15/07/2006

Duas versões...

Versão A:
As obras de construção do Exomuseu do Quartzo, no Monte Santa Luzia, "arrancam, sem falta, durante o próximo mês", revelou ontem ao nosso Jornal Fernando Ruas, presidente da Câmara Municipal de Viseu. A estrutura vai ser integrada na rede de Exomuseus da Natureza do Museu Nacional de História Natural.

Versão B:
Por falta do avanço do Governo, garantindo o apoio financeiro prometido (à volta de 60 %), não andam as obras do Exomuseu, a construir no Monte de Santa Luzia. A Câmara Municipal aguarda, a qualquer momento, a homologação da candidatura, já aprovada pelo Ministério da Ciência e Ensino Superior. E só falta isso para que a consignação seja feita. Nesta fase serão investidos cerca de um milhão de euros. O vice-presidente da autarquia viseense, Américo Nunes, adiantou ao ‘NV’ que o início das obras está preso por pouco, mas ‘vamos ter que esperar’ até que se abram os cordões à bolsa.

Não acontece só ao vizinho

Anda pelo burgo uma gatunagem que é obra... acautelem-se!

Água mole em pedra dura

O AJ bem se esforça pela defesa da Cava... e por aqui muito se tem escrito! Pelos jornais é o que se vê... Resultados práticos? Zero!

Deixa-me aplaudir

O AJ mostra-nos que, finalmente, andam a limpar o lixo do Rio Pavia com uma balsa e um aspirador!
A "janela" cuja vedação estava feita com uma grade de madeira já tem uma grade de ferro colocada pela CMV. Por vezes a coisa vai... demora é a eternidade própria da burocracia!

Será?

Consta que o novo treinador do Viseu Futsal 2001, Sandro Parise, já desistiu da ideia de ficar por Viseu.

Traz aí o extintor....

Decididamente, esta malta anda muito acalorada... será dos incêndios?

Massa critica? Onde?

Ao que ouvi nas noticias locais já terá tomado posse a nova Assembleia Metropolitana da GAMVIS. Na ocasião foi anunciado que vai ser elaborado por uma empresa um estudo estratégico da GAMVIS, o que não deixando de ser uma boa notícia (peca por tardia) mostra como não existe nas instituições dinâmica de vontades nem massa critica nas forças vivas do burgo! E, quase que aposto que a empresa não tem qualquer ligação à região...

Viseu de lá

Não façam confusão... entre isto e a nossa urbe fica um oceano pelo meio!

14/07/2006

Vias rápidas

Já estamos mais perto da Guarda e da Europa... para Coimbra a distância está igual!

Em foco

Na Focus desta semana...

Tudo na linha

Por aqui há outras visões das acessibilidades mas as mesmas necessidades e anseios...

E os outros? Ficam calados?

O PCP quer que dentro de 180 dias exista já uma proposta "fundamentada" para a construção da ligação ferroviária entre Viseu e a actual linha da Beira Alta. Os comunistas querem ainda que, no prazo de dois anos, esteja concluído um estudo técnico de viabilidade económica da via férrea entre Viseu e Aveiro, aproveitando a desactivada linha do Vouga.
in JN

Correio dos Leitores




A propósito de Cavalhadas e de carros alegóricos junto uma nova proposta com 3 fotos:
  • Carro das Cavalhadas e manjericos simbolizando a Capela de São João da Carreira, na Estrada do Sátão e junto ao rio;
  • A verdadeira Capela onde os Trambelos vão cumprir a sua promessa;
  • O estado lastimoso do interior da capela.
Se a capela estivesse à guarda dos moleiros certamente que não estava assim abandonada. Faz doer mesmo a quem não reza a São João e só procura divertir-se no solestício do Verão.
AJ


Exemplo de modernidade administrativa

E, com este calor estavas à espera que alguém te atendesse?

Acabou-se o reinado?

Fernando Ruas deixa uma garantia: “A gestão das piscinas vai ser camarária”, e adianta: “Haverá um planeamento anual onde o objectivo é possibilitar que o maior número possível de viseenses possa usufruir das instalações. Queremos que haja uma utilização racional das piscinas por parte dos clubes, mas nunca essa utilização poderá colocar em causa o acesso de toda a gente que queira nadar nas nossas piscinas”.
in Jornal do Centro

Imaginação vs realidade

Estou em crer que este político cá do burgo deixou de tomar os comprimidos de manhã! No mesmo espaço vem descrita a amarga realidade em que vivemos...

Momento de glória

Desculpem lá, mas escrever cartas destas ao Director, faz-me crer que o título certo não seria Ai Jesus, mas sim Valha-me Deus...

12/07/2006

O último já tem 11 anos e...

O plano estratégico da Cidade de Viseu também foi realizado por iniciativa da Câmara Municipal, aglutinando um conjunto de instituições representativas da cidade, de modo a discutirem e estabelecerem as linhas mestras, estruturantes e orientadoras de uma estratégia para a cidade. Este documento elaborado pelo próprio município, resultou da acção concertada da Câmara Municipal com as várias entidades convidadas, intervenientes nos vários grupos de trabalho, de que resultaram alguns tópicos e preocupações (CMV, 1995).

