28/01/2006

Ok... foi merecido!

Parem lá de telefonar... fónix!

Do cinema... do AJ

Este livro reúne diversos textos de Jorge Luís Borges sobre Cinema - breves comentários sobre filmes e curtos enredos/ficções para películas, textos publicados nos anos 30 e 40; um Prólogo de Adolfo Bioy Casares – um escritor amigo e colaborador de J.L.B., natural de Buenos Aires e ainda ensaios de Edgardo Cozarinsky - realizador, argumentista e actor , outro amigo de Buenos Aires, que coligiu os escritos.
Num dos seus interessantes textos – “Sobre a Dobragem” - publicado na revista Sur nº 128 de Junho de 1945, Borges escreveu o seguinte:
“As possibilidades da arte de combinar não são infinitas, mas costumam ser espantosas. Os gregos engendraram a quimera, monstro com cabeça de leão, com cabeça de dragão, com cabeça de cabra; “ (...)
“Hollywood acaba de enriquecer esse vão museu teratológico; por obra de um maligno artifício que se chama dobragem, propõe monstros que combinam as ilustres feições de Greta Garbo com a voz de Aldonsa Lorenzo. Como não tornar pública a nossa admiração perante esse prodígio penoso, perante industriosas anomalias fonético-visuais ?” ( ...)
“A voz de Hepburn ou de Garbo não é contigente; é, para o mundo, um dos atributos que as definem. E cabe ainda recordar que a mímica do inglês não é a do espanhol.”
“Mais de um espectador se interroga: Já que há usurpação de vozes, porque não também de figuras ? Quando teremos o sistema perfeito? Quando veremos Juana González directamente no papel de Greta Garbo, no papel da Rainha Cristina da Suécia?”
Esta discussão continua actual, a regra em Portugal continua a ser a legendagem, de vez em quando, vozes discordantes, defendam o fim desta prática. No lugar dos monstros, prefiro as versões originais e as legendas. Não será a dobragem a levar mais espectadores às salas de cinema, mas sim a qualidade dos filmes e o seu inigualável poder de atracção - de preferência em salas bem concebidas, com boas condições de imagem, som , conforto e sem pipocas... de preferência !
Jorge Francisco Isidoro Luís Borges Acevedo, escritor argentino (Buenos Aires, 24 de Agosto de 1899 – Suiça, Genebra, 14 de Junho de 1986) foi poeta, ensaísta e grande escritor de contos. Apaixonado pelos livros e pela leitura foi um ávido leitor de enciclopédias! Nem a progressiva cegueira que o atacou a partir da década de 50 o impediu de continuar a escrever e de “ler” muito.
AJ

“DO CINEMA” – Jorge Luís Borges e Edgardo Cozarinsky
Título original – Borges En/y/Sobre Cine
Tradução de: Ana Fonseca e Silva e Salvato Teles de Meneses
Colecção Horizonte de Cinema – Livros Horizonte, Lda. – 1983, 120 Páginas

27/01/2006

250 anos depois... vale a pena ouvir

Novos conceitos, velhos principíos


Moloque (do hebraico: um rei ou vosso rei), diz respeito a uma divindade cananéia, a quem eram realizados sacrifícios de crianças: “E edificaram os altos de Baal, que estão no Vale do Filho de Hinom, para fazerem passar seus filhos e suas filhas pelo fogo a Moloque” (Jr. 32:25a).
Les Moloques ou Molokanes (en russe: Молокáне) sont une communauté religieuse née en Russie dans les années 1550. Le nom vient du mot russe Молоко (moloko) qui signifie lait, les moloques buvant du lait les jours de jeûne de la majorité orthodoxe.
Il existe des petites communautés moloques dans plusieurs pays (Russie, Arménie, Turquie, Brésil, Mexique, Mongolie, Iran, États-Unis...)
E, agora também existem em grande quantidade no nosso burgo e ao que parece, alvo de contestação, pela sua má colocação!
Tivessem colocado ao menos um destes cá no bairro e de certeza que, no minimo, ganhavam aplausos!
ET: Já agora, estes contentores enterrados também existem à venda para áreas rurais!

