01/04/2006

Avisos à navegação

Na tomada de posse dos novos corpos sociais da AIRV, Almeida Henriques, presidente do CEC e ilustre viseense, no seu discurso breve, deixou, na minha modesta opinião, uma série de alertas fundamentais para a região. Falando sobre os desafios que se colocam aos empresários e à região em geral lembrou que o novo quadro comunitário 2007-2013 está à porta e Viseu continua a zero. Muitas regiões já trabalham de forma coordenada e estruturada para esta realidade e Viseu ainda nem sequer desenhou as linhas gerais do seu Plano Estratégico, o que se me afigura, tal como ao orador, como uma situação deveras preocupante. Não temos comboio na região, como é sabido, mas já estamos preparados para perder o próximo! E, o triste panorama não fica por aqui nas palavras de Almeida Henriques. Citou ainda factos como a existência de cerca de 20 incubadoras de empresas na região sendo, mais uma vez o número zero o valor a considerar para Viseu. Desacreditado da possibilidade de criação da UP de Viseu, Almeida Henriques deixou em alternativa a ideia que é preciso aproximar o tecido empresarial do meio académico da Cidade, fazendo-as interagir num colégio único, gerador de empreendorismo e de projectos de desenvolvimento para a região, afirmando assim a necessidade de potenciarmos as mais valias da cidade. Se não contamos com os outros, então, façamos das nossas realidades veículos de excelência. O tempo a isso obriga!
Viseu, conheceu nas últimas décadas grande desenvolvimento mas importa, neste momento, sustentar esse espaço e criar novas dinâmicas que não hipotequem o futuro. Partilho com a mesma preocupação do presidente do CEC esta mensagem. Chegados aqui, que caminho queremos que Viseu tome? O momento não permite que se gaste tempo na esperança que outros façam por nós. Viseu tem que "desenhar estratégica e rápidamente" o seu futuro, sob pena de perdermos o comboio do progresso e bem estar social.

Esta é boa

(...) Mas algo não bate certo - por exemplo, as medidas do SIMPLEX 152/ 153/ 154/ 155/ 156/ 157/ 158/ 160/ 161/ 162/ 163/ 164/ 165/ 166/167/169/170/168/149/151/159 e 150 (isto é, 22 medidas só deste exemplo!) são medidas a serem concretizadas pela Direcção-Geral de Viação a partir de Junho de 2006, organismo esse que, pasme-se, de acordo com o PRACE (e respectivo relatório de suporte) será extinto em Junho de 2006. Pergunta: não estará o governo a condenar o Simplex ao insucesso? Como cumprir as metas do programa sabendo os organismos que vão ser simplesmente extintos?

Palácio do Gelo em 2007




Por lá e por cá

Aqui ao lado os "nuestros hermanos" vão recordando aos mais novos a história evocando heróis do passado como foi o nosso Viriato. Por cá, deixamos a história às escuras... por essa razão (e por outras) o nosso futuro continuará sombrio!

A equipa promete!

E, por aqui também há sangue novo.

Novo ciclo

Estão aqui confirmadas as mudanças na PSP de Viseu!

30/03/2006

Preso às palavras


Perdoem-me a menor quantidade de posts mas hoje veio comigo “A Filha do Capitão”! Já me tinham alertado para o facto de esta "rapariga" exercer uma espécie de alquimia, que inevitavelmente nos prende, fazendo com que, seja “impossível” parar antes de atingir o epílogo! Comigo também não está a ser diferente! Por isso, e por enquanto, prometo despachar a "jovem" em privado e o mais rápido que o meu “fôlego”, para as suas 634 páginas me permitir, para regressar ao nosso sempre mundano e critico espaço.

Serão ecos de França?

A juventude por aqui anda um pouco agitada para não dizer assanhada!

Boa pergunta

(...) Alguma da burocracia que nos rodeia é puro ruído. Papelada inventada para sustentar burocratas. Mas nem sempre assim é. Aquilo a que por vezes se chama burocracia é, na verdade, um conjunto de passos, estruturalmente relacionados, destinados a garantir direitos e a preservar bens comuns. O ambiente e o ordenamento do território são disso exemplo - a necessidade de pareceres, por vezes de entidades contraditórias, pode ter razão de ser. Ou, por exemplo, o simples acto de fazer obras dentro de casa pode acarretar riscos imprevistos para terceiros se não obedecer aos preceitos correctos. A burocracia é, por vezes, um travão para o disparate. A redução da burocracia implica responsabilidade acrescida para os agentes envolvidos, a começar pelos beneficiários. Será que estamos preparados para esse acréscimo de exigência?
In DN

Levem o novelo

Se não têm nada que fazer então apareçam por aqui! Eu cá tenho pouco jeito para essas artes, suponho!

Pôe-te na fila...

E, sobre esta aqui já alguns populares e autarcas de Viseu se tinham insurgido aqui contra a intenção do IIPPAARR que pretende classificar como “instalação industrial de interesse público” a grua instalada “há muitos, muitos anos” na rua de S. Lázaro

Mais uma ajuda

Safa, daqui a nada está mais caro que o ouro!

Bons investimentos

A Câmara de Viseu anunciou, ontem, a intenção de dotar cada sala de aula das escolas do 1º ciclo do ensino básico, espalhadas pelas 34 freguesias do concelho, com quatro computadores cada. O resto das contas estão aqui.

