22/09/2011

O blog feito pelos leitores - Onde param os candeeiros do Mestre Malho?

Fernando Ruas mente, ou por má fé ou por ignorância sobre o património da cidade, em qualquer dos casos não tem desculpa, uma vez que na Assembleia Municipal de 27 de de Junho lhe entreguei uma recomendação onde descrevia os candeeiros a que me tenho referido, e para dissipar de vez qualquer confusão, tive o cuidado de anexar fotografias. Trata-se dos candeeiros que foram retirados há três e quatro anos do Latgo da Misericórdia, da Sé Catedral e, mais tarde,da fachada da Igreja da Misericórdia. Já antes havia sido retirado um exemplar na esquina do Museu Grão Vasco aquando das obras de requalificação de Souto Mora. Destes candeeiros não resta um único na cidade. 
Aliás, os candeeiros que Fernando Ruas diz ter recolocado, fui eu juntamente com os restantes elementos do Núcleo de Viseu da OLHO VIVO - Associação para a Defesa do Património, Ambiente e Direitos Humanos, que salvámos de extinção, há dez anos, recorrendo a um abaixo assinado entre os moradores e comerciantes do centro histórico e à denúncia na comunicaçao social (TVs incluidas) da substituição que a CMV encetara nas principais ruas do centro histórico, Praça D. Duarte, Rua Direita, Rua do Hilário, Rua D. Duarte, de onde foram irradicados até hoje, embora tenhamos conseguido a sua permanência e recolocação noutras ruelas do centro histórico. Nunca dissemos que estes candeeiros eram da autoria de Arnaldo Malho, mas da sua escola (descobrimos, na altura, os respectivos moldes na Serralharia Malho), uma vez que a sua caligrafia artística não condiz com a obra conhecida do mestre. Indiscutível é a autoria de Arnaldo Malho dos candeeiros a que nos referimos, que fazia as delícias dos fotógrafos e viajantes à descoberta de Viseu. 
Carlos Vieira e Castro (deputado municipal do Bloco de Esquerda)
recebido por email

O problema ou é do cu ou é das calças!

Em Viseu os Bombeiros com um Quartel novo recentemente inaugurado continuam a prestar serviço no velho e degradado edifício... aqui ao lado acaba de ser aprovada a candidatura ao POVT/MAI para a Implementação da Base Apoio Logístico (BAL) no Quartel dos Bombeiros Voluntários de Mangualde.

21/09/2011

Bons exemplos!

A Escola Secundária Alves Martins, em Viseu, é dos estabelecimentos de ensino que a nível nacional mais alunos coloca em cursos de Medicina. Só este ano saíram desta escola 32 estudantes que ingressaram directamente nas principais faculdades de Medicina. Resultados que dão orgulho a professores, pais e alunos.

Ainda a tempo!

 
Segundo a lenda da cidade, em pleno processo de Reconquista, um membro de um grupo de guerreiros chegado à cidade pelo lado oriental, onde se intersectam os rios Pavia e Dão, perguntou: «Que viso (vejo) eu?». Desta pergunta, nasceria o nome da cidade. 
Hoje foi Dia do Município! Parabéns Viseu

20/09/2011

Murcões e javardolas XXXVI

Viseu, 19Set, entre a Quinta D'el Rei e Ranhados - Desta vez os prevaricadores não ficaram sós no crime... a autoridade fez questão de os acompanhar!

19/09/2011

E dizem que os pastéis de feijão não prestam, hem?

João Azevedo foi eleito Vice-Presidente da Mesa da Comissão Nacional, um cargo que partilha com António Serrano e presidido por Maria de Belém! O VSB deixa os parabéns e os votos de sucesso neste desafio ao também Presidente da Federação do PS Viseu.

Viu por aí um candeeiro do Mestre Malho?

Agradece-se ao leitor que sempre que tropeçar num dos candeeiros do Mestre Malho que a Câmara espalhou pela cidade, saque do telemóvel e tire uma fotografia enviando por email para ser publicado no blog! Pede-se ainda o favor de não os arrancarem para entregar no BE, pois apenas querem saber dos candeeiros uma vez que, na Rua das Ameias são tantos os iluminados que até já os dispensam para a Rua 5 de Outubro!

A Sport TV cá do burgo!

A cidade já conta também com um canal de televisão sobre o desporto regional. Veja aqui!

Acordem para a luta antes que seja tarde!

Os resultados das colocações no ensino superior foram conhecidos de madrugada e, para o Instituto Politécnico de Viseu (IPV), o cenário não foi muito animador.
Segundo dados divulgados pela Direcção-Geral do Ensino Superior (DGES), das 1542 vagas disponíveis neste primeiro concurso nacional no IPV, apenas 680 foram preenchidas, ficando ainda 862 abertas para a segunda fase.
in Diário Viseu
No curso de Engenharia de Madeiras das 20 vagas disponíveis não foi preenchida uma única vaga! Para uma instituição que há bem pouco tempo fazia alarde do lugar de 2º classificado numa avaliação não oficial e sem critérios conhecidos este "estado das coisas" no Politécnico deverá dar que pensar aos seus responsáveis... e naturalmente que a cidade deve ajudar à reflexão!