29/10/2005

A coisa promete

Todos nós nos apercebamos que a cidade política não está bem. Não é para fazermos deles uns bodes expiatórios, porque todos nós temos culpa nessa situação. As instituições de formação, por ventura, não se terão preocupado devidamente com a formação dos nossos dirigentes políticos. E porque é que coloquei pessoalmente o enfoque nessa mediocratização que se verifica? Porque, num certo aventureirismo, toda a gente está preparada para tudo, quando na realidade não o está. Efectivamente os políticos são pessoas das decisões e não é indiferente a uma boa ou má decisão a qualidade da própria formação da cultura profunda que deveria haver para fundamentar devidamente as decisões que se tomam.
Dr Fernando Paulo in Jornal do Centro sobre a realização das IV Conferências de Epistemologia e Filosofia (de 10 a 12 de Novembro), do Instituto Piaget

Morte precoce? Morte anunciada!

Viseu trocou um Clube por uma equipa... Até aqui os movimentos já são outros! Pois, claro!

Melhor que isto é impossivel

Afinal, em que ficamos? Jogam uns, são classificados os outros! Aqui, reina alguma confusão!
RESULTADOS (4.ª Jornada)
(...)
AC. Viseu - Campia.......... 0- 0
(...)
CLASSIFICAÇÃO J V E D GM
(...)
Farminhão............ 4 1 1 2 2- 3 4
(...)
PRÓXIMA JORNADA (6/11)
Sp. Santar - Moimenta Beira; Vouzelenses - Mortágua FC; Sp. Lamego - Farminhão; Campia - UD Sampedrense; Lusitano FC - Ol. Frades; Santacombadense - Atlético Molelos; GD Mangualde - Sp. Paivense; Lamelas - Ol. Douro
O Académico de Viseu deve folgar nesta jornada! Será?

Z, S ou J?

Descobri aqui um artigo engraçado sobre a etimologia de VISEU. Em baixo deixo um cheirinho da discussão entre Vizeu, Viseu ou Vijeu!

Alecrim que, aliás é
Mestre na especialidade,
Sustenta, não sei porquê
Que o nome desta cidade
Se deve escrever com Z.

Mangerôna que parece
Saber, por egual, da póda
Mostra, ao contrario, interesse
Em fazer vingar a moda
De escrever Viseu - com S.
(...)
Eu, se o Congresso Beirão
Quizer descalçar a bota,
Lembro-lhe esta solução
A meu vêr tão patriota
Como cheia de rasão:
Voltar ao Vijeu com Jota
Reatar a tradição...

28/10/2005

Péssimos sinais exteriores

O Presidente do Irão afirmou que, tal "como proclamara o imã (Khomeiny), Israel deve ser riscado do mapa" e que "A nação muçulmana não permitirá que o inimigo histórico viva no seu próprio coração". Para Mahmud Ahmadinejad a "nova onda de ataques na Palestina e a agitação no mundo árabe servirão para varrer este estigma da face do mundo islâmico".
Fonte: LUSA

Salve-se, ao menos, o desabafo: que país sem vergonha!

"Dei uma lição ao país!", exclamou ela, triunfante, na noite de 9 de Outubro. E deu mesmo. A lição foi esta: o único crime que não se perdoa é o da falta de esperteza.
Miguel Sousa Tavares no Público de 2005-10-28

E, porquê?

O novo projecto para o TGV a apresentar em Novembro só deverá contemplar as ligações Lisboa-Porto e Lisboa-Madrid. Na ligação entre as duas maiores cidades portuguesas, o Executivo pondera a criação de quatro paragens, revela o «Público».
Pelo que leio
aqui, mais uma vez Viseu fica fora do mapa. A ligação Aveiro - Salamanca fica fora das contas do governo e os viseenses, orgulhosamente sós "no coração de Portugal".

Maus sinais

As razões que levam os portugueses qualificados a deixar o país ou a não regressar a Portugal são ainda um indicador de problemas de desenvolvimento.
Helena Garrido in DN

A crise não é igual para todos

Os lucros dos quatro maiores bancos privados portugueses – Banco Espírito Santo (BES), Millennium BCP, Banco Português de Investimento (BPI) e Santander Totta – somaram no terceiro trimestre de 2005 mais de 1052 milhões de euros. Uma subida de cerca de 191 milhões de euros face aos lucros registados pelos quatro gigantes em igual período do ano anterior.
In
CManhã

27/10/2005

Trazer mais porcaria, não! Se trouce, tá mal!

Não chegava o exemplo do Rio Pavia na região e também no afluente do Vouga, o Trouce tinham que repetir a miséria. Aqui se conta a "porcaria" que o Trouce traz à região!