Burro velho não aprende

A Polícia Municipal de Viseu (PMV) vai acentuar a vigilância sobre peditórios na via pública por parte de uma empresa alegadamente contratada pela Cruz Vermelha Portuguesa (CVP).
A medida foi anunciada, ontem, pelo presidente da autarquia, Fernando Ruas, após ter sido confrontado com "filas intermináveis" e "conflitos rodoviários" provocados pelos funcionários da empresa que mandam parar os veículos para pedir donativos para aquela instituição de solidariedade social.
A julgar pelo que leio aqui a crise na CVP de Viseu continua! O dinheiro que supostamente seria para a construção da nova sede ardeu em jantaradas e agora é o salve-se que puder!

28/03/2006

Estamos mais perto

E, com o árbitro inglês contra a "nação"!

Uns dias convida...

E outros, nem vida tem!

O síndroma local

19 anos depois o prédio de três andares adaptado, "onde os corredores são estreitos, as escadas íngremes e é grande o barulho", onde "há frio, as instalações são geladas e em época de calor são bastante quentes", onde "As condições são "praticamente nenhumas" ou mesmo "nenhumas" para quem tenha de andar de canadianas ou então seja deficiente motor, vêm à baila porque na ordem do dia está o encerramento de serviços de saúde! E, antes? Quantos ministros já Viseu não teve no poder central? Um quer fechar serviços! E, os outros? Quantos trouxeram para cá mais serviços, seja qual seja a cor que os elegeu? Salazar era da região, morreu há muitos anos, mas o síndroma continua a marcar a politica em relação a Viseu... nada para a terra, não vá haver críticas!

Poucos são os bons que por cá se aguentam

E, pelo que me contam, já é certo que esta em breve também vai mudar de mãos! Mas, para já não querem que ninguém saiba! Será por isso, que nesta agenda a partir de Abril já não há actividades marcadas?

Mais Viseu na net

Viseu também tem a sua história no sapo!

PSP com novo Comando

O Intendente Simões de Almeida vai deixar, no final deste mês, o comando da PSP de Viseu a seu pedido. O oficial vai para Lisboa liderar o Departamento de Armas e Explosivos da PSP. Simões de Almeida esteve cinco anos a liderar a Polícia de Viseu e há muito tempo tinha solicitado a cessação da comissão de serviço à Direcção Nacional. Para Viseu vem um Intendente que estava ao serviço em Lisboa.

aqui o tinha vaticinado, se bem se lembram, e depois do que há um ano infelizmente aconteceu no edificio da PSP, este cargo parece vir recheado de algum sarcasmo. As instituições de quando em quando precisam de se renovar, de sangue novo... e a PSP de Viseu tem vindo a ser solicitada cada vez mais a um exigente trabalho em prol desta que, já foi em tempos, uma cidade pacata! Por isso, deseja-se felicidades a quem parte e boa sorte para quem chega!

27/03/2006

Trabalhar no duro...

Aqui perto ainda os há que agarram no pau e plantam uma árvore! E, por cá?

Fundado em 1914?

Ora, 2006 - 1914 dá? Deixa lá ver... Parecia-me que ainda foi ontem e afinal...!

Bem haja como se diz na Beira

Por isto não posso deixar de ficar grato pela atenção!

Mais Viseu na blogosfera

Viseu é lindo... nas memórias de um estudante!

Concordo

(...) há muito que defendo que os blogues são um meio de comunicação com futuro, mas que provavelmente coexistirão com os meios tradicionais. Por sua vez, estes terão de se adaptar em alguns sentidos mas não desaparecerão (como a rádio não fez desaparecer os jornais e a televisão não fez desaparecer a rádio...), excepto nos casos em que prevaleça o autismo face à evolução da realidade (mas nesses casos, a razão principal do desaparecimento será o autismo e não o aparecimento dos blogues). A blogosfera dificilmente dominará algum dia a arena mediática mas está na minha opinião de boa saúde e continua com francas perspectivas de expansão e crescimento.
André Azevedo Alves in
O Insurgente

Ver para crer! (Actualizado)


Da propaganda do DR electrónico e gratuito para todos os cidadãos à realidade ainda vai uma distância grande!
E.T. Ao Pedro deixo aqui a minha penitência! À ideia original o apreço pelo blog!

Informe-se! Participe!

A Comissão de Utentes dos Serviços Públicos de Saúde do Distrito de Viseu promove já amanhã, a partir das 9 horas, na feira semanal de Viseu uma iniciativa de recolha de assinaturas em defesa dos serviços públicos de saúde, em especial, da rede de Urgências nocturnas, ameaçadas de fecho. Na quinta, de tarde, a partir das 14,30 h, no Rossio, em Viseu repetem a iniciativa!

Confirmado

Que vos dizia eu? O Verão já se adivinha chamuscado... Oxalá até lá, estes "conflitos" se resolvam, a bem de todos e por todos!

26/03/2006

Há cromos e cromos!

Cromos pelo burgo não faltam, mas como os do AJ há poucos e os poucos que há vão aparecendo aqui junto com outras queixas do Viriato!

A convulsão na ordem do dia

Estejam atentos aos jornais amanhã. Hoje nos 120 anos dos Bombeiros Voluntários as queixas foram mais que muitas! Já não há espuma que chegue para apagar tanto fogo!

Viseu e Benfica

Por cá também os há! E, estes não recebem apoios para compra de património, que eu saiba!

Agora multipliquem por 18!


O fim próximo dos governos civis foi anunciado no âmbito da reforma da Administração Pública considerando esta medida essencial à modernização do País. Afinal o governo vai manter em funções os 18 governadores civis e o seu séquito. Já em 2002, Durão Barroso se a memória não me falha, o tinha prometido mas acabou apenas por os esvaziar de competências afirmando a inutilidade da sua existência e descredibilizando completamente o cargo. Nessa altura, tal como hoje, o "tacho" continua a ditar a lei...