Oh Abreu! O fio não é teu?

Fio para dar e vender... em pleno centro histórico
in
Noticias de Viseu (agora com uma cara nova)

Em terra de cegos...

Os executivos das Câmaras Municipais de Santa Comba Dão, de Sátão e de Vila Nova de Paiva recorreram à mesma empresa para proceder a uma auditoria às contas das autarquias, o que motivou a contestação dos membros da oposição. A sociedade de revisores oficiais de contas (SROC) escolhida para realizar a tarefa foi a M. Dias & Figueiredo Lopes, com sede em Viseu!
in
Jornal do Centro

Recolha selectiva

A Câmara Municipal de Viseu gasta cerca de 2,50 euros por habitante e por mês para recolher os resíduos sólidos urbanos em todo o concelho. Cada viseense produz, em média, mais de um quilograma de lixo por dia.
in
DRegional
Ora, deixa-me fazer contas! Do recibo da água consta a Taxa de Resíduos Sólidos Urbanos de 2 €, logo comigo já só gasta 0,50 €. Se a isto somar a Taxa de Saneamento (variável em função do consumo, mas nunca inferior a 1,50 €) e o Aluguer Mensal do Contador (3,5 €) ainda assim há queixas? E, se vos disser que no bairro não há um único caixote do lixo?

Olha se não fosse filho da terra!

Vão fechar 9 dos 10 Serviços de Atendimento Permanente (SAP), que funcionam da meia-noite às oito horas da manhã, nos centros de saúde do distrito de Viseu. (...) O anúncio vai ser feito, hoje, pelo ministro da Saúde, Correia de Campos (...) e fecham os SAP de Armamar, Castro Daire, Cinfães, Mangualde, Mortágua, Resende, Santa Comba Dão, S. João da Pesqueira e Vouzela.
in
JN

Nos nacionais e mais uma vez pelas piores razões

OMinistério Público (MP) do Tribunal Judicial de Viseu acusa oito médicos, individualmente, da autoria material, na forma consumada, de um crime de homicídio por negligência. Sobre os clínicos - sete ligados ao Hospital de S. Teotónio e um ao Centro de Saúde de Jugueiros - pesa a suspeita de não terem feito tudo para salvar uma mulher de 76 anos. Sujeitos a termo de identidade e residência, os médicos incorrem numa pena que pode chegar aos três anos de prisão.
in
JN

26/01/2006

Por uma boa causa

Aqui a familia vai aumentar! E a razão é simples e nobre. A Associação Beira Aguieira de Apoio ao Deficiente Visual tem uma escola de cães-guia em Mortágua. Forma anualmente de forma inteiramente gratuita cerca de dez duplas cego/cão-guia e necessita de colocar os cachorros dos 2 aos 14 meses em famílias de acolhimento para proporcionar ao cachorro a apreensão das regras elementares de obediência e o contacto com os diversos estímulos interiores (casa, ambiente familiar) e exteriores (trânsito, animais, cheiros, barulhos, locais públicos...etc). A maioria destes cães não serão realmente cães-guia por diversas dificiências (temperamento, saúde, etc), é necessário criar e educar muitos para se chegar a entregar um cão-guia a um cego. Espera-se por um cão-guia alguns anos. Neste momento a Escola tem uma grande necessidade de mais famílias de acolhimento. A condição é gostar e querer aprender com os animais e residir na zona de Viseu até Coimbra. Maior distância é impraticável porque os cachorros são acompanhados semanalmente pelo treinador e a escola tem apenas três. Além do acompanhamento técnico, a Escola proporciona toda a alimentação e assistência medico-veterinária durante todo o período de estadia, um seguro e, não menos importante, leva o cachorro para as instalações da Escola sempre que a família necessite: fins de semana fora, férias, etc.

caes.guias@clix.pt
tel. 231 920978
ou
Escola Beira Aguieira
Rua Dr. José Lopes de Oliveira - 3450 Mortágua
Tel. 231 921 359

Fax. 231 920 059
e-mail:
beira.aguieira@mail.telepac.pt

Cá em casa, se a Escola nos aceitar como familia de acolhimento, a somar à Golden Retriever já existente, a imagem pode ser esta:

Espírito crítico, precisa-se!

Já? E, o que vem a seguir?

E, de facto, um mal nunca vem só!

Oops... saiu-me na passada!

Práz "indirectax" extamox cá nóx!

Vem mas não leves! Bem é trazer, ok?

Ministro da Saúde iniciou ontem uma espécie de "ministério aberto" pelo distrito de Viseu, para dar a conhecer o plano de requalificação dos serviços de urgência e emergência!
in Público (link não disponivel)

Maria, andas a dormir? Olha o que te fizeram ao quintal?

Por aqui, infelizmente, há quem não respeite nem a floresta nem a saúde dos demais! E, exemplos destes, para mal das gerações vindouras, repetem-se um pouco por todo o lado, desta forma ou até pior! Um dia a natureza enviará a factura e nessa altura...
ET: Por acaso aqui nesta urbe conheço uma "franga" bem engraçada, mas desconfio que não larga penas e tenho a certeza que não anda pelos bosques! Dá-me é cabo da farinha em casa...

Frio por cá?

Lá por fora está pior...

25/01/2006

Viva a burocracia

E esta também merece um "selo fiscal"! Claro que estão preocupados... basta lembrar que a escritura de uma normal cessão de duas quotas de uma sociedade comercial com o capital social de € 5.000,00, que se faz em 10 minutos, pode custar mais de 750 euros! E, porque não voltarmos ao tempo do papel selado?

Por lá e por cá... e pelas mesmas razões

Por aqui as coisas vão aquecer... e aqui ainda andam às voltas com o piano!

Acabou a "paixão"!

Antes era licenciatura, agora passa a ser mestrado mas para se ser engenheiro continua a ser necessário um curso de 5 anos. Na Católica as propinas de mestrado continuam iguais às das licenciaturas e nos Politécnicos o Governo deixa de financiar os mestrados, ou seja, deixa de financiar os 2 últimos anos dos cursos e num acto milagroso reduz o défice na educação. Os estudantes que tenham dinheiro, que estudem! Os outros, ficam de fora do sistema. Os Politécnicos do ensino público não podem competir com escolas como a Católica colocando as propinas de mestrado iguais às da licenciatura. Com medidas destas e com cada vez menos alunos, os Politécnicos (Viseu incluido) ficam condenados à extinção!

Está bem e recomenda-se

E, sobre isto também não tenho muitas dúvidas! Ainda é o que vale na região...

Oxalá os ventos te sejam favoráveis

"Apostar fortemente no investimento, apoiar o empreendorismo, promover a qualificação dos empresários e criar o Prémio Veiga Simão", são algumas das metas da Associação Empresarial da Região de Viseu (AIRV).
In
DRegional

Estamos no Dão e vamos beber água, é?

Viseu é, sem grande surpresa, o concelho que lidera a tabela dos municípios com mais bebedores excessivos e doentes alcoólicos, com 11.120 e 8.910, respectivamente, tendo em conta os mais de 90 mil habitantes que tem.

Vão mas é roubar prá estrada!

