26/08/2011

Contas funiculadas!

Diz a nota de imprensa que à disposição do público em geral desde Junho de 2008, que o Comboio Turístico de Viseu, neste de Verão 2011, durante a primeira quinzena do mês de Agosto já transportou mais de 3.000 passageiros, o que de facto é de registar com particular agrado e ênfase pois trata-se de um simpático equipamento que proporciona a todos os visitantes uma panorâmica geral do nosso património histórico, cultural e natural e dá uma cor alegre e vida à cidade!
A mesma notícia refere que o Funicular de Viseu, transporte gratuito não poluente que liga a zona ribeirinha ao centro histórico, transportou, durante os mesmos dias, mais de 6.500 passageiros e, sobre esta obra do regime quero convidar-vos a fazerem comigo umas breves "contas de merceeiro" pois, desconhecendo os dados oficiais pode à partida ser tida como falaciosa.
Através da análise do horário do funicular, é fácil percepcionar que este equipamento realizará uma média de 32 viagens/dia sendo que aos fins-de-semana e feriados deixa de funcionar às 19h00 e durante a Feira de São Mateus em dias de feira aberta - funciona até às 12h00 – realiza 10 viagens e em dias feira fechada – funciona até às 19h00 – totalizará o máximo de 28 viagens. Ora, 6500 passageiros em 15 dias de utilização representam, se a calculadora não falha, uma média de 430 utilizadores/dia o que pelas 32 viagens diárias significa que num equipamento com capacidade para 100 passageiros há cerca de 15 que o utilizam em cada viagem.
A Autarquia gastou 67.500 euros na manutenção do equipamento em 2009 e 103.104 euros em 2010 (ajuste directo 1754 e 1755) o que aparentemente significa terem duplicado os custos de manutenção e que representam uma média mensal de 8.500 euros que terão que ser somados aos custos de operação e ainda aos custos dos 4 funcionários/dia e sem contar com os 27.000 euros dos marcadores solares e a enormidade de pequenas facturas provenientes das várias e constantes reparações a que o equipamento é sujeito e que o atento AJ vai dando nota. 
Os números referidos nas GOP 2010 falam por si... e sendo aquele equipamento gratuito fica a pergunta: quem irá pagar no futuro as facturas destes 15 utilizadores por viagem?