É um breve documento que pretende identificar as linhas perspectivadoras que devem estruturar o desenvolvimento da cidade. De uma forma geral, comparativamente aos outros documentos analisados, é muito elementar, pois o diagnóstico revela bastantes lacunas e as estratégias estão um pouco desgarradas da realidade, pois, insistentemente e de forma passadista se acentuam os aspectos da ruralidade.

José Alberto Afonso Alexandre, Universidade de Aveiro 2003, Departamento de Ambiente e Ordenamento

Umas a seguir às outras

Arre, mas é que não desistem...

Foge daí senão arrancam-te a cabeça!

24 Jun - Cavalhadas

Um mês depois o AJ deu com ele assim... Olhem, se o Parque não fechasse à noite!

Às vezes...

Viseu, um concelho seguro...

O trabalho tem que ser lúdico, pois então!

Turismo é o tema da visita a Viseu do grupo parlamentar do CDS/PP
Título no DRegional

Será só do calor?

Quando o incêndio é dentro do quartel a coisa fica mais dificil...

11/07/2006

Maldito coração

E, apesar de tudo, tenho que concordar com isto aqui!

Não actualizes o site que não é preciso...

Na RR, se bem se recordam e "(...) no que toca à sua autarquia e os grandes empreendimentos, Ruas foi claro: “Eu devia ir a Fátima a pé para agradecer à Virgem por não ter um estádio”... Ao mesmo tempo aqui reconhece-se que "(...) com empenho e dedicação dos autarcas e responsáveis políticos, foi possível (...) O desbloquear de um conjunto de dossiers que se arrastavam há vários anos:
  • A Universidade Pública de Viseu;
  • O comboio de Alta Velocidade;
  • As principais acessibilidades da região, IP5 e IP3;
  • Vários protocolos assinados entre a administração central e local:
  • Requalificação do Complexo Desportivo do Fontelo, Escola de Jugueiros, Museu do Quartzo, duplicação da EN2 etc.
e (...) do Eng. Sócrates Viseu só tem más recordações (não é mentira nenhuma- comentário meu):
  • A Faculdade de Medicina para a Covilhã;
  • O desvio do Euro 2004 para as cidades do litoral;
  • A recusa do projecto de tratamento de lixos e a tentativa de isolamento de Viseu;
  • O Programa Polis, lançado com muita pompa e foguetório, mas sem meios financeiros adequados.
Em resumo, com a Universidade Pública cá e o Comboio de Alta Velocidade foi bom ou não termos ficado sem o Estádio? Quando é a partida para Fátima? Já há quem lá tenha ido por menos...

Vira o disco e...

Está quase a chegar a Feira de S. Mateus... felizmente, o cartaz muda todos os anos! O resto?

Novidades? Só no Continente...

E há quem tenha regressado revigorado das férias... e desolado por encontar tudo na mesma!

Até os mordo...

E há quem não esteja agarrado ao poder mas... ai deles que não lhe renovem o tacho!

Será?

Aqui o João Cotta defende que: "(...) o país tem de se virar para a energia nuclear, como forma de baixar os preços no sector."

Vais ficar sem patrocínios...

Gil Ferraz referiu-se, por último, ao ViseuDigital, que salientou ser "pouco simples", isto é, "precisamente o contrário do que aconteceu com o AveiroDigital", através do qual "puderam ser viabilizadas milhares de pequenas e médias empresas", que participaram "em inúmeros projectos".
in DRegional

Correio dos leitores

Fui à página da Internet da Sociedade ViseuPolis e pouco encontrei sobre este tema. Resolvi ir procurar no meu baú. Abri o baú, vasculhei um pouco e encontrei um folheto de 2002 - o “Plano de Pormenor do Parque Urbano da Aguieira”, que publicitava o seguinte:

“Venha Viver o Parque Urbano da Aguieira no 1º Semestre de 2004”- sem comentários…

Todos os novos espaços, em construção ou anunciados, são bem-vindos, espera-se no entanto que depois seja assegurada a sua manutenção e que sejam lugares seguros.

O Parque da Cidade, o Fontelo e a Cava e o seu estado não são de augurar coisa boa. Desejo que as coisas mudem muito. Não me refiro apenas ao comportamento da Câmara e dos seus serviços, ou de outros responsáveis mas também à falta de educação e de civismo de alguns dos nossos concidadãos.

O plano da autoria do Arquitecto Paisagista, João Gomes da Silva era muito ambicioso e previa a existência de vários Clubes no Parque. Eram definidas áreas estratégicas e os seguintes clubes: Clube do Rio, Clube do Monte, Clubes de Hipismo, de Ténis e Tiro ao arco, Clube de Campo e prevista a criação de novas Vias pedonais, Ciclovia, Parque Infantil, Parque Juvenil, Anfiteatro ao Ar Livre, Piscina, Polidesportivo, Restaurante e também a recuperação do velho moinho, das casas e edifícios em ruínas junto à ponte “romana”. O açude além de fornecer energia ao moinho permitia regar, por gravidade, vários terrenos situados a jusante e nas duas margens.