A frota de automóveis do Banco de Portugal é de fazer inveja a muitos ministérios. Os contratos de ‘leasing’ das viaturas têm a duração de três anos, sendo os modelos renovados após esse período. Recentemente, foi divulgado que a administração encomendou no passado mês de Dezembro seis nova viaturas; três Volkswagen Passat, dois Audi A4 e um Mercedes classe E (...) a somar a estes estão também encomendados dois Jaguar que deverão ficar adstritos a directores da instituição.
ALGUNS DOS REFORMADOS DO BANCO CENTRAL
Nome: Campos e Cunha - Valor da reforma: 8000 euros
Nome: Tavares Moreira - Valor da reforma: 3062 euros
Nome: Miguel Beleza - Valor da reforma: 3062 euros
Nome: Cavaco Silva - Valor da reforma: 2679 euros
Nome: Octávio Teixeira - Valor da reforma: 2385 euros
Nome: Ernâni Lopes - Valor da reforma: 2115 euros
Nome: Rui Vilar - Valor da reforma: N.D.
Nome: António de Sousa- Valor da reforma: N.D.
In CManhã

24/01/2006

Geminações



Este elemento escultórico recorda a geminação entre a nossa cidade e a congénere francesa Marly-le-Roi (França). Inaugurado em Setembro de 2000, este marco de correio, sabe onde se encontra? E, que outras cidades estão geminadas com Viseu?
Aproveitem e cliquem aqui... Nesta "Ville Jumelle" há um link para Viseu e até oferta de empregos existem! A meu ver, ainda não descobriram o esquema dos "job for the boys"... Estão mesmo atrasados!

Governem-se.... vá que o pessoal não se importa!

Só a mim é que não me convidam para "tachões" destes! Imaginem, ser governador dum pequeno banco central, em que a política monetária é decidida em Frankfurt e ter um vencimento superior ao presidente do Sistema de Reserva Federal Americano... até eu gostava de tentar!

Quem avisa...

Cuidado. Aqui existem alguns perigos!

Até que enfim...

O DRegional dá conta que as obras de construção do Exomuseu do Quartzo, no Monte Santa Luzia, "arrancam, sem falta, durante o próximo mês", e que as obras no Parque Linear do Pavia também estão previstas para iniciar em Março. Bons sinais para a cidade e para a região!

Péssimas notícias estas

O desemprego disparou nos 10 concelhos do Norte do distrito de Viseu, que passou de 5199 desempregados, em dezembro de 2004, para 6302 no fim de 2005. É uma taxa de crescimento de 21,2%, quase o triplo da média nacional. Ao contrário, nos 14 municípios do Sul, que congregam a região Dão-Lafões, o número de desempregados baixou 12103 em 2004 e 11916 em 2005. A descida é pouco significativa (-1,55%), mas contrasta com o crescimento a norte, onde três concelhos quase vêem duplicar, de um ano para o outro, o número de desempregados: Sernancelhe (48%), Penedono (47,8%) e S. João da Pesqueira 45,8%). E licenciados desempregados no distrito, há quase dois mil (1956). A maioria (641) está na capital de distrito, onde estão sediados os estabelecimentos de ensino superior Universidade Católica, Instituto Superior Politécnico e Instituto Superior Jean Piaget, onde estudam cerca de 12 mil alunos.
in JN

Nova oficina para os "cotas"

Abriu aqui uma oficina para pais e educadores aprenderem a contar histórias à miudagem. Eu já estou fora destas necessidades, mas se quiserem saber alguma coisa sobre os "Morangos" digam... o rapaz cá em casa, obriga a acompanhar estas histórias!

23/01/2006

Falando de coisas sérias, agora!


Aceitam-se sondagens e apostas para o próximo fim de semana!

A GAMVIS em fotos

Puseram uma fotografia nossa aqui...

E, não levas o portátil?

A blogosfera local está mais pobre! Vamos sentir a tua falta...

Já lá vão mais de 25 anos

Esperam-se mudanças dentro em breve... Para já, o Comandante Supremo das Forças Armadas vai ser um cidadão com a tropa feita!

Oposição ou constatação?

"Viseu não é um concelho amigo dos seus munícipes"
José Carlos Oliveira in DRegional
"Taxa máxima para serviços máximos"
Hélder Amaral in DRegional

Socialmente falando

São boas politicas estas aqui... e estes bairros estavam mesmo a precisar!

