11/06/2006

Ajudas à navegação

Como é sabido, Viseu tem aqui um aérodromo muncipal e seria importante entender o valor desse investimento local, fazendo uma análise económica. Sem essa informação, os aeródromos são vulneráveis àqueles que os criticam pelos aspectos prejudiciais, tais como o ruído dos aviões ou supostos factores de risco.
Há hoje, exemplos de sucesso em algumas regiões e cidade do país e os sistemas de navegação VOR instalados em Viseu, a posição central que ocupa no espaço fisico português, entre muitos outros factores são elementos que permitem pensar que aquele investimento deveria ter outra utilidade que não uma mera pista para apoio aos aviões de combate aos fogos florestais num curto periodo temporal. Não vos parece? Hoje, fica mais barato uma viagem Vila Real - Lisboa na Aerocondor que o mesmo percurso realizado de automóvel. E, nós por cá?
Os aeródromos de aviação geral produzem benefícios económicos tangíveis, que superam a despesa que se realiza no funcionamento e manutenção dos mesmos, e benefícios intangíveis associados ao acesso ao sistema nacional de transporte aéreo. O impacte económico dos postos de trabalho, as vendas e os impostos são frequentemente as únicas defesas dos aeródromos perante o avanço de urbanizações e as expectativas de lucro dos promotores da especulação imobiliária. Infelizmente, não tenho presente se alguma vez este impacte local tenha sido calculado e isso pode conduzir a que se pense apenas no "alto custo" de manter operativo o aeródromo. O impacte económico de um aeródromo é a medida das vantagens que proporciona às populações em seu redor. Estas vantagens incluem os trabalhos, os salários, e os gastos que se geram no aeródromo. Também incluem os efeitos desses gastos que passam de mão em mão, promovendo actividade económica longe do aeródromo. As vantagens económicas também incluem os gastos realizados pelos passageiros em trânsito, que utilizam o aeródromo, mas gastam o seu dinheiro noutros lugares. A poupança em tempo e em dinheiro que se obtém graças à existência do aeródromo, representa outra vantagem económica. Finalmente, entre as vantagens económicas também se contam os efeitos intangíveis que o aeródromo exerce sobre as decisões económicas das empresas em estabelecerem ou permanecerem numa área especifica. As decisões de localização do negócio baseadas na disponibilidade do aeródromo são intangíveis e mais difíceis de identificar e quantificar. Infelizmente, estas vantagens e os valores sociais em jogo são difíceis de medir. O impacte económico na sua totalidade inclui impactes directos, indirectos e induzidos. O impacte directo está associado aos fornecedores de serviços no aeródromo. Estes fornecedores incluem o operador do aeródromo (público ou privado), as empresas de serviços aéreos, as linhas aéreas, as empresas de carga e transporte de mercadorias, de vendas de aviões, as instalações governamentais, as instalações educativas, as instalações militares, as escolas de voo e as operações de manutenção, entre outras. O valor do impacte directo é a soma de todos os pagamentos de salários, gastos de capital, custos de funcionamento e manutenção, impostos, e a generalidade das despesas realizadas por cada fornecedor de serviços. Em sentido estrito, os impactes directos devem representar as actividades económicas que não ocorreriam na falta do aeródromo. O impacte indirecto associa-se aos utilizadores dos serviços do aeródromo. Estes incluem utilizadores públicos e privados, simples e colectivos, organismos estatais e negócios de aviação ou de outra índole. O valor deste impacte é a soma das taxas e encargos pagos, a poupança em tempo e em dinheiro e os gastos relacionados com manutenção, alojamento, transporte por terra, e outros gastos similares. Calculando rapidamente o impacte destas operações é necessário juntar esta cifra ao impacte económico directo, para obter o impacte económico total. O impacte induzido frequentemente chama-se "efeito multiplicador". Dá-se-lhe este nome porque um Euro, uma vez gasto, não desaparece, antes continua movendo-se através da economia local, até que sai desta incrementado. Cada novo Euro gasto multiplica o seu próprio efeito económico. Fizeram-se numerosos estudos económicos para estabelecer de maneira definitiva o valor deste multiplicador para distintas áreas geográficas e segmentos da economia. Estes estudos indicam que os multiplicadores que vão do dois ao sete são apropriados para as estimativas económicas relativas aos aeródromos. Dado que o impacte induzido é a porção mais sujeita à controvérsia numa análise de impacte, é uma boa ideia utilizar um multiplicador muito conservador. Recomenda-se um multiplicador de três em geral. Para obter uma cifra que seja aplicável para um aeródromo em concreto é preciso entrar em contacto com a Câmara de Comércio e os organismos governamentais pertinentes.
Cálculo do impacte económico (a titulo de um exemplo):
Como exemplo, assuma-se que se interrogaram todos os empregadores e negócios no aerodromo de Viseu que tem cerca de 80.000 operações locais anuais. Determina-se que o total dos salários, taxas, encargos e impostos acrescido de custos da manutenção e as despesas de capital ascende a € 5,500,000 (impacte directo) por ano. O aeródromo tem anualmente 50.000 operações em trânsito. Calcula-se o impacte económico indirecto desta maneira:
Divide-se por 2 para determinar as chegadas em trânsito anuais. 50,000 :2 = 25,000 Multiplique pela média de ocupantes por avião: Assuma 2.5: (a FAA - Federal Aviation Agency dos Estados Unidos da América estima 2.5 ocupantes a bordo de cada voo de aviação geral). 25,000 x 2.5 = 62,500
Multiplique esse número pela média de Euros gastos na economia local pelas pessoas em trânsito. As câmaras locais de comércio ou turismo podem facilitar a média de gasto de despesa de cada passageiro. Assuma € 100. 62,500 x €100 = € 6,250,000 = Total do impacte indirecto A seguir, para determinar o impacte induzido, multiplique a soma dos impactes directos e indirectos pelo efeito multiplicador para chegar ao impacte total. Assuma um multiplicador de 3. Impacte induzido = 3 x (impacte directo+impacte indirecto) = 3 x (€5,500,000 + €6,250,000) = 3 x €11,750,000 = €35,2500,000
Para determinar o impacte económico total, some os impactes directos, indirectos, e induzidos.
Total € 47,000,000. Nada mau estes milhões! Não acham? Fica pois aqui a dica, na esperança que alguém se lembre de lhe pegar!


ET: A fórmula do impacte directo foi desenvolvida por Eckrose/Green Associates, uma firma de consultoria de aeroportos de Madison, Wisconsin. A sua fórmula tem a aprovação da Associação Nacional de Funcionários de Aviação (NASAO dos Estados Unidos da América)
.

Sem comentários: