09/09/2011

Viseu, Prémio Nacional do Ambiente, Quercus!

O Tribunal de Justiça declara que Portugal não cumpriu as obrigações que lhe incumbem por força da Directiva 9/271”, lê-se no acórdão hoje proferido no Luxemburgo e no qual “a República Portuguesa é condenada nas despesas”. (...) A falta de um tratamento das águas residuais “mais rigoroso” do que o secundário foi apontada em “aglomerações de (...) Viseu (...)”.
Tanto quanto se me é dado saber, em vários pontos do Concelho a rede de saneamento não está ligada às ETAR’s. Estas, ou não existem, como é o caso de Fragosela de Cima, Fragosela de Baixo e Prime, ou estão subdimensionadas ou são mal operadas, como acontece concretamente com as ETAR’s de Repeses, Barbeita e Vila Chã de Sá, entre outras, como a ETAR de São Salvador, em que o nível de tratamento não é o mais adequado e se não acreditam atentem no estado dos cursos de água a jusante da descarga dos efluentes no meio hídrico. Os “esgotos a céu-aberto” ainda persistem em vários pontos do concelho que contaminam as nossa linhas de água, como é o caso da Ribeira de Mide, por exemplo! No entretanto na factura do SMAS as taxas sobre os resíduos não falham...