Há que respeitar o ambiente! Um dia pagaremos todos estes atentados!

E, ainda nem começou a campanha

Esta é uma piada de mau gosto. Desculpem lá, mas é!

As coisas que eles dizem

"Tenho pena de ver Mário Soares nisto, porque ou ele perde e vai ter um desgosto imenso ou ele ganha e vamos nós ter um desgosto."
Medina Carreira no Expresso

Nem tudo é triste

Há clubes que pela sua teimosia em defender os ideais e as metas definidas que levaram à sua criação, acabam por merecer o respeito de todos, mesmo daqueles que são "adversários" em termos de competição desportiva e recreativa saudável. O resto da história deste "pequeno" Clube vem aqui e que eu saiba não precisam de fusões nem outras "invenções"!

26/10/2005

Arre que são teimosos!

A AFV já actualizou as classificações da ultima jornada. Não há meio de acertarem com o nome das equipas e esquecem-se sempre do Académico. Porque será?

Safa, já é mania! A gente a avisá-los e não ouvem!

Cheira bem, cheira a... Viseu

Ui... isto vai ficar de fugir! Com tanta castanha e feijão juntos!

As coisas que eles dizem...

Serei um factor de estabilidade e de concórdia nacional
Para quem semeou a instabilidade e lançou a discórdia no PS é de "super-mário" esta!
Pela mesma razão de sempre, é o slogan escolhido. E, qual é a razão, sabem? Eu sei, mas não digo!

1ª Companhia versão SCP


Em maré de azar tudo lhes pode acontecer!

Os lampiões em Leixões


Hoje vamos lá estar todos. Uns mais equipados, outros menos!

A crise


Ou assim ou pior!

Vitaminas para a memória

Memória - conjunto de funções psíquicas pelas quais temos consciência do passado como tal, que inclui a fixação, a conservação, a lembrança e o reconhecimento dos acontecimentos

25/10/2005

Tapar o sol com a peneira

Afinal não houve selagem da sede do Clube Académico de Viseu, as apenas uma reunião dos vários intervenientes no processo que envolve as instancias judicias, as interessadas e a Comissão Administrativa do clube. «Houve apenas uma reunião de trabalho», foram as únicas palavras que se conseguiram arrancar dos vários intervenientes na reunião havida ontem ao início da tarde na sede do Clube Académico de Viseu, na Rua do Postigo. Na mesma marcaram presença o Administrador Judicial e as partes envolvidas no processo, uma das queixosas, acompanhada, supomos, da sua advogada e elementos da ainda Comissão Administrativa do clube.Um dado a ter em conta é que as instalações pertencem à Sociedade Anónima Desportiva do Académico, o que quer dizer que não são passíveis de ser penhoradas neste processo. Porém, as mesmas estarão penhoradas por dividas ao fisco e à Segurança Social.Um dado a reter é que na porta da sede do CAF está afixado um documento do tribunal, datado do passado dia 21, em que o 4º Juízo de Competência Cível ditou, por sentença do passado dia 10 de Outubro, a “declaração de insolvência” do clube, tendo sido nomeado como Administrador Judicial Luís Gonzaga Rita dos Santos. O mesmo documento marca para o próximo dia 6 de Dezembro uma Assembleia de Credores.
JLA

Biblioteca de um amigo

Eis aqui um assunto, as dependências químicas – as drogas, que não me recordo ter visto tratado neste espaço. Vou aproveitar para dar a conhecer um pouco do homem e da sua obra.
AJ
“Reinaldo Ferreira foi o maior repórter da Imprensa Portuguesa. Morto, continua a sê-lo, através de uma obra extraordinária, fulgurante, caudalosa, que é impossível avaliar mesmo nas páginas deste volume.”(...) “Ele introduz em Portugal a maneira característica do jornalismo americano – incisiva, inconfidente, mesmo escandalosa, densa na sua verdade, em que as imagens, como no cinema, dominam as palavras, fotografando o que se passou e o que não se disse, o que se sabe e o que se esconde, numa reconstituição visual em que tanto as personagens como os pormenores empolgam, visceralmente desnudados.”Artur Portela
As dependências têm de novo, na sociedade actual, apenas a escala e a sua dispersão por grupos sociais e geográficos cada vez mais alargados.Um exemplo de “dependência”, segundo Reinaldo Ferreira:(...) “No dia seguinte, pouco antes de soarem as quatro horas – hora em que o cão fora injectado na véspera – Cocteau surpreende-o a arranhar a porta do médico de serviço, a suplicar em ganidos ansiosos, que abrissem. Estava esplêndido, mas queria que lhe dessem outra picadela de morfina... Dizem que a morfina bestializa os homens! Neste caso humanizou o cão. É esse instinto de fraternidade maçónica que estreita todos os toxicómanos – senti um arrepio – pensando no pobre bicho – sofrendo já a falta da droga – tal como eu ...”
“Memórias de um Ex-Morfinómano”, de Reinaldo Ferreira (Repórter X) 1897 - 1935
Editorial Propaganda, Lda. – 1ª Edição, Novembro de 1976Prefácio de Artur Portela

Nem precisas perguntar. Este espaço é sempre teu. Manda!