De tudo isto não sei exactamente o que irá ser executado. No mapa que consta do folheto, talvez tenha localizado o local onde irá ser construída a nova ponte pedonal que já foi posta em concurso?

No terreno prosseguem as obras de acesso e da via circundante, com algum “recato”. Já li queixas de um jornalista da cidade que teve de fugir… a sete pés!

A Sociedade ViseuPolis além de se ter atrasado, também não divulgou devidamente o projecto final e assim continuamos expectantes. Como costumo dizer – surpresas só das boas! Que assim seja desta vez.

AJ

O AJ lembrando o Pavia...





Mas enquanto esperamos que o Rio Pavia nos seja devolvido com a sua vitalidade perdida, e como dizem, com uma lâmina de água permanente e livre do fedor dos esgotos, de modo que possa enfim, transformar-se num elemento integrante da urbe, vamos aqui deixar um pouco de memória do nosso Pavia (…). Segundo Pinho Leal, em tempos idos, o Pavia também se denominava “Ribeira das Mestras ou das Feiticeiras”, porque outrora o povo julgava encontrar a cada passo bruxas e feiticeiras que aí se banhavam e, movidos por crenças populares, costumavam aí ir banhar-se os doentes na noite de S. João, esperando assim ser curados pelas tais mestras.(…) Mais abaixo e finalmente chegamos à Azenha (*) onde se encontra a velha ponte, dita romana, mas de romano só tem o estilo, pois foi mandada fazer pelo arcediago de Pindelo, da Sé de Viseu, Francisco Coelho de Campos, conforme refere a inscrição gravada no cruzeiro anexo: “Este Cruzeiro e Ponte mandou fazer à sua custa Francisco Coelho Campos”. Estas duas obras, foram executadas entre 1738 e 1767. Nessa época a Ponte, podia considerar-se de grande valor e utilidade para quem vinha para a cidade e que morava para lá do rio, via Monte Salvado, para os seus destinos, Orgens, S. Martinho, Quintela, St. Estêvão, etc. A ponte dava acesso único e directo para o Monte Salvado onde se ramificava em vários caminhos, ainda hoje visíveis e utilizados, cujas marcas dos carros de tracção animal na pedraria desse monte são testemunho duma serventia popular que os séculos confirmaram.
Agradecimentos a : J. M. Silva, In Viseu Revista nº 6, de Agosto de 2005

* O acesso, na margem esquerda do Pavia, é feito pela circunvalação perto da Cadeia e junto aos tractores.

10/07/2006

Gazetando...


Confirma-se aqui e não só (infelizmente!) que o mundial já acabou... Mas por cá, na Gazeta Desportiva o Rui Caçador diz dos futebóis e não só que:
"(...) é que o actual Académico de Viseu, ligado à equipa que lhe deu consistência para continuar a disputar o campeonato Distrital, apresenta apenas esta particularidade: não sobe quem nós queremos, mas sobe quem é melhor";
"O Clube Académico de Futebol que acabou...";
"Acho que as obras que foram feitas, ao longo dos anos, nunca valorizaram o estádio (Fontelo), antes pelo contrário";
"E essa que é a mentalidade que temos de trazer...levanos os nossos filhos para os nosso clubes, nas nossas zonas, digamos, das nossas zonas habitacionais";
"O grande clube de Viseu era o Clube Académico de Futebol que acabou".
O resto vem nas imagens...
ET: Já agora, quem souber, explique à malta quando sai a gazeta, ok?
























Ideias a copiar

Aqui ao lado os nossos vizinhos de Vouzela têm boas ideias... a muita imaginação e criatividade por vezes superam muita falta de orçamento!

Se não der muito trabalho...

E, por aqui, eles "xabem o que xe pacha" mas a malta não... mas, por acaso também gostávamos de saber!

Filmem-me, vá lá!

Este acontecimento tem como alvo primordial os jovens e "Fernando Ruas lamenta a ausência das televisões". De facto, é uma boa questão. Porque será que este evento não tem, nem nunca teve se bem me lembro, qualquer repercussão televisiva? E, já agora, porque nem esta TV aqui que "foi lançada a 10 de Abril" apareceu?

09/07/2006

Mais umas perguntas

Viseu atraiu 13 mil e tal pessoas... os "tal" estão empregados e os 13 mil?
Viseu é a única cidade europeia de dimensão adequada sem linha de caminho de ferro, porquê?
E... muitas outras ficaram por fazer. Podem usar os comentários para deixar as restantes!

Ao mesmo tempo nos jornais...



E, se a minha avó fosse viva?

"Se fosse hoje nem sequer tinha usado essa expressão!"
Fernando Ruas há instantes no "Diga lá, Excelência" da RR