29/04/2006

Para finalizar, lembre-se o fundamental

A Comissão Europeia adoptou, a 3 de Março de 2004, um novo conjunto de medidas, genericamente designadas por Pacote Ferroviário III (PF III), com o objectivo de conceder novo impulso à revitalização do caminho-de-ferro comunitário. Tais medidas surgem na sequência do Livro Branco sobre a Política Comum de Transportes, das directivas que integram o PF I (já transposto para o direito interno pelo Decreto-Lei 270/2003, de 28 de Novembro) e da adopção, a 16 de Março de 2004, do PF II, pelo Parlamento Europeu e pelo Conselho.
A revitalização do transporte ferroviário na União Europeia constitui só por si um importante contributo para a criação de um sistema de transportes sustentável e para a realização do mercado único europeu. E, onde estava Viseu nesta altura? A dormir? Pois, é tempo de acordarmos e continuarmos a lutar por
isto.

Campeões das rotundas

Mas, ainda sobre rotundas (safa, hoje estou redondo nas questões), ainda há por esse País fora, casos bem mais caricatos. Ora leiam:
"(...) Mas o padrão, o arquétipo de tudo isto é, sem dúvida, a rotunda. Não seria possível, talvez, entender a contemporaneidade sem essa muleta urbanística omnipresente. Os autarcas amam e difundem as rotundas com volúpia, como se não houvesse amanhã. Nada se vulgarizou mais do que este elogio ao redondo, ao circular, do que esta herdeira distante da invenção da roda, quiçá com laivos esotéricos impulsionando, através da circunferência, um simbolismo novo e só de alguns conhecido.
(...) Longe de mim querer ser redundante, mas li recentemente que no município de S. João da Madeira se procura moderar este entusiasmo. Eliminar 11 rotundas, eis o objectivo camarário. Parece muito? Não é. Esse simpático concelho possui 110 destes círculos rodoviários, em oito quilómetros quadrados!!"
Bernardino JN a 21-01-05

Circular em rotundas

E, já que falamos em rotundas e, estando Viseu perto de registar no Guiness o maior número de rotundas em espaço urbano, deixem que vos deixe aqui a forma correcta (?) segundo a legislação em vigor de circularem nessas vias. Claro, que o abaixo descrito, aplica-se na generalidade das rotundas, pois naquelas que são construidas de "forma especial" aí o melhor é aplicarem a regra do "todo o cuidado é pouco", como é o caso da entrada na Rotunda da "antiga estação" vindo do Túnel de Viriato. Se sairem do Túnel e seguiram para a avenida da Europa, atenção aos veículos que no mesmo sentido seguem à vossa direita e pretendam seguir para a Av. António José de Almeida. Mas, adiante e vamos então à regra geral:
Tendo em conta as disposições aplicáveis do Código da Estrada, na redacção que lhe foi conferida pelo Decreto-Lei nº 44/2005, de 23 deFevereiro, na circulação em rotundas os condutores devem adoptar o seguinte comportamento:
1. O condutor que pretende tomar a primeira saída da rotunda deve:
- Ocupar, dentro da rotunda, a via da direita, sinalizando antecipadamente quando pretender sair.
2. Se pretende tomar qualquer das outras saídas, deve:
- Ocupar, dentro da rotunda, a via de trânsito mais adequada em função da saída que vai utilizar;
- Aproximar-se progressivamente da via da direita;
- Fazer sinal para a direita depois de passar a saída imediatamente anterior à que pretende utilizar;
- Mudar para a via de trânsito da direita antes da saída, sinalizando antecipadamente quando for sair.
Sinalização de manobras:
- Todas as manobras que impliquem deslocação lateral do veículodecorrente da mudança de via de trânsito ou saída da rotunda devem ser previamente sinalizadas.
Que tal? Fácil, não é?

À roda da questão


Para muitos turistas que visitam a nossa cidade (e até o País), Viseu apresenta-se como a “capital das rotundas”. Um epíteto que muito deve ao surto verificado nos últimos anos, que transformou inúmeros dos antigos cruzamentos em praças giratórias, como forma de melhor fazer fluir o tráfego e, consequentemente, de reduzir o número de acidentes. Mas, serão todas construidas a pensar nesta finalidade? Ora vejamos, alguns exemplos que o AJ nos traz, desta vez de máquina apontada à EN 2, saída de Viseu por Abraveses:
Entre o Alto de Abraveses e o IP5 foram construídas 5 novas rotundas. Só vendo é que se acredita nalgumas das soluções encontradas para o local! É facto que as rotundas estão muito bem cuidadas já o mesmo não se podendo dizer dos separadores centrais? Ora comparem a imagem visual duma delas e atentem no efeito prático do mesmo espaço visto de cima. Se quiserem saber mais sobre rotundas, vejam aqui. Elucidados? Pois, então expliquem-me estas!

