27/05/2006

Mais ajuda que isto não contes, ok?

Oh Zé Maria... enche o peito de ar e atira-te a ela rapaz!

Passeando na blogosfera local

Se tiverem tempo dêm por aqui uma volta pela Rua Direita!

Estamos na onda

Se os "espiches" representassem euros... ainda registava os direitos de autor!

Sair bem na fotografia

Por aqui e graças à liderança da entrevistada está a ser conduzido um trabalho digno de referência. A região e Viseu precisam desta aposta numa maior e melhor qualificação.

Valha-me Deus

Amanhã a cidade tem ruas cortadas e uma nova beata... e, muitas outras promessas! É mesmo disto que o povo precisa...

A saúde, bem precioso

No meio destas perdas e destes ganhos, o lucro ficará do lado dos viseenses? Esperemos que assim seja...

Vale mais andando que desandando

O Andanças já está em curso... Mais informações aqui.

Tens aí espelhos, Fernando?

No ano em que se festeja os 500 anos do nascimento de São Francisco Xavier há mais CONVERSAS NA LIVRARIA. O Padre Jesuíta João Caniço vai estar por lá quarta-feira, 31 de Maio, às 21h para falar de São Francisco Xavier e dos Jesuítas! E, na sexta feira seguinte a coisa promete... O Professor Manuel Maria Carrilho vai estar na Livraria da Praça no dia 2 de Junho, sexta-feira, às 21h, para apresentar o seu novo e polémico livro onde faz um balanço da sua campanha às autárquicas de Lisboa. Para quem assistiu a isto a coisa promete!


Lembrando Aquilino


-“Perdôo tudo (!) Até mesmo que me roubem (!!) só não perdôo a um homem preso que não se esforce por fugir!”.

AQUILINO RIBEIRO

“(…) António Maria Monteiro achava Aquilino grande, também fisicamente grande, para poder passar despercebido, mesmo vestido de mulher. E o outro comparsa o mais pequenito, era de opinião que o nosso Aquilino Ribeiro deveria sair misturado num grande grupo de amigos visitantes.
Por fim, o Sapateiro falou da tal porta da loja sob o sobrado do quarto dos presos. E foi a descoberta do caminho terrestre das índias libertadoras. (…)
Dos que entraram na aventura maravilhosa só o tal “janistroques” do jornalismo ainda está vivo, Arnaldo Malho – cujas mãos de forjador faziam gemer e seduziam o ferro que depois de espirrar, de cantar, de chorar e de rir passava do rubro ao jeito e à forma de folhas e de pétalas e floria como que encantado de ser vencido pelo artista! – Arnaldo Malho fez a chave para abrir a portasita, que dos baixos da prisão dava para o lameiro, a noroeste.(…)
O “Ai-ó-linda” não haveria de servir apenas no Éden lisboeta, de negregada memória, para abafar queixumes. Foi usado, naquela tarde bonita de fim de verão, para não ser ouvido o réque-réque-réque do serrote a cortar o sobrado na largura de um homem. Por sinal, até passaram dois pelo buraco, safando-se para a liberdade! (…)
Cá fora, sobre o muro, tendo debaixo de olhos quanto fosse de perscrutar até à estrada nacional Viseu - Sátão, estava quem lhe garantia a segurança. E de aí em diante – ala! Que se faz tarde!” (…)

GILBERTO DE CARVALHO

“Aquilino Ribeiro (Pequenas coisas num grande homem)”
Texto de Conferência proferida na Casa da Beira Alta, no Porto, em 1968

Gilberto de Carvalho nasceu e faleceu em Viseu (30/10/1904 e 08/09/1973). Foi Aprendiz de Serralheiro, Ferroviário, Tipógrafo, Agente de Seguros e Jornalista - actividade que prossegui até à hora da morte…A crónica do incêndio que destruiu a Casa de Saúde de São Mateus, junto ao Campo de Viriato, tem a sua assinatura, embora estivesse prostrado no leito, gravemente doente e não a tivesse escrito.
Amigo muito próximo de Aquilino esteve envolvido na sua fuga do Presídio Militar do Fontelo, actual Solar Vinho do Dão, onde o escritor se encontrava detido por estar metido num golpe que visava derrubar a ditadura militar, envolvendo civis e militares de Caçadores 10, de Pinhel, que pretendiam dirigir-se a Lisboa de comboio, no dia 21 de Julho de 1928.
AJ

Marketing saloio

A propósito disto o AJ manda-nos esta foto duma nova bandeira nacional encontrada ali prós lados de Sta Eugénia, a Euronics Flag... Enfim, o patriotismo ocasional no provincianismo de sempre!

26/05/2006

Mo(vi)mentações

Estes mo(vi)mentos têm alguma coisa a ver com estes mo(vi)mentos? No meio de tanta inércia isto não serão movimentos a mais?

Who knows?

