10/06/2011

Afinal, quem é que manda aqui, hem?

Como se verifica, vai pelo burgo um estranho braço de ferro que em última análise só prejudica os viseenses e penaliza as instituições em causa. Ao invés de se focarem nas funções para os quais uns foram eleitos e outros nomeados gastam o tempo numa desnecessária e surpreendente marcação de posições numa luta pela afirmação do acessório. E enquanto andam entretidos nessa troca de galhardetes o vandalismo e a falta de civismo instalam-se na cidade sem que quem de direito pareça se preocupar. Poder é motivo de conquista, autoridade quase sempre delegação mas num e noutro caso é preciso legitimidade, e esta só ocorre quando os agentes do poder ou dessa autoridade afirmarem com simplicidade essa liderança. Como dizia Seneca: longo é o caminho ensinado pela teoria, curto e eficaz, o do exemplo e aqui pelos vistos, de um e de outro lado o exemplo é fraco mas não admira pois, o poder e a autoridade não são para todos!

Da série "eu fico por aqui"...

in Jornal do Centro
Das duas uma, ou há gato escondido com o rabo de fora ou o futuro PM não apontou o telemóvel de Fernando Ruas na passagem por Viseu!

Da série "vou andar por aí" como dizia o outro!

09/06/2011

Não é necessário enviar foto!

Procura-se gestor desportivo com experiência num ambiente idêntico a nível de direcção/manager - Auto-motivação e grande capacidade para motivar - Proactividade, iniciativa e polivalência - Capacidade de gestão dos recursos financeiros e de angariação de apoios - Boa apresentação e simpatia - Goste de trabalhar por objectivos, e em equipa. Envie CV para aqui até dia 28 do corrente mês!

Depois do nacional o buraco local

Grande parte das vezes que Viseu (leia-se autarquia) é referido na imprensa nacional raramente é pelas melhores razões... desta feita não escapa à regra e para um problema que se arrasta há 8 meses logo que é dado a conhecer na imprensa as soluções aparecem no imediato!

Querem lá ver que já a formiga tem catarro!!

E se vos dissesse que o Acácio aproveitou a catarse instalada e disse ao padrinho que está farto de lhe andar a acartar a pasta, acreditavam?

08/06/2011

E de novo a maldição do Fontelo...

(...) Manuel Matias esteve os últimos três meses da época a orientar o clube viseense, mas a relação com alguns elementos da direcção do clube não era a melhor. A saída acaba assim por não surpreender. Antes o Académico vai a votos, e não é crível que, neste cenário, os actuais dirigentes queiram tomar a decisão de contratar alguém perante a possibilidade de aparecer uma outra lista que possa vencer as eleições. António Albino está a chegar ao fim dos dois anos de mandato para que foi eleito em Junho de 2009 e, nesta altura, não é certo que se venha a recandidatar, embora alguns dos seus colaboradores mais próximos antecipem esse cenário. Em alguns círculos academistas na cidade admite-se o aparecimento de uma candidatura alternativa.

Sugestão de leitura

Atento leitor e esclarecido comentador do VSB indica como sugestão de leitura, o livro sobre a nossa cidade por altura da instauração da república - "Viseu Roteiros Republicanos". Escrito para a comemoração do centenário da república, no qual podemos descobrir curiosidades sobre a revolução de 5 de Outubro, como o facto de a noticia da vitoria republicana ter chegado no próprio dia a Viseu por comboio, entre outros fatos de relevo sobre a cidade, personalidades locais e sociedade viseense de então pode ser encontrado aqui da autoria de António Rafael Amaro (Doutorado em História Contemporânea e docente na Universidade de Coimbra) e Jorge Adolfo de Meneses Marques (Viseense licenciado em História e docente no IPV).

Pequeno Excerto: "No caso de Viseu, podemos dizer, aliás, como mera curiosidade, que a revolução não apanhou desprevenidos os republicanos da cidade, dado que a primeira notícia da sua vitória em Lisboa não chegou por telégrafo, mas sim através de um passageiro de comboio que regressava da capital. O periódico socialista e republicano A Voz da Oficina, de 8 de Outubro de 1910, descreveu com invulgar minúcia a forma como se comemorou em Viseu a proclamação da República e fez questão de lembrar que os republicanos desta cidade mesmo antes da confirmação oficial da vitória (por telégrafo), na madrugada do dia 6 de Outubro, já estavam prevenidos: “já no comboio da noite do glorioso e histórico dia 5, um passageiro que nele regressava a Viseu, o Sr. Álvaro Borges Soeiro, se sabia que o triunfo dos republicanos era certo"."
São 124 páginas que se lêem de uma penada , com muita e boa informação sobre a nossa cidade, que facilitam a compreensão e enquadramento histórico da nossa cidade no século XX. E dão a possibilidade de verificar que muitos dos anseios da população se mantêm na actualidade, refere ainda o leitor a quem fica o obrigado pela sugestão!

Quem diria? A coisa promete e o Distrito que se prepare!

Pelos vistos a campanha do PSD estava em grande vantagem em relação às demais pois contava com o "Mourinho". Como correu melhor que o esperado ficamos agora à espera para ver qual o valor do prémio de jogo!

Concorrência à Live Beach?

Custam 1 milhão. (...) Estão a ser dados passos seguros para que as Termas de Alcafache (zona de Viseu) sejam finalmente requalificadas. A intervenção, que será efectuada ao longo do rio Dão, obriga a que sejam tomadas algumas precauções como o ‘timing’ das obras, considerado essencial para que ninguém possa sair prejudicado.

Pago para ver...

Menos freguesias e concelhos, sim, mas apenas se tal medida trouxer melhorias a nível da efi­cácia ao poder local. Esta é a posição dos autarcas que o Diário de Viseu ouviu sobre a possível aplicação da medida de ex­tin­ção de freguesias, principalmente as urbanas.

07/06/2011

Outro desconhecido da cidade!

E, caro leitor e amigo viseense, sabe quem foi Mestre José Vizinho?

E, por cá nem sabem quem é!!

"Sueños rotos" cuenta la historia de João Torto, quien en 1540 fabricó dos alas para volar y se lanzó desde lo alto de la Catedral de Viseu.

Feira do Desporto

Realiza-se entre 9 e 12 de Junho no Rossio a 4ª edição da Feira do Desporto de Viseu, actividade organizada pelo Município de Viseu com a colaboração de mais de duas dezenas de instituições locais que, durante estes 4 dias, irão desafiar todos os visitantes desta Feira a experimentar algumas das actividades desportivas promovidas anualmente por estas organizações.

Tradução: Desde que paguem bem a noticia sai simpática?!

O novo diretor do semanário de Viseu, Paulo Neto, avançou à Agência Lusa que pretende “revitalizar o jornal” e “criar estímulos” nos recursos humanos existentes (...) explicando que é sua intenção “revitalizar a área desportiva” e também “interagir da melhor forma com as 24 autarquias” do distrito.

O Centro em mudanças!

A Sojormedia, empresa da Lena Comunicação, vendeu a empresa detentora do título Jornal do Centro, semanário de Viseu que está nas bancas há cerca de nove anos. (...) "A empresa O Centro - Produção e Edição de Conteúdos, Lda passa agora a ser detida pelo Grupo SHI (School House International) SGPS, SA e pela KPR - Gestão, Consultoria e Intermediação, Lda", acrescenta. 
Viseu, 07 jun (Lusa)

06/06/2011

Será necessário renegociar a dívida?

O presidente da Associação Nacional de Municípios e autarca de Viseu há muito que ambiciona uma pasta governativa que esteja ligada ao ordenamento de território. Uma espécie de Ministério do Planeamento, que tenha em si a gestão dos fundos do QREN (Quadro de Referência Estratégico Nacional). Porém, com a fusão de ministérios preconizada por Passos Coelho dificilmente Ruas será ministeriável.

Dois assuntos para a nova equipa...

As reacções iniciais!

Almeida Henriques:
- O povo avaliou positivamente o trabalho que fizemos na oposição e aceitou o programa que apresentámos a estas eleições. Aos viseenses temos a dizer que podem contar com o PSD e com os deputados eleitos e garantimos que estaremos sempre ao lado do distrito!