Apostas locais

Ao que consta em Setembro acelera-se por aqui.

28/04/2006

Apontar na pedra do gelo

A moda já chegou aqui.

Verão, antes assim que assado

Porque será que me cheira aqui a esturro?

Aos abrigos!

Isto era para ter piada?

Aposta no termalismo

As pessoas que nos visitam queixam-se sobretudo da falta de qualidade do alojamento, da falta de embelezamento das poucas estruturas existentes e da própria terra e a falta de cuidado das câmaras municipais.
Leal Loureiro in
Voz das Beiras sobre as Termas de Alcafache

Não era necessário mas agradece-se a referência

Relativamente ao rol de iniciativas desfiadas, mais de uma dúzia, muitas ganharam lugar cativo no calendário concelhio. Projectos já firmados como a Festa das Freguesias, Viseu Naturalmente, Marchas dos Santos Populares ou Viseu, Senhora da Beira vão ao encontro de públicos heterogéneos, sem perderem a ligação a valores próprios, ao mesmo tempo que contribuem para dimensionar a identidade cultural. Outras iniciativas mais recentes dirigem-se a públicos específicos, os quais, sempre que a elas aderem, as assinalam como mais valia qualitativa nos índices de qualidade de vida da cidade.

Henrique Almeida em
Jornal do Centro

A voz da indignação (ou da razão)

O Pedro Jorge Coelho manifesta-se aqui indignado pela ausência de comboio em Viseu. Faça como ele, e como bom viseense, manifeste-se também aqui.

27/04/2006

Quem faz pode errar, quem não faz já errou



Nalguns locais já se vêm coisas destas. A linha de transportes está sinalizada e tem indicação dos horários! Espera-se que agora, coloquem em todos os locais e mantenham actualizada a informação! Mas é caso para aplaudir!

E, para o lazer

O Google Earth (nova versão) já permite ver "Viseu" de satélite, com bastante pormenor. Baixem o programa, instalem e divirtam-se! Se não quiserem ter esse trabalho também aqui se consegue dar uma espreitadela... Fica aqui um cheirinho!

No círculo o "mamarracho"!

Até de satélite é bonita a vista...

Ambientalmente falando

Há maus cheiros por aqui. E, não só!

Informáticamente falando

Para os adeptos do Counter Strike há festa por aqui!

Religiosamente falando

Consta por aqui que o nome de D. Manuel Clemente é o mais falado para substituir D. António Marto na Diocese de Viseu. O bispo auxiliar de Lisboa poderá assim vir para Viseu. Será?

Desportivamente falando

Enquanto por aqui se fala de mais uma edição dos Jogos Desportivos dos concelhos, o Mo(vi)mentos fala sobre a migração dos melhores atletas de Viseu, na procura de condições, para poderem praticar e evoluir no desporto de competição. Ao mesmo tempo o DRegional dá conta que no Andebol a FAP não atribuíu uma unica prova nacional a Viseu. Coisas curiosas, estas!

26/04/2006

Autocolantes do Dia


Distribuido no Rossio... recolhido pelo AJ
Este? Fica à vossa imaginação...

Produtos locais

Estas sessões no burgo começam a ser um verdadeiro "case study" politico. E, apesar do ruído provocado (algum dava temas para os Stand Up Comedy) uns presidentes de junta teimam em fazer a sesta nestas ocasiões.

Isto agora anda a vapor? Ponham energia nisto...

Oh, meus amigos... vamos lá, divulguem, insistam, recordem e lutem pelo nosso futuro! A linha está a ficar mais lenta agora! Cliquem aqui e assinem! Vá lá, é indolor (e incolor)!

Linhas Férreas a Concurso - Viseu em 1888


O sr. Ministro das obras públicas apresentou às côrtes no dia 1º do corrente mez de junho de 1888 uma importante proposta para a construcção dos caminhos de ferro ao norte do Mondego. Como seja bastante extensa, não a daremos na integra, mas resumil-a-hemos nos seus pontos culminantes.
As linhas, cuja construcção e exploração o governo põe a concurso são as seguintes:
1.ª - O prolongamento até Bragança do caminho da Foz Tua a Mirandella. (…)
2.ª - Caminho de ferro de via reduzida (1 metro entre as faces interiores dos carris), que partindo de Vidago e passando pelas Pedras Salgadas , siga por Villa Pouca de Aguiar, Villa Real, Regoa, Lamego, Villa da Ponte, Moimenta da Beira e Trancoso a entroncar em Villa Franca das Naves na linha ferrea da Beira Alta. (…)
3.ª - Duas linhas ferreas, adjudicadas a uma só e mesma empreza, de via reduzida, de Chaves a entroncar na linha ferrea do Douro, seguindo o valle do Tamega; e de Braga a entroncar na linha do valle do Tamega, em Cavez, seguindo por Guimarães e Fafe. (…)
4.ª - Linha ferrea que partindo de Mangualde, na linha da Beira Alta, vá entroncar na estação de Recarei, na linha ferrea do Douro, passando por Viseu e S. Pedro do Sul. O máximo de extensão kilometrica comportado para a garantia de juro será de 157 kilometros e o preço kilometrico será de 30 contos.