22/01/2006

Novo Cavaquistão



Já é oficial. Cavaco Silva é o nosso Presidente! Mas, Bragança (67%) passou a ser o novo "cavaquistão"!

Hipocrisias e heresias do costume

O que me custa agora é ter que gramar na TV com as declarações apressadas, politiqueiras, oportunistas, forçadas e escusadas de alguns dos protagonistas de sempre. Por cá, teremos disto também nos jornais de terça, quase que aposto! E, há quem tenha mesmo mau perder... mesmo sem ser candidato!

mp3, à terceira foi de vez!

sem honra nem glória ... pois é, os mitos também se abatem!

Por cá não é preciso 2ª volta

Encerrada a votação aqui, o resultado foi este:
E, no STAPE o resultado final no concelho de Viseu, é este:

Aprender a fazer, fazendo (e fazendo bem)

A Escola Profissional da Fundação Dona Mariana Seixas criada em 1998, tem como entidade proprietária a Fundação Dona Mariana Seixas, tem a Sede em Viseu e um Pólo em Castro Daire, é uma instituição de natureza privada, sem fins lucrativos, com autonomia administrativa, financeira e pedagógica e tem por objectivos entre outros, o de garantir uma formação de qualidade aos jovens nas vertentes humana, científica e técnica, capaz de os integrar na vida activa e/ou prosseguimento de estudos e facultar aos alunos uma sólida formação profissional, através da promoção do trabalho em equipa e do contacto com o mundo do trabalho, designadamente através da realização de estágios.
A Escola tem recebido prémios pelos trabalhos dos jovens, entregou esta semana os diplomas aos alunos que terminaram os cursos no ano lectivo passado e realiza a favor da comunidade um trabalho notável. Aqui aprende-se a fazer, fazendo!
(...) O único homem que é culto é o homem que aprendeu como aprender; o homem que aprendeu como se adaptar e como mudar; o homem que compreendeu que nenhum conhecimento é definitivo, que somente o processo de procurar o conhecimento fornece a base para a certeza.
Rogers, C., 1969

Questão do momento


Esta questão anda por aí na blogosfera. E, ao que parece as crianças resolvem isto com relativa facilidade. A dúvida é apenas saber se o autocarro se desloca para a esquerda ou para a direita! O que acha?

Numa volta pelos jornais

No Público (link não disponível) dá-se conta que a ARS Centro confirma encerramento de urgências na região centro e que o Ministro Correia de Campos (natural de Viseu, recorde-se) vai estar no distrito de quarta a sexta a explicar aos autarcas a reorganização dos serviços! Viseu tem esta sina traçada há anos! Tanto faz estar um ou outro partido no governo, tanto faz os ministros serem naturais da região ou não... é sempre a perder! Projectos estruturantes e de impacto económico e social para a região são sistemáticamente anulados, esquecidos na gaveta e em contrapartida avança a intriga palaciana, os fait-divers e as politicas de gabinete que não trazem nada de novo!
No
JN Refer, CMV e um cidadão parecem não se entender! Se não se entendem os que mandam porque é que hão-de entender os que obedecem?
No
DN a prioridade vai para a formação de técnicos da Comissão de Protecção de Menores do distrito. Depois da casa roubada....

