12/02/2011

Quem não sabe pergunta! Quem sabe, assobia...

O CDS/PP Viseu já questionou a AR acerca das noticias vindas a público sobre a Lusitânia, o PS Viseu seguiu o exemplo e agora fica a questão: O PSD Viseu não tem nada a perguntar sobre essas mesmas noticias ou já conhecem as respostas todas?

11/02/2011

Um passo atrás, outro adiante!

E de forma reactiva o PS Viseu também já questionou a AR sobre as noticias vindas a público da Lusitânia mas o CDS/PP com apenas um deputado lá vai adiantando serviço e além daquela mesma interpelação ao Governo já deu seguimento a mais questões sobre a situação da linha ferroviária para Viseu.

Gastar hoje... para amanhã faltar!

Pelos vistos a Primavera a Viseu chega cedo... em pleno Fevereiro o Executivo instalou novas fontes pela cidade.

10/02/2011

Difícil caminhada!

Estes em tempos prometeram chegar ao Rossio mas pelos vistos está difícil sair da Rua Francisco Alexandre Lobo.

Apita o comboio!

09/02/2011

Não param, hem?

Continuando a politica de visita das instituições da região alguns deputados de Viseu vão nos próximos dias visitar o IPJ. A lista das presenças será brevemente confirmada!

Em Abril, buzinadelas mil.

Os distritos de Viseu, Guarda, Covilhã e Vila Real vão ficar, no dia 8 de Abril, em "marcha lenta" como forma de protesto contra as portagens nas A25, A23 e A24.
Uma acção que está programada para o mês em que o Governo se prepara para a sua introdução nestas vias do interior do país. O anúncio foi ontem feito em Viseu pela Comissão de Utentes Contra as Portagens que espera uma grande acção de luta "convergente" e com a participação de milhares de pessoas.

Viseu de outros tempos

A Cidade Capital desta Comarca foy fundada pelos Tundulos quinhentos annos antes da vinda de Christo em quarenta e seis legoas de distancia da Corte de Lisboa, treze de Coimbra e onze da Guarda, entre as correntes do Vouga e do Mondego, que regam e fertilizam a sua Comarca com cryístalinas e abundantes aguas, e a provêm de gostosos e regalados peixes. (...)
Saiba mais aqui

08/02/2011

Paradeiro desconhecido!

Procura-se o cabeça de lista do PSD por Viseu, Dr José Luis Arnaut. A última vez que foi visto no concelho foi por ocasião das legislativas de 2009 e os viseenses estão preocupados uma vez que não há registo na sua actividade parlamentar de qualquer iniciativa sobre a região pelo que se teme o pelo seu desaparecimento. Se tiverem alguma informação agradece-se o contacto para a Distrital do PSD Viseu.

Voluntários precisam-se!

A Caritas Diocesana de Viseu está a recrutar voluntários para “reforço das equipas de apoio a famílias e indivíduos carenciados, ou afectados por situação de crise económica e social”.

A propósito do comboio de Viseu

Enervida

A ENERVIDA’11 terá lugar no Pavilhão Multiusos de Viseu, entre os dias 10 e 13 de Fevereiro de 2011.
Saiba mais aqui.

07/02/2011

Depois das trevas uma nova era de luz!

Senti que a minha acção estaria um pouco vigiada por algumas sombras.
José Moreira, Presidente da Expovis in Jornal do Centro
Com este título o Jornal do Centro publicou esta semana uma entrevista do actual Presidente da Expovis onde dá a conhecer a sua visão para a Feira de São Mateus e se os "sombras" pouco importam o que fica é sem dúvida uma luz de esperança e a expectativa positiva de que com José Moreira a cidade voltará a encontrar-se com a sua Feira Franca!

Ainda há quem trabalhe pela região!

São poucos e contam-se pelos dedos os políticos que prometem e cumprem mas o deputado Hélder Amaral não se limitou a fazer declarações públicas de promessa e já questionou o Ministério e a Assembleia da República sobre a situação da Lusitânia.

Em Viseu dá gosto viver

Viseu é talvez o único lugar em Portugal que «tem sabido defender-se desta praga» chamada marquise.
in DN

Leitura aconselhada

Afinal também há quem escreva crónicas sobre o cronista!

Devagar, devagarinho e parado!

Correr sem sair do mesmo sítio. É desta forma que o presidente da Câmara, Fernando Ruas, classifica o processo relacionado com a criação uma ligação ferroviária à cidade.  O autarca lamenta que após vários anos de reivindicações e diversos anúncios públicos por parte de membros do Governo o comboio ainda não tenha saído do papel e que não "apite" em terras de Viriato, com prejuízos para todos, tanto para quem gostaria de usufruir do novo meio de transporte como para quem tem os seus terrenos reservados devido à indefinição do canal de passagem da futura linha.