Do exposto se vê que a 2.ª e 4.ª mencionadas linhas interessam muito particularmente a este districto de Viseu - e estamos convencidos de que mais tarde ou mais cedo a 4.ª linha dará para Lamego um ramal, partindo de S. Pedro do Sul por Castro d´Ayre.
Tambem uma empreza constructora já pediu e obteve licença para fazer-sem subsidio algum do governo-uma linha ferrea directa de Coimbra para a estação de Santa Comba- Dão na linha da Beira Alta, com o que muito deve lucrar Viseu, porque a nova linha é para assim dizer-continuação do ramal de Viseu até Coimbra em recta e será o caminho mais curto entre Viseu, Coimbra e Lisboa.
(...)


Pedro Augusto Ferreira, Bacharel em Theologia pela Universidade de Coimbra, cavalleiro da ordem da Nossa Senhora da Conceição de Villa Viçosa, socio effectivo da Real Associação dos Architectos Civis e Archeologos Portugueses, socio fundador da Sociedade de Instrucção do Porto e abbade de Miragaya na mesma cidade In, PORTUGAL ANTIGO E MODERNO, DICCIONÁRIO de Augusto Soares de Azevedo Barbosa de Pinho Leal, continuado pelo autor, Lisboa, Livraria Editora de Tavares Cardoso & Irmão, 5 - Largo de Camões – 6, 1890.
Enviada pelo AJ para ajudar a discussão sobre isto.

Buscarle cinco pies al gato?

Autarquia quer realização do Iberrock em 2007.
in
DRegional

Finalmente...

A Junta Metropolitana da Grande Área Metropolitana de Viseu (GAMVIS) "ficou mandatada para continuar a desenvolver o trabalho em prol de um plano estratégico" para a GAMVIS (...) e vai trabalhar por outro lado, na (...) "elaboração de trabalhos estratégicos nas vertentes da inovação, da produtividade e das qualificações", e igualmente daquilo que "serão as infras-estruturas comuns aos vários municípios", na perspectiva de se preparar "esta grande região para o próximo Quadro de Referência Estratégica Nacional.
in
DRegional
Ler também ViseuMais

A opinião dos leitores

Este é um tema recorrente em vários spots deste e até de outros blogues, onde tenho feito alguns comentários no sentido de se centrar a discussão naquilo que me parecem ser os aspectos mais substantivos. Recapitulando, podemos afirmar que o Dono de Obra (CMViseu) decidiu remodelar o espaço do antigo mercado municipal, situado em pleno centro, na zona comercial e cívica tradicionalmente mais nobre da nossa cidade. Escolheu o "Mestre" Siza Vieira para projectista. Até aqui tudo bem. Não sei é se no programa do projecto, sempre da responsabilidade do Dono de Obra, já se contemplava uma futura ocupação da nova "praça" com comércio e serviços adequados, tendo presente a nobreza da sua localização, de grande atracção e vivência, o verdadeiro centro da cidade de então. E julgo que esta premissa seria indissociável do próprio projecto, sempre com o respeito pela liberdade de criação do seu autor, aliás de mais que consagrado mérito, pois os espaços a criar teriam de ter em conta essa prevista ocupação, ou, evolutivamente, o projectista até ter sugerido outras. Parece-me, no entanto, que o produto final não terá correspondido aos objectivos dos viseenses, tenha ou não havido um programa bem estabelecido, como atrás referi, pois aquele espaço definhou e pelos vistos quase "matou" o antigo centro da cidade! Ora é aqui que importa olhar de frente para o problema e tentar encontrar uma solução e sem mais delongas, pois outras centralidades se vão organizando na cidade, fruto até do seu desenvolvimento, contribuindo para que o antigo centro emblemático de Viseu, memória de todos nós, se extinga de vez. E não será com pedidos avulso a este projectista, do tipo « retirar as grades para melhorar o acesso ao público», ou com a baixa do aluguer das lojas, com ocupações nitidamente desenquadradas de um programa mais selectivo (como por ex. de artigos desportivos ou afins), que vamos lá. No artigo do JN, referido neste spot, aparece no final e curiosamente pela boca de comerciantes ali instalados, algumas boas ideias, como, por exemplo, a de que "Temos de promover iniciativas temáticas para atrair público, instalar restaurantes e esplanadas" ou de que "Podem recuperar as feiras das flores, dos hortícolas e por aí fora para revitalizar este espaço". A CMV, a meu ver, só tem que agarrar melhor nesta situação, promovendo o debate e reflectindo sobre as opiniões mais válidas, já expressas por muitos viseenses atentos e interessados na sua cidade.
beirão 04.26.06 - 1:03 am