Who will be the New Bishop of Viseu? As habitually, already rumors run on the successor of D.António Marto. One of revelantes, mentions D.Carlos Azevedo or D.Manuel Clemente as its successive possiveis, what in the practical one until they have some logic…
Also it has who says, that after Bishop of Fátima, D.António will become Cardinal Patriarch or will go for the Vatican… But rumors are rumors...
Rafael Luís Dias Almeida

25/05/2006

Museu Virtual, pois então!


Oops... hoje vim aqui à procura do Museu Virtual que foi anunciado com pompa e circunstância no passado dia 20 de Maio! Do Museu nem sinal, resolvi aproveitar a viagem e ver o que tinha para oferecer ao cidadão, cliquei e surpresa! Esta coisa digital é de facto um mundo acabado de surpresas... e não só mas também!

Aos abrigos!

Mas, que raio de coisa é esta? Nem sei se ria se chore...

A registar

A livraria agora até música nos dá... já que a leitura não entra pelos olhos, que entre pelo ouvido! E, já aqui tinha sido notado. Em alternativa, no Solar do Vinho do Dão, no dia 27 de Maio pode assistir às III Jornadas Aquilinianas, mas neste caso, leve 15€ no bolso!

O Natal é quando um homem quiser...

Ao que me constou "alguém" ofereceu esta prenda antecipada ao responsável do IDP Viseu...

Organizem-se... ou vão à falência

Duas cabeças, duas sentenças... Nem sobre isto se entendem e ainda esperam milagres a cèu aberto!

Ainda no Plano

Alguns dados sobre o PROT-C vêm hoje aqui. E, o cenário que o Plano Regional do Ordenamento do Território do Centro que em 2020 a Região Centro pode ter menos 112 mil pessoas e dalgumas das suas zonas do Interior registarem um aumento das disparidades territoriais relativamente à média nacional não são nada animadoras. E, quem vai estudar as medidas para contrariar esta previsão e definir as estratégias e as opções de desenvolvimento e de ordenamento do território da região é uma personalidade nortenha... curioso, não é? Não havemos nós de ter "capital de queixa"?

23/05/2006

Plano para a Região Centro

A sessão pública de lançamento do Plano Regional de Ordenamento do Território do Centro (PROT-C) está prevista para a próxima quarta-feira, dia 24 de Maio, no Solar do Vinho do Dão, em Viseu, pelas 16h30. A região Centro contará assim, pela primeira vez, com um plano de âmbito regional no qual serão definidas as estratégias e as opções de desenvolvimento e de ordenamento do território.
Segundo uma nota emitida pela Comissão de Coordenação de Desenvolvimento Regional do Centro, o PROT-C será um referencial importante para o nível municipal do planeamento, em particular no que respeita a orientações para a revisão dos Planos Directores Municipais, assumindo-se também como o instrumento capaz de fazer a aproximação e a coordenação das políticas sectoriais ao nível do território.

Para ler com atenção...

Aqui encontram-se dados sobre a região Dão-Lafões que merecem uma atenta leitura e profunda reflexão. Ora vejam:
(...) Viseu é a aglomeração estruturante deste território e, embora inserida num espaço de muito fraca dinâmica demográfica, faz parte do conjunto das áreas urbanas que na década de 90 apresentaram os mais elevados crescimentos populacionais. A capacidade de Viseu estruturar uma aglomeração urbana alargada (Mangualde, S. Pedro do Sul, Tondela, Nelas…) será determinante para a dinâmica de desenvolvimento desta área.
(...) Dão-Lafões tem vindo a revelar uma tendência de reforço do seu peso na economia nacional, mas não ultrapassa os 1,7% do PIB (para 2,8% da população e 3,8% de área) e encontra-se entre as 6 NUTS III de mais baixo PIB per capita (63% da média nacional). A agricultura apresenta uma grande fragilidade competitiva e o peso ainda significativo do sector secundário deve-se em grande parte à dimensão relativa da construção civil. (...) Os cenários de crescimento económico apontam para um sério problema de suporte à base económica deste território. No horizonte 2020, a indústria representará apenas uma pequena parcela do crescimento, que será, deste modo, um crescimento essencialmente terciário. No entanto, o crescimento do sector terciário, sobretudo na sua componente mercantil, poderá não ser viável sem uma maior capacidade exportadora da indústria, sem o desenvolvimento de serviços com procura extra-regional (turismo, serviços empresariais) ou sem a expansão de serviços financiados a partir do exterior (serviços sociais de financiamento público, ensino superior.
(...) O reforço do peso de Dão-Lafões na economia nacional, para que apontam as dinâmicas da última década, exige uma boa articulação de medidas de suporte ao crescimento dos serviços com políticas dirigidas ao reforço da base industrial. A população total continuará a diminuir, excepto nos cenários económicos mais optimistas, em que poderá haver um ligeiro crescimento. O cenário demográfico de base aponta para uma perda de 10% da população entre 2001 e 2020.