Ler os clássicos... na letra do AJ


É bem acertada a nota constante da contracapa – “Embora se trate de uma edição crítica, vocacionada para estudiosos universitários, este livro será certamente também do agrado do público em geral, já que pode ser lido por pura recreação.” Confirmo! já me diverti e continuarei a divertir com a leitura deste pequeno volume de 151 páginas, edição bilínge – português e grego.
No Prefácio é apresentado o autor: Luciano, mais conhecido por Luciano de Samóstata, nome da capital do antigo reino de Comagena, no norte da Síria e na margem direita do rio Eufrates, de onde Luciano era natural , é feita uma pequena resenha da sua vida e da importância da sua obra.
Da sua biografia sabe-se muito pouco e foi reconstituída a partir de dados e pistas existentes nos seus livros. Mas onde acaba a ficção e começa a realidade ? Ele próprio dizia que nos seus escritos a mentira era algo de muito corriqueiro! Terá escrito cerca de 80 obras e mesmo um relato de uma fantástica viagem à Lua (“História Verdadeira”) e previu a existência de vida extraterrestre. Nasceu pobre, terá vivido entre os anos de 125 e 185, foi aprendiz de escultor, na oficina de um tio, um excelente escultor, mas rapidamente mudou de rumo e foi estudar retórica chegando mesmo a exercer a profissão de advogado.
Viajou muito pela Ásia Menor, Grécia, Roma e Gália. Tinha uma larga erudição pois fez muitas referências a grandes filósofos, como Platão, Heráclito e Aristóteles; grandes poetas, como Homero e Hesíodo; e principalmente historiadores, como Heródoto, Xenofonte e Tucídides. O seu maior período de actividade literária coincidiu com o governo de Marco Aurélio, entre 161 e 180. Na velhice aceitou, por motivos económicos, um lugar na Administração Imperial do Egipto. Foi fonte de inspiração para autores com Erasmo, Thomas More, Rabelais, Voltaire, Montesquieu, Cervantes e Machado de Assis.
A história contada neste livro é a de um homem que por magia se vê transformado em burro, mantendo todas as suas capacidades e das vicissitudes porque passa até finalmente recuperar a forma humana.
Tudo aconteceu deste modo: Lúcio foi a Tessália para fazer um negócio a mando do pai, passou pela cidade de Hípata e hospedou-se em casa de um conhecido, Hiparco, que tinha fama de avarento, uma bela esposa e uma criada bem jeitosa. Chegou apresentou-se, foi recebido e algum tempo depois estava bem aboletado e a papar a criada - “a muito viva e engraçada Palestra”. Mas Lúcio estava muito interessado em apreciar os poderes da patroa que tinha fama de feiticeira e lasciva. Depois de algumas noites de assanhada luta amorosa com a moça (palestra = luta) chegou, finalmente, a oportunidade de espreitar a senhora. Lúcio e Palestra assistiram à assombrosa transformação da mulher em coruja, para voar e ir juntar-se ao seu amante, enquanto o marido dormia.
Entusiasmado Lúcio rogou à moça que o ajudasse a experimentar a magia que vira. A coisa resultou mal. A jovem confundiu a caixa que guardava o produto mágico e Lúcio viu-se transformado em burro. Palestra desculpou-se e disse ao seu querido que tivesse paciência que logo pela manhã tudo se resolveria. Bastava comer algumas pétalas de rosa para desfazer o encantamento. Lúcio ficou convencido e foi para o curral onde sabia estar o seu cavalo e um outro burro.
Por azar nessa mesma noite, a casa foi assaltada, os seus moradores amarrados e a casa totalmente esvaziada. O burro – Lúcio, também foi roubado e excessivamente carregado com o produto do roubo. Só depois de muitas vergastadas, mudanças de dono, variadas peripécias e muito gozo sexual, o burro que estava a ser exibido no Anfiteatro para cobrir uma mulher, pode deitar a boca a umas rosas e devorá-las. Então todos ficaram estupefactos ao ver que “o envelope exterior da besta” desapareceu e Lúcio ficou nu e em risco de ser lançado de imediato na fogueira. Por fim safou-se graças ao governador que o reconheceu como filho de amigos e o levou consigo. Antes de regressar à casa paterna ainda foi visitar uma mulher que se apaixonara por ele, enquanto vivia sob a forma de burro. Foi muito bem recebido, todavia como o seu instrumento, em tamanho, ficava aquém do da besta, foi rapidamente rejeitado e expulso para a rua todo nu...
“Eu, Lúcio memórias de um burro” – Luciano
Prefácio , tradução e notas de Custódio Magejo – Prof. da Faculdade de Letras de Lisboa
Colecção Clássicos Inquérito, Editorial Inquérito, Lda., Lisboa 1992
AJ