Para rir... enviada pelo João

Num juízo de uma pequena cidade, o advogado de acusação chamou a sua primeira testemunha; uma velhinha de idade avançada e avó. Aproximou-se da testemunha e perguntou:
- Srª. Ermelinda, a senhora conhece-me?
- Claro que te conheço. Conheço-te desde pequenino e, francamente, desiludiste-me. Mentes descaradamente, enganas a tua mulher, manipulas as pessoas e falas mal delas pelas costas. Julgas que és uma grande personalidade quando nem sequer tens inteligência suficiente nem para ser varredor. Claro que te conheço.
O advogado ficou branco, sem saber que fazer. Depois de pensar um pouco; apontou para o outro extremo da sala e perguntou:
- Srª Ermelinda conhece o defensor oficioso?
-Claro que sim. Também o conheço desde a infância. É frouxo, tem problemas com a bebida, não consegue ter uma relação normal com ninguém e na qualidade de advogado bem, aí......é um dos piores que já vi. Não esqueço também de mencionar que engana a mulher com três mulheres diferentes, uma das quais, curiosamente, é a tua mulher. Sim, conheço-o. Claro que sim.
O defensor ficou em estado de choque. O juíz, então, pediu a ambos os advogados que se aproximassem do estrado e com uma voz muito ténue diz-lhes:
- Se a algum dos dois, ocorrer perguntar à puta da velha se me conhece, juro-vos que vão todos presos!

É um espanto!

Enquanto uns aconselham a não deitar milho aos pombos aqui, os outros espantam-se por ali.

Apoio inquestionável

E, aqui vê-se bem o ânimo que os futebois representam na nossa urbe. Poucos, mas felizes!

Gaba-te cesta...

Por vezes, e não sendo ainda uma lei de murphy dos blogues, mas tenho a leve impressão de que quanto menor for o número de comentários mais qualidade tem um blogue. Será?

A polis é o lugar da própria democracia. Será?

A mobilidade urbana cresceu de forma exponencial e alterou-se muito significativamente nas últimas décadas, especialmente nas cidades. Fruto da dispersão urbanística residencial e da desnuclearização das actividades, das novas formas de organização profissional, dos novos modos e estilos de vida que a sociedade contemporânea despoletou, a mobilidade urbana, em particular, a dos espaços metropolitanos, é hoje uma realidade muito diversificada e heterogénea, marcada por uma maior complexidade das cadeias de deslocação diária. (...) Como consequência, nos locais mais urbanos, a rede viária encontra-se congestionada e, consequentemente, com menos qualidade de vida. (...) Estes novos paradigmas, resultantes das sociedades contemporâneas em emergência, colocam-nos novos desafios, quer do ponto de vista societal, quer do planeamento urbanístico e dos transportes, na construção de uma cidade segura e acessível a Todos, onde o desenho urbano tenha obrigatoriamente de ser pensado de forma estratégica. De resto, a cidade é o espaço público (2004, Ferreira). (...) O envelhecimento da sociedade, o aparecimento de uma nova função da mulher na sociedade contemporânea ou mesmo as pessoas de mobilidade reduzida são exemplos desses novos paradigmas. (...) Ser móvel é percorrer a nossa espantosa condição urbana, que é condição humana, porque o território, muito para além da sua vertente física, é uma imensa construção social. A cidade é, por excelência, o lugar onde o homem pode encontrar a sua maior e mais expressiva dimensão. É o lugar de exponenciais fontes de informação, múltiplas formas de comunicação, absoluta mobilidade, diversidade de culturas e formações, oportunidade de ofertas, infinitas possibilidades de relações sociais. Lugar de encontros, culturas, religiões, mas também memórias, ideias, atitudes, aprendizagens. Em suma, a polis é o lugar da própria democracia. (2005, Ribeiro da Silva) A cidade não pode ter limites de mobilidade. Porém, a realidade tem mostrado no entanto que a cidade em vez de unir, separa as pessoas e em vez de incluir, exclui, justamente porque, na generalidade, sem qualquer preocupação e cumprimento das leis em vigor, realizam-se passeios estreitos, interrompem-se os sistemas de continuidade pedonal, não se colocam passadeiras, não se fazem rebaixos de acesso aos passeios, coloca-se a sinalética informativa, publicitária e de trânsito em qualquer sítio, localizam-se as árvores nos passeios em vez de se colocarem nos canteiros, não se adaptam os transportes e os acessos.
Paula Teles, in JN

24/10/2005

Há quem passe melhor as noites que eu os dias

Mas, será que não lês as noticias? Então, com tanta gripe das aves que anda aí, tinha que te dar para comeres "pitas"?