25/04/2006

Viseu e Benfica na 1ª

A confusão está lançada. Ora reparem bem! Se o "esperado milagre" não acontecer para o "Farminhão" para a próxima época vamos ter três equipas na 1ª Divisão Distrital, mas o Fontelo continuará a ser "municipal" e os apoios financeiros "locais", quase que aposto! E, pior vai ser o sorteio dos equipamentos... Quando "A primeira outorgante entregar ao segundo, 50 calções, 50 t-shirts e 50 bolas, em cada uma das épocas do presente Acordo" quando for o jogo Viseu Benfica x AVFC quem joga com a àguia ao peito?

Sai um livro e um pastel

Aqui perto o livro já tem feira marcada. E, Vouzela merece uma visita...

Há por aí uma máquina de calcular?

Eu de contas percebo pouco, confesso... e sobre estas aqui muito menos! E mais baralhado fico depois de ler aqui que a participação no capital social no valor de 300.000 € no extinto Clube Académico de Futebol, continua a figurar no activo.

Afinal quem pagou a obra? O Siza ou a Sisa?

E quem é que aqui lhes atou as mãos?

Os anos passam e,

E, já lá vão 32 anos. E, «O Parlamento português é hoje o elo mais fraco do sistema democrático. É a mais desprestigiada de todas as instituições, mesmo mais do que os tribunais, em quem já ninguém confia.» António Barreto in Público (23/4)
E, continua a existir muita desigualdade social, e estamos na cauda da Europa e, etc. etc... mas ainda bem que um dia se fez a LIBERDADE!

24/04/2006

Um bilhete para Viseu, se faz favor!

O Rui (foi) Bondoso trouxe-nos para as nacionais. Estamos a caminho das 250.

Noutros tempos

Uma reliquia do AJ... na minha caixa do correio! A feira já teve outras datas e... outra vida também!

GDR - 40 anos depois

25 de Abril (Terça-Feira)
10:00 – Corrida/Treino Convívio “40 ANOS” - Aberto a todos

29 de Abril (Sábado)
14:00 –Seminário no Solar dos Peixotos "40 ANOS DO GRUPO DESPORTIVO “OS RIBEIRINHOS”
20:00 – Jantar de Aniversário no “Solar do Verde Gaio”

30 de Abril (Domingo)
10:00 – Atletismo no Rossio para crianças dos 5 aos 10 anos
18:00 – Encerramento da Exposição “40 ANOS” na Casa da Ribeira.

Nós por cá


Rua Dr. Azeredo Perdigão, lado direito logo depois dos blocos do Serrado, segunda árvore para quem sobe.

Cultura no ISPV



No próximo dia 28 de Abril, pelas 21,30mh, vai ter lugar na Aula Magna do Instituto Superior Politécnico de Viseu o I FESTIVAL INTERNACIONAL DE COROS.
O Orfeão Académico de Viseu é o anfitrião do festival que conta com as participações do Coral Juvenil “Sílvia Marques” de Mortágua e um dos mais consagrados Coros a nível mundial, O Coro “Aurora” de St. Petersbourg da Rússia.
A entrada para este espectáculo é gratuita.


23/04/2006

Missas e caldos de galinha...

Há um ano o 25 foi numa casa mortuária ou parecido com isso... e este ano, pelo que aqui leio (e perdoe-me o homenageado pois não tenho nada contra ele da mesma forma que ele "não tem nada contra a ditadura") não seria preferível ser a 24 numa igreja? Vou esperar para ver... Salva-se porém a ideia que "Não há nada que substitua o comboio. Os políticos deviam trabalhar nisso muito a sério. Ainda hoje não compreendo porque é que a linha da Beira Alta se desviou da capital [Viseu]."
Pois então, eu, não compreendo nem uma coisa nem outra! Expliquem-me se souberem!

Os dois lados da questão

No balanço é só brilharetes... na prática, enfim!

Noutros locais a invasão foi de dragões

Simples e práticas. E belas também.
S. Pedro do Sul e Vouzela,
11.º Encontro Nacional, promovido pelo "4.clube.portugal".

Bons exemplos estes

Pelos miudos... O Dínamo Clube da Estação não para! Há mais aqui.

A liberdade tem preço

Atenção, não se enganem! Só o Curso é que é livre... as entradas são pagas!

Não perca o comboio

Mais um blog que apoia a causa. E, a primeira carruagem está cheia, já chegámos aos 200 na hora que escrevo este post. Os bilhetes para a próxima continuam disponíveis aqui!
Reserve já o seu lugar.