16/06/2006

O despesismo local

(...) Quando seria de esperar que a maioria das câmaras tivessem globalmente ultrapassado algum empirismo de gestão e avançado para uma gestão estratégica, com uma nova geração de políticas, na verdade o que se verifica é que têm vindo a proliferar alguns maus exemplos que, com a maior ligeireza, põem em causa políticas nacionais e suscitam legítimas reservas e preocupações quanto ao bom uso dos dinheiros públicos.
Uma análise aos exercícios financeiros de algumas câmaras e uma avaliação dos resultados, em concreto, da sua actividade, numa perspectiva do interesse público geral e da qualidade de vida dos cidadãos, tendem a demonstrar que não há correspondência entre os meios financeiros utilizados e os resultados obtidos.(...)
Manuel Correia in JN

Sem comentários: