02/12/2006

Pomada para todas as maleitas!


O prémio "O Grande Vinho do Dão", instituído pela Comissão Vitivinícola Regional do Dão, correspondente à colheita de 2005, foi entregue, ontem, a um vinho (Touriga Nacional) produzido em Vila Nova de Tazem pela Quintas Aliança Dão - Sociedade Agrícola, SA.

No concurso estiveram em prova um total de 163 amostras pertencentes a 60 produtores, nas categorias de vinhos brancos, tintos e rosados. Vinte foram premiados com a medalha de ouro e vinte e quatro com a de prata.

in JN

Fala quem sabe!

(...) Assim, por exemplo, a linha de Aveiro a Vilar Formoso, que um dia teremos de construir e será a nossa principal via de ligação ao exterior para passageiros e mercadoria, deverá ser uma linha que permita a circulação de comboios até cerca de 220 km/h. Numa região acidentada como a Beira Alta, o custo de uma linha TGV seria muito mais alto e não se justifica para ganhar 15 minutos a atravessar o país. No que diz respeito às mercadorias, a vantagem da nova linha é a de os vagãos poderem ir até à Polónia e não ficarem limitados à Espanha, enquanto os espanhois não mudarem a bitola. (...)

António Brotas, Professor catedrático jubilado do IST, 1 de Dezembro de 2006.

01/12/2006

Que mais nos irá acontecer?

É só contrariedades... depois da entrevista do treinador do Académico esperançado nas imensas alegrias que o Clube nos vai dar no futuro, eis que, como me lembra o C. Costa, chega a lei das finanças locais para complicar tudo!

Retratos da comunicação social local

Dois exemplos, entre muitos:
- Já estamos em Dezembro mas as últimas são de Agosto!
- E, entre isto e nada, qual é a diferença?

Na defesa do comboio para Viseu

Mais um que se juntou à causa! Sê bem vindo e assina aqui!

A capital é Viseu

E, quantos conhecem o Dão?

Mas queres ou não queres?

Depois disto perdi as esperanças de reclamar a ponte que ninguém quer, sobretudo depois de saber que " compete à Câmara Municipal da área em que se situa a estrada ou caminho municipal, servido pela ponte ou pontão em causa, a responsabilidade pela sua conservação".

30/11/2006

Dar ao povo aquilo que o povo quer e gosta!

Melhor que isto só o Gato Fedorento! Então aquela do "nós pretendíamos e pretendemos e continuamos a pretender" é do melhor!

Fim de semana alargado

Este fim de semana, se apreciar o néctar da zona, aconselho uma visita ao Dão, vinhos & sabores... se não gostar, aproveite esta FINTA!

Não há bela sem senão!

Sei do que se queixam pois já ali morei... e já há 5 anos era esta miséria! Hoje, cinco anos depois, não vivo com este problema mas em contrapartida nem um caixote do lixo tenho no bairro! Dum lado a cidade, do outro o subúrbio...

Pontos de vista

A função obriga a falar assim... mas, não fiquei convencido. Continuo a preferir o Sim!

A cores ou não é sempre bonita!


Elisabete & Nuno no Viriato

Instantâneos da cidade



Café com cultura

E, por aqui voltou a surgir o café à borla, desta feita à volta duma exposição de pintura do Júlio Pires!

A nossa livraria

Mas, não é que já vos começam a notar? É na Visão, é aqui... força FF e Compª, estão no caminho certo!

29/11/2006

O que disseram!

A ligação de Viseu à linha da Beira Alta é uma prioridade no âmbito da política para os transportes no concelho. A opinião é unânime entre os candidatos à autarquia viseense nas eleições de Outubro.

Quanto à possibilidade do TGV (Alta Velocidade) vir a servir a região na sua eventual ligação Aveiro/Salamanca, o candidato do PS não tem dúvida em afirmar que se trata de um projecto "absolutamente indispensável não só do ponto de vista da região, mas também no todo nacional".

Para o candidato da CDU, Viseu ainda não tem uma ligação à linha da Beira Alta «por falta de vontade política», comparando este caso ao da universidade pública que "também não foi criada em Viseu."

O candidato do CDS/PP, Luís Caetano, lamenta a falta de comboios em Viseu e a existência de uma ligação à linha da Beira Alta. "É pena que Viseu não tenha uma ligação directa ao ramal", frisou Luís Caetano que apontou ainda que a existir ela poderia servir como "transporte urbano ou metropolitano de superfície".

Já para o candidato do Bloco de Esquerda, Carlos Vieira, a ligação à Beira Alta "deveria ter sido feita há muito tempo". "Quer a Câmara Municipal, quer os deputados eleitos por Viseu têm é vindo a ver passar os comboios". Carlos Vieira disse que a posição do BE vai de encontro ao que é defendido pela AIRV – Associação Empresarial da Região de Viseu – que defende uma linha de transportes de velocidade alta e que faça a circulação de mercadorias.