José Junqueiro:
- Há duas derrotas para o PS em Viseu: a primeira é ter perdido as eleições, a segunda é ter perdido um deputado e isso deve ser assumido com clareza (...) Tínhamos fé que o nosso resultado fosse o de garantir a eleição de quatro deputados e por dois motivos muito simples: o primeiro pelo trabalho e obra realizada e o segundo pela qualidade da lista.

Hélder Amaral:
- O voto do povo não foi para as pessoas que trabalharam portanto parabéns na mesma a quem ganhou: o PSD que tem agora tudo para resolver os problemas do País e do Distrito de Viseu.

05/06/2011

Acabou a festa, começa a Troika!!

Confesso que tinha este post preparado em data anterior às eleições, mas tratando-se, na minha óptica, de um cenário tão previsível entendi não o publicar e aguardar pela expressão dos viseenses nas urnas. Faço-o agora com a necessária adaptação do tempo do verbo, porque o que era futurologia há dois dias atrás é hoje, curiosamente, um dejá vu de tão má memória de outro passado recente.
Tal como se esperava, a grande maioria dos viseenses apesar da tímida prestação e envergonhada campanha de Almeida Henriques, entendeu tornar vencedor o PSD juntando ao cabeça de lista mais 4 colegas de bancada, número este que, como iremos certamente apreciar ao longo da legislatura, não será garantia directa de mais e melhor representatividade ou capacidade de resolução dos problemas do Distrito na AR. Senão vejamos, a esta mesma hora o ilustre dinossauro e segundo da lista, já terá entregado a chave na recepção do Montebelo e tão cedo não será visto nem achado cá pelo burgo, da prestação da repetente do 3º lugar a julgar pelo anterior trabalho parlamentar pouco será expectável e nem o esperado empenhamento e dedicação do 4º deputado também ele repetente chegará para esconder o previsível desempenho do lugar de deputado ganho ao PS. São as pessoas que fazem as organizações como é sabido e, assim sendo, nessa matéria acho que fica tudo dito!

No lado do PS, embora ninguém o vá para já confessar, já se imaginava que não haveria champanhe no frigorífico e prepara-se agora a catarse pós socrática. José Junqueiro e Elza Pais, ex-governantes não corriam o risco, mesmo nas piores sondagens, de engrossar a fileira dos desempregados e o 3º deputado entretanto eleito, continuará a fazer o seu papel de cronista mas já o ex-governador estará nesta altura a pensar em falar com o Director da EPMS... Nem Mangualde escapou à previsível onda apesar da dinâmica e capital pessoal que o afilhado tem trazido aquele antigo feudo do PSD mas pesou mais, pela certa e negativa a imagem do padrinho. Uma vez mais, os partidos tal como as organizações, são também as pessoas!

Do lado do CDS, Hélder Amaral mostrou-se particularmente activo nesta campanha mas nem precisava de o fazer pois já arrasta com ele o reconhecimento suficiente pelo trabalho realizado na AR para assegurar sem dificuldade a sua reeleição como se veio a verificar mas, ainda não foi desta que conseguiu a eleição de um companheiro de viagem e que, na verdade também nunca o seria. Do lado do BE, o jovem Rui Costa sofreu do desgaste esperado do Bloco e com tal intensidade que as demais forças partidárias que mantiverem a fidelidade do seu eleitorado como o caso da CDU acabaram por ter melhor resultado. Aqui pelos vistos quem conta são também as pessoas...

Insisto neste chavão porque nesta campanha pouco se discutiu de programas, das medidas da Troika, do que será preciso fazer hoje dia 6, do que queremos para Portugal em 2015... e por cá também pouco ou nada se acrescentou ao que se vislumbra para o Distrito de modo que agora que o FMI já escolheu o Primeiro Ministro e o Distrito quem nos representará na AR há que os deixar trabalhar sem deixarmos de ser exigente com o mandato sufragado pelo nosso voto porque, queira-se ou não os partidos são também e cada vez mais as pessoas!