E, agora? Reza porque continuo a ser teu fã...

Mas, onde é que vivemos?

Segundo a Lusa, o Tribunal da Relação de Guimarães deu provimento ao recurso de Fátima Felgueiras pedindo a anulação dos depoimentos de três arguidos e das escutas telefónicas constantes no processo. O Ministério Público vai recorrer. O julgamento vai ser adiado.

Já nem estes se safam!

A subida acentuada do desemprego está a fazer vítimas, também, entre os mais de 450 mil imigrantes legalizados em Portugal. Entre Junho de 2000 e o mesmo mês de 2004 o número de imigrantes a receber subsídio de desemprego quadruplicou, passando de 4462 para 20 895, de acordo com dados do Ministério do Trabalho e Segurança Social a que o DN teve acesso. Ou seja, este grupo representava já 5,1% do total de beneficiários de prestações de desemprego.
in
DN

Arre que é demais!

E, a julgar pelo título, este pessoal deve ter estado fora do nosso País... Surpresos? Mas, não têm sido esta a norma aplicada aos objectivos estruturantes de Viseu? Já nem eu fico surpreso por ver o DRegional a insistir que «o concelho é, de forma objectiva, descriminado negativamente, bem ao contrário de outros concelhos do país." Tem sido é discriminado, arre, para mal dos nossos pecados...

Contos de fadas

Um mal nunca vem só, já me dizia o meu avô e por isso, e por tudo o que por aqui temos dito, nada disto me admira já! Mas ainda há, mesmo assim, quem alimente o fantasma... ou então, ainda acreditam em contos de fadas!

Responda se souber

A Susana Cunha pergunta no Abrupto:
De onde surge o boato (chamo-o de boato precisamente por desconhecer a sua veracidade) que circula na internet, que indica o nome do candidato à presidência Mário Soares como proprietário dos terrenos na Ota onde, presumivelmente, se construirá o famoso aeroporto?

23/10/2005

Expliquem se souberem

Há coisas que, de facto, custa perceber. O trânsito aos domingos junto ao Fórum é um exemplo. O Estado Português lesado em vários milhões de euros por parte dos Bancos é outro exemplo. Antes eram os bancos que eram assaltados, agora são os bancos que roubam?

Puxem pela imaginação, vá lá!

Aqui pede-se ajuda para legendas de fotos de Viseu. Para esta, tenho uma boa ideia mas vou aguardar as vossas dicas.

Credo, que animação!

Alguns jornais de amanhã vão dizer que estava uma tarde magnifica para a prática do futebol no Fontelo e vão falar do empate que aconteceu no jogo entre duas equipas da 1ª Divisão. As tabelas clasificativas da AFV vão ter um empate também registado mas entre outras duas equipas mas, já estamos habituados ao cenário. A assistência então, registou como se calcula uma adesão significativa: cerca de 100 pessoas!

Boas notícias

Já isto aqui é bem mais fácil de explicar porque é que vai para ali. Quem tem linha de caminho de ferro, menos impostos e mais facilidades de instalação leva vantagem! Ainda assim, ganha a região, o que é também um excelente sinal! Oxalá aconteça...

Quem nasce torto...

Quem de certeza não tem nada a ver com isto sou eu, ok?

E, na prática também é assim?

(...) "De igual forma, consideramos que a região carece de um compromisso claro e alargado, que sobreviva a ciclos políticos e eleitorais, e que extravase a esfera empresarial, envolvendo, para além das empresas, os estabelecimentos de ensino, os municípios e a restante administração pública, incluindo a central, e, em particular, o Governo." (...)
Almeida Henriques in Jornal do Centro.

Heróis do passado ou do momento?

Depois do super Mário eis que chega outro super. E, pelo que consta este último é criação de um grupo de engraçadinhos. Ao mesmo tempo leio que o super Mário veio a Viseu falar com os jovens, o que me espanta! Então, com a idade do senhor não somos todos jovens? O Rossio devia ser pequeno para todos aqueles que ao pé dele são jovens, não?

O todo é mais que a soma das partes

No que é estruturante para a região os esforços colectivos deviam estar sempre fora do interesse partidário e por isso para já, isto aqui não deixam de ser bons sinais.