Julho de 2005

Paradoxos

O Centro de Formalidades das Empresas (CFE) ajudou a nascer 535 novas firmas no distrito de Viseu, desde que entrou em funcionamento, há um ano. Além dos processos de constituição de novas sociedades, aquele centro ajudou 151 empresas a alterarem os seus pactos sociais.
Correio da Manhã, Jan05
Daí para cá o desemprego não para de aumentar no concelho!

Ano após ano

"A Câmara Municipal de Viseu anunciou, ontem, o lançamento do "RequalVis". Um programa de requalificação urbana, de estrutura simples, que pretende contribuir para a manutenção da qualidade de vida das 34 freguesias do concelho. "A ideia é criar um instrumento simplificado que permita às juntas de freguesia a concretização de pequenos trabalhos nas respectivas localidades", explicou o Fernando Ruas, presidente da Câmara de Viseu. Reposição de pavimentos, substituição de lancis, instalação de mobiliário urbano, criação de espaços de lazer e reposição de iluminação pública, são algumas das obras que se enquadram no "RequalVis". "Não estamos a falar de obras novas. Para essas, já temos o Provisar, um programa que tem permitido, ao longo dos anos, investir fortemente nas freguesias. Neste caso, a aposta vai para a manutenção da qualidade de vida existente", explicou Fernando Ruas.
JN, Set04
Dois anos depois no bairro da minha aldeia ainda não há uma árvore nem um caixote do lixo!

Até custa a crer!

Ideias e iniciativas desta natureza são de aplaudir!

Crónicas no ar e em directo

8:20 da manhã.
O spot da Rádio NoAr anuncia mais uma crónica (com os mesmos comentadores de meses e meses a fio) e o lá começa o cronista por expressar a sua opinião sobre um cartaz da CGTP colocado no Rossio com o slogan lutar contra a mudança (de facto, nem mesmo Peter Drucker se lembraria duma ideia assim!). E, à medida que vou avançando no trânsito vai também o cronista avançando as suas ideias até que perdendo o fio à meada exclama em directo:
- (...) e assim atra... hum, oh porra, caraças!
- porra - repete o locutor se serviço
- começa no parágrafo anterior - pede o cronista
- caraças, porra - repete o locutor
e, termina a crónica, segue a música!
Vou começar a gravar estes momentos, acreditem! São coisas destas que nos fazem sorrir logo pela manhã... ou não será caso para isso?

Ei, estás em Viseu, rapaz!!!

Vitor, que se passa? Voltaste a deixar de tomar o comprimido de manhã e à noite dá-te para sonhar?

28/11/2006

Vai e abre a porta... da cidade mágica!

Vai e abre a porta.
Talvez lá fora haja uma árvore, ou um bosque, um jardim, ou uma cidade mágica.
Vai e abre a porta.

Talvez haja um cão a vasculhar. Talvez vejas uma cara, ou um olho, ou a imagem de uma imagem.
Vai e abre a porta.
Se houver nevoeiro dissipar-se-á.
Vai e abre a porta.

Mesmo que nada mais haja
que o tiquetaque da escuridão,
mesmo que nada mais haja
que o vento surdo,
mesmo que
nada haja, vai e abre a porta.
Pelo menos haverá uma corrente de ar.

"A Porta" de Miroslav Holob,

Olhando do norte

Vista da cidade... o "mamarracho" não falha e dentro de dias as luzes de natal!

Há coisas fantásticas não há?

"Ninguém pense que eu ando aqui atrás de tachos para ganhar dinheiro. Nada disso", afirmou Valentim Loureiro.
TSF
ET: Diz ainda o figurão, nado aqui no burgo, por azar dos que cá vivem, que Portugal era um país de pedintes e pés-descalços... e acrescento eu de uns quantos aldrabões e outros tantos espertalhões!

Da cultura local

Uma exposição colectiva que junta trabalhos de pintura, desenho, escultura e cerâmica de artistas plásticos como Cruzeiro Seixas e Luís Queimadela está patente a partir de quinta-feira na galeria ArteG em Viseu.

Só para recordar

Não se esqueçam de visitar nos próximos dias 30, 1, e 2, a Livraria da Praça, em Viseu, onde vai decorrer uma feira de comércio justo.

Uns mais activos que outros!

Quem também já voltou dos "orientes" foram estes aqui... apertem com eles a ver se ganham coragem para acabar o que começaram! E, pelas 4 esquinas os finais do dia andam valentes!

Até às crianças...

Os amigos do alheio voltaram aqui...

Viseu - vista aérea

27/11/2006

O balanço aqui é negro

O IP3 continua a ceifar vidas...

Balanço

O Comandante da PM faz aqui um balanço bastante positivo de 3 anos de actividade e no fim remata com a ideia, já conhecida, que o Pavilhão é multiusos mas com pouco uso para a Polícia Municipal...

Sempre faltou a vontade política

O traçado proposto demonstra a viabilidade de, cumprindo os pressupostos técnicos e as finalidades genéricas estabelecida, se estabelecer uma ligação ferroviária, em bitola europeia, para velocidades máximas de 200 Km/h e tráfego misto de comboios de passageiros e mercadorias, entre a Região do Grande Porto e a fronteira Luso-Espanhola para ligação a Salamanca e Valladolid.
Conclusões do estudo da REFER sobre a ligação Aveiro-Viseu-Salamanca em 1989
Para saber mais sobre a Linha da Beira Alta clique aqui.

Interior interiorizado

A "interioridade" da região tem neste últimos tempos conhecido sinais de agravamento. A falta de investimento público e privado, a ausência de estratégias para a região, o "esquecimento quase propositado" a que está condenada pela politica de cor contrária, entre muitos outros aspectos, levam-me a crer que não deixaremos de ser a beleza distante que apenas se conhece pelos postais ilustrados ou pelas raras reportagens de televisão. Porém, salvo melhor opinião também a nivel local é importante que se conjuguem esforços e planeiem estratégias de desenvolvimento que combatam aquela "síndrome". No caso dos Planos de Desenvolvimento Municipal que estão na ordem do dia da politica local, julgo que importa passar do PDM para planos estratégicos de desenvolvimento urbano e para planos estratégicos a um nível mais agregado já que estes têm sido usados apenas como ferramentas de discriminação negativa - dizem o que não se pode fazer. Viseu precisa de uma inversão - temos de definir as metas e objectivos de médio e longo prazo que temos de alcançar. Caso contrário, seremos cada vez mais "interior profundo e ostracizado"!
A prova de que os PDM têm que ser "pensados" fica espelhada aqui!

Assustadora ignorância

Tem havido por aí uma discussão interessante sobre as empresas municipais em Portugal. E, nesta área, encontra-se um pouco de tudo: acumulação de cargos de autarcas, duplicações de tarefas, remunerações escandalosas, salários «inflacionados», endividamento autárquico encoberto, objecto social sem significado, etc... Ao que me dizem Viseu tem 7 empresas municipais! Curiosamente, nem sei quais são nem para o que servem e eu a julgar que andava bem informado!

26/11/2006

Postais da cidade - 30

Porta dos Cavaleiros

De 3 em 3

Decreto n.º 28/2003 de 11 de Junho
A zona histórica da cidade de Viseu é constituída por um tecido urbano antigo, de relevante valor histórico, arquitectónico e cultural, que, na sequência do seu envelhecimento, actualmente se caracteriza por uma estrutura habitacional bastante degradada, o que tem implicado o agravamento das condições de segurança e salubridade da área.(...) Atendendo que a concessão do referido direito de preferência caducou, mas que subsistem as razões de facto e de direito que presidiram à declaração de área crítica de recuperação e reconversão urbanística da zona histórica da cidade de Viseu, e tendo ainda em conta a necessidade de introduzir ajustamentos na área em causa, a Câmara Municipal de Viseu deliberou propor uma nova delimitação da área crítica de recuperação e reconversão urbanística, a qual foi aprovada pela Assembleia Municipal em 30 de Setembro de 2002. Assim, tendo em vista possibilitar a reabilitação e renovação urbana daquela área, que se tem vindo a efectivar ao abrigo do Regime de Apoio à Recuperação Habitacional em Áreas Urbanas Antigas (REHABITA), criado pelo Decreto-Lei n.º 105/96, de 31 de Julho, de modo a inverter o processo de degradação urbana, patrimonial, ambiental e social, a Câmara Municipal de Viseu solicitou ao Governo que fosse declarada uma nova área crítica de recuperação e reconversão urbanística, ao abrigo do artigo 41.º do Decreto-Lei n.º 794/76, de 5 de Novembro. De igual modo, é concedido pelo prazo de três anos o direito de preferência previsto no n.º 1 do artigo 27.º daquele diploma legal, face ao interesse do município na aquisição dos imóveis que sejam alienados a título oneroso naquela área, por forma a viabilizar a necessária reabilitação e renovação da mesma.
Visto e aprovado em Conselho de Ministros de 24 de Abril de 2003.

O prazo dos 3 anos já passou e o que está feito? E agora? Promulga-se novo diploma para mais 3 anos?

Regional ou local?

Aqui fica um retrato da comunicação social local...

Poema a Viseu

(...)
Chego (Cidade insigne) a contemplar-te
Viseu de cinco seculos memorados
que em tanto já florente, já prostrada,
teatro foste de Minerva, e Marte.
Não poderá a fortuna aniquilar-te,
pois sendo tantas vezes assolada
(qual Fenix entre as chamas abrasada.)
tornas das mesmas a levantar-te.
Eternize a estampa teu retrato,
do Letes apesar teu sevo imigo
mas tambem se oponha o tempo ingrato.
És gloria, de Lusos, de Arabes castigo,
Seta de Afonso, triunfo de Veriato,
berço a Eduardo, marmore a Rodrigo. (...)

João de Pavia in Descrição da Cidade de Viseu