10/03/2006

Oops... correu mal a coisa!

João Pedro Barros abriu concurso e escolheu o júri à revelia do Conselho Científico da Escola Superior de Tecnologia. Governo considera ilegal despacho do Presidente do ISPV.
In Público (link não disponivel)

Metafóricamente?

"Os animais selvagens, e mesmo os cães domésticos, têm instintivamente a necessidade de demarcar o seu território, percorrendo-o vezes sem conta e marcando-o, urinando ou defecando. E se um qualquer outro animal por ali passou, os primeiros sentem-se compelidos a remarcar tudo de novo, impondo a sua "marca". Também alguns governantes se comportam da mesma maneira – metaforicamente falando, claro."
Carlos Andrade Miranda in Jornal do Centro
Diria mais, e sem metáforas, alguns mais que deixar a marca, fazem mesmo cagada e das grandes!

Mais fumo que fogo

E, agora quem faz o rescaldo?

Falem comigo que eu é que sei!

Este ainda vai longe! Estou deveras pasmado com tanta sapiência!

Estratégia citadina

Isto é para rir ou para chorar?

Cheio de genica, hem?

Oh lá... o homem vem cheio de vontade de trabalhar. Um dia depois e já o site está actualizado!

Ignorante é a tua tia!

Será que ninguém cala este... isso mesmo!

09/03/2006

Dá-lhe gás...

Safa, até o aquecimento é luxo!

Infantes de Viseu e Viriato

Entre muros mas abertos à sociedade, estes fazem por merecer a cidade que os acolhe e já levaram com êxito e brilhantismo o nome de Viseu a terras de Timor, Bósnia e Kosovo. A homenagem é-lhes merecida!

08/03/2006

A fechar a noite


Para que conste... estamos em todos os jornais internacionais!

Conselho útil

"A estupidez coloca-se na primeira fila para ser vista; a inteligência coloca-se na retaguarda para ver"
Bertrand Russell

Há por aí uns binóculos?

Expliquem-me como é que se lê isto? Nem com água benta enxergo...

Viseu Jovem

No jornal saiu assim: "Tudo isto, são um conjunto de verbas significativas, mas é um investimento que não estamos a contabilizar. Vamos sobretudo investir no futuro do nosso concelho e dos nossos jovens"! E na rádio, repetiu-se a ideia que "tudo isto, são um conjunto de berbas significatibas, mas é um inbestimento que não estamos a contabilizar. Bamos sobretudo inbestir no futuro do nosso concelho e dos nossos jobens"! Mas, abstraindo dos b´s e dos v´s, a ideia já tem raízes e certamente que dará bons frutos.

Presente envenenado

Foi para isto que passaram o S. Teotónio a hospital central?

Nova polémica à vista

Estes batem palmas... e aposto que amanhã com a vinda ao burgo de Braga da Cruz vai surgir mais uma "ajuda" para a Universidade Pública de Viseu!

07/03/2006

Sugestão

E, se amanhã oferecesse um livro a uma mulher?

Também acho!

(...) Será curioso ver como Cavaco resiste à concorrência. Como será curioso ver se, do seu poleiro da SIC, Paulo Portas consegue impedir ou atenuar a unanimidade do "centrão", que por aí se prepara. Os remoinhos só agora começaram.
vpv
(publicado no jornal Público)

Siga o próximo!

As aventuras do “CAPITÃO TROVÃO”


A imagem reproduz a capa de um fascículo que contém apenas um episódio, de uma grande aventura e por esse motivo inclui o resumo seguinte :
“O CAPITÃO TROVÃO, CRISPIM e GOLIAS, caíram em poder dos ferozes Kadoris, cujo rei, Muviro, obrigou o capitão português a lutar contra um grupo de leões. Graças a Sigrid, a filha de Ragnar, o “viking”, que os acompanha nesta aventura, os nossos amigos salvam-se. Nesse momento, as hordas do rei Guru e os seus elefantes selvagens atacam a aldeia e Muviro encontra o castigo das suas crueldades sob as patas de um elefante. Entretanto, o CAPITÃO Trovão luta com o rei Guru, e depois conduz os seus amigos através da selva. Acabam por embarcar em canoas “kadoris”, e dispõem-se a afastar daquelas paragens, quando...”;
E ainda a seguinte legenda, indesejável, a anteceder - CONTINUA:
“Quem será o misterioso indivíduo que protege os nossos amigos? Esse mistério será resolvido no próximo fascículo. Que ninguém deixe de o comprar. Mais uma emocionante aventura do CAPITÃO TROVÃO e dos seus amigos. Uma aventura que irá surpreender pela acção e intriga....”
Esta pequena revista que no formato lembra os cadernos escolares usados nas Escolas Primárias da época, é do tempo em que no Rossio e junto ao Jardim Tomás Ribeiro os engraxadores compravam, vendiam, trocavam e alugavam livros usados. Sim nessa época, finais dos anos cinquenta e até aos anos 70, os engraxadores dedicavam-se a esse negócio. Foi assim que também li : “Cavaleiros Andantes”, “Zorros”, “Condores”, “Mundo de Aventuras”, “Falcões”, “Seis Balas”, “Cowboys”, “Patos Donalds”, “Mickeys” e convivi com muitos dos super- heróis americanos, em edições brasileiras. A malta levava para casa os livros, muitas vezes escondidos entre os livros escolares, ou abancava na Glorieta do ilustre escritor e lia...
As bicicletas e os patins eram alugados, as televisões eram artigo de luxo e é claro que ainda não havia: Gameboys, Nintendos ou PlaySations e os computadores eram do tamanho dos enormes frigoríficos americanos e custavam dezenas de milhar de dólares. Jogavam-se jogos de cartas ou dados e o Futebol era na rua e a fugir do polícia.
O Capitão era apresentado como sendo português para aumentar a empatia com o herói e seduzir, ainda mais, os jovens leitores.
Na verdade este cavaleiro medieval, idealista, paladino da justiça, defensor dos fracos e sempre pronto a combater contra opressores e tiranos, era espanhol e foi uma personagem, um pouco ao estilo do Príncipe Valente de Hall Foster que nasceu da caneta de Víctor Mora Pujadas que escreveu o guião e do lápis de Miguel Ambrosio Zaragoza (Ambrós) que fez os desenhos. O seu nome original era “El Capitán Trueno”. A primeira história foi publicada em 14 de Maio de 1956 e a sua pequena revista chegou a vender, em Espanha, mais de 170.000 cópias semanais. As aventuras do Capitão Trovão e dos seus companheiros foram publicadas em Espanha, na América Latina, em Portugal e em França.
AJ

Capitão Trovão - O Aliado Invisível, Fasc. 8, Vol. 1, Edição Juvenil, Texto e ilustrações de Ambrós , Adaptação livre de Roussado Pinto, Preço 1$50 centavos, Edição da Editorial Íbis, Lda, A. Duque de Ávila 65 r/c., Lisboa, Distribuição da Livraria Bertrand, Rua Garrett, 67, Lisboa, Composição e Impressão na Bertrand (Irmãos), Lda.

Paulo, tás um artista!


"Um Viseu revisitado, amplamente aberto e pacificamente invadido. Recantos e pormenores que diariamente são vistos, tomados como espaços de forma in e sem qualquer confusão. Retoques de cultura portuguesa simbolizada por um atento galináceo adornando pontualmente situações
locais e cenas do mundo. Viseu, afinal é bonito."

Paulo Medeiros na Galeria da Albergaria

Viseu na blogosfera

Há mais um blog a falar de Viseu. Aqui e aqui. Mas por aqui e aqui também!

06/03/2006

E nós por cá? Nem um cêntimo?

Linha da Beira Baixa não consegue seduzir passageiros! Investimento de 100 milhões de euros na electrificação da linha não se traduziu numa melhoria do serviço prestado...
in Público (link não disponível)
A CP tem um estudo onde se aponta a ligação Viseu à Linha da Beira Alta como sendo uma aposta muito lucrativa face ao aumento do numero de passageiros previstos em relação ao investimento a realizar mas apesar deste facto, gastaram-se 100 milhões de euros para ganhar 10 minutos no horário da linha da Beira Baixa mesmo sem passageiros interessados no serviço! Querem saber porquê?

Preservar a história

Uma antiga habitação senhorial de Várzea de Calde, nos arredores de Viseu, vai ser recuperada e transformada em museu etnográfico. (...) O edifício irá concentrar todo o património relacionado com a actividade agrícola que, por falta de espaço adequado, se encontra disperso pela aldeia. O projecto integra-se no Contrato-Aldeia do Programa Operacional da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional (...) inclui a recuperação, em curso, do património paisagístico, natural e edificado de Várzea. A Câmara de Viseu quer alargar o projecto a outras aldeias do concelho.
in JN

E são os dois Ministros!

Afinal, os viseenses dominam na área da saúde! Dum lado o de Torredeita e do outro o do Centro de Saúde 3... De que lado estará a razão? Por mim, aposto no da casa!

É que é já a seguir!

Ora, então agora com o Fórum querem que a malta vá para aqui?

A 1ª parte e a 2ª parte

Num jogo em que o equilíbrio foi a nota dominante, o Académico de Viseu acabou por averbar três pontos num reduto tradicionalmente difícil. Com esta vitória a formação orientada por Jorge Nunes vai no décimo sétimo jogo sem perder, vendo ainda diminuir a distância para o líder, que empatou nesta jornada no seu reduto. O jogo no Parque Desportivo de Campia teve duas partes distintas.
JL Araujo in DRegional

05/03/2006

Farminhónica discussão

Por aqui as coisas andam animadas... a discussão está acesa! Pior só mesmo os cartoons do Maomé!

É do norte, carago!

Um cidadão irredutível... cuidado com o som! O homem fala com as letras todas!

Estamos no bom caminho!



Um dos grupos bancários da nossa urbe caracteriza assim a situação em Viseu:

O distrito de Viseu registou uma diminuição da população residente nas últimas duas décadas.

O Produto Interno Bruto (PIB) per capita é também significativamente inferior à média nacional e a repartição do rendimento pelos 24 concelhos que compõem este distrito apresenta disparidades acentuadas.

A maior concentração demográfica e económica verifica-se na capital de distrito, que representa mais de 30% do emprego por conta de outrém.

O sector da indústria transformadora tem um peso bastante expressivo na região, representando perto de 40% do emprego por conta de outrém.

O sector do comércio é também relevante, representando mais de 30% das empresas sediadas em Viseu e perto de 25% do emprego.

As actividades agrícolas representam perto de 20% das empresas sediadas no distrito.

A taxa de desemprego na região é superior à média nacional.

O ritmo de crescimento do crédito em Viseu é superior à média nacional.

Os índices de sucursais por habitante reflectem níveis de cobertura bancária inferiores à média nacional.

Quem nos acode?

A vida das famílias e das empresas está mais difícil. O Banco Central Europeu (BCE) decidiu, esta quinta-feira, aumentar a taxa de juro de referência em 25 pontos base, para 2,5 por cento. Assim, a partir de agora, as prestações relativas a empréstimos bancários ficam mais pesadas, em especial no que se refere a compra de casa ou de automóvel!

O que faz o vinho!


O Presidente da Direcção da Comissão Vitivinícola Regional do Dão, Valdemar Freitas, foi distinguido com o prémio "Mérito e Excelência" atribuído pela "Essência do Vinho" O prémio consagra, todos os anos, personalidades do sector.
in JN