profundamente enraízadas na nossa vida quotidiana. Não estamos a conseguir proteger os recursos e os ecossistemas. E, pior ainda, ao fim e ao cabo não estamos a proteger a nossa geração, não estamos a proteger os nossos filhos... É tempo de agir!
Por cá, vale a pena ler o artigo do Pedro Baila Antunes no Jornal do Centro deste fim de semana sobre o Ambiente no Concelho de Viseu com o título "Penso (verbo e substantivo) sobre a Minha Cidade" (http://www.jornaldocentro.pt/).

Sobre o Pavia diz o artigo que "há 16 anos e alguns milhares de euros que a coisa cheira mal"

Uma dúvida

Face à necessidade de redução da despesa pública, alguém me explica para que servem hoje os Governos da República dos Açores e Madeira e os Governos Civis do Continente?

10 Junho a negro?

Acabei de receber um email apelando a colocar uma bandeira negra à janela no dia 10 de Junho. Da maneira que este nosso rectângulo anda, até que me apetecia fazê-lo mas não... Julgo que existem muitas outras formas de intervirmos socialmente, de denunciarmos as injustiças, de protestarmos perante a má governação! É um dever de cidadania anunciarmos aos 4 ventos a incompetência ou a corrupção dos politicos que nos governam, sejam eles quais forem... só assim a democracia funcionará melhor. Mas a ideia do negro assusta-me. Faz-me lembrar o luto, o obscurantismo, mais corrupção e por isso, apesar de tanta miséria, de tanta má gestão politica, de tanto apertão de cinto... ainda quero continuar a acreditar que é possivel fazer desta nação um espaço melhor de cidadania, de qualidade de vida e de democracia. Desde o nosso Viriato até hoje, muitos portugueses por aquém e além mar têm lutado por um País melhor e se não soubermos lembrar a história e ter esperança no futuro, então negro será mesmo o nosso presente e nem precisaremos de pôr a bandeira preta na janela - ela já estará no nosso pensamento. Por isso, sem a escuridão do negro, no próximo dia 10 de Junho eu celebrarei o País que amo - o meu Portugal!