Projecto Gulbenkian

E este projecto também é para os alunos mas passa pelos professores de Viseu interessados na matéria.

Concentrar esforços na educação é sempre bom

A Câmara Municipal de Viseu (CMV) quer acabar com as pequenas escolas, com poucos alunos e recursos precários, e substituí-las por centros ou unidades educativas de excelência. Ler mais aqui.

Malta, toca a clicar...

Jovens, estas são boas noticias para a região e para quem se encontrar à procura do 1º emprego. Há mais informações aqui.

22/05/2006

Causas comuns

Até a SIC já passa o apelo. Ajudem também...

Recordações de Viseu - O Pavia



Aos domingos – quando as lojas abriam
Para encerrarem ao meio-dia
Os caixeiros e os marçanos, todos sentiam
A fluvial euforia
De passarem a tarde nas águas do Pavia
Coisa que hoje nem se acredita!...

...Naquele tempo belo – existia
Uma marinha viseense!
As barcas da tia Cristina e da tia Rita
(Como tudo isto desapareceu)
Se recordar é vida que se renova
Pois o futuro a Deus pertence
- Meto-me numa barca e lá vou eu!...


... Passar a ponte, à vara – sem lhe tocar
singrando nas águas profundas da Parede Nova
sempre a remar a bom remar
rumo ao Poço do Nicolau
para chegar depois – ao areal da Cerdeira
lembrando praia das areias finas
atracando a barca, à sombra dos amieiros
despejo a jarra que enchi no Júlio da Ribeira
Petiscando bolinhos de bacalhau !.....
Vou até ao areal das “meninas”!

Onde faço juízos matreiros
Umas vezes à vara – outras a remar
Quantos foram hoje os meus companheiros
Nesta barca da saudade a navegar
Até às Três Pedras, até à Ponte de Pau?...


... às vezes fico a meditar
Quando escrevo estas recordações
Como era possível:

Remar!
Mergulhar!
Nadar!
Lanchar!
Navegar!

Uma tarde inteira
Nas barcas da Ribeira
Por pouco mais de dez tostões!...

Ricardo Sandro

" Ricardo Sandro" - o Sr. Madeira, antigo vizinho do AJ

Para tudo há explicação... ou quase tudo!

Este azar aqui naturalmente que tem uma explicação... basta passar por lá!

Ainda no Dão

Por aqui há promessas... e talvez pudessem começar por aqui (o site já funciona, mas de agenda zero e nas outras línguas é uma autêntica "algarviada inglesada e espanholada" com português à mistura!

O barrete é para quem o enfiar...

E, para quem é o recado?

E o Dão fica onde?

Vinhos do Douro estão entre os melhores do Mundo
Titulo do Diário Regional

Passo a passo

Por aqui foi dado mais um passo na "preparaxão xólida"... resta saber se é na direcção certa!

Comentários dos leitores

A propósito disto, diz o sempre atento e oportuno beirão:
"Esta entrevista tem interesse por se tratar de um tema tratado num livro de estudo/reflexão sobre o desenvolvimento da região, no período anterior a 1939 e que curiosamente se mantem actual! Saliente-se:"Mas está só aí a explicação para o atraso?
Muito embora as maldades do poder central relativamente aos territórios do interior pudessem ser grandes, a explicação também está nas dinâmicas locais. As próprias dinâmicas locais nem sempre eram as mais correctas.A quem se refere quando fala em dinâmicas locais? Os deputados eleitos, as próprias elites, muitas vezes confundem os seus interesses particulares com os interesses de determinados territórios, não quer dizer que tenham completa consciência disso, consideram é que os seus interesses se identificam com os interesses do território. Se calhar essa postura ainda hoje se adopta. Obviamente que sim, continua a ser verdadeira. As grandes reivindicações acabam por não ser ouvidas, são feitas sem ter uma visão de conjunto que o desenvolvimento exige e, por isso, se calhar, é que não temos a regionalização".
No entanto eu também acrescentaria que...muitas vezes confundem os interesses conjunturais de natureza partidária, com os reais interesses da região que representam."
beirão 05.21.06

21/05/2006

Repensar a cidade


Para quando as autarquias (Câmara e Juntas), instituições e associações de ensino, culturais, desportivas, sociais e cidadãos se juntam e fazem uma iniciativa para pensar e repensar Viseu?
O desafio vem
daqui... e a julgar pela imagem encontrada por aí, acho que é tempo de lançar mãos à obra e pôr a ideia em prática!

Faz o que eu digo... não faças o que eu faço




Na altura os jornais deram eco da intenção da CMV de acabar com a "agressão ambiental visual" espalhada sem regras pelas freguesias... O Presidente desta Junta, ao que parece, não só não aderiu à causa como a fomenta e pelos vistos, tem mais parcerias com as Câmaras vizinhas do que com a do burgo!

Viseu no Mundial

A cidade e os viseenses apoiam a Selecção... Feliz ideia esta!