07/01/2012

Baralhar e voltar a dar!

(...) Ao ser questionado sobre a eventual criação de uma nova instituição de ensino superior em Viseu, Fernando Sebastião considerou-a inoportuna por várias ordens de razão. Uma das duas principais, como se vem a dizer, por haver instituições de ensino a mais no país, o que, só por isso, já seria motivo bastante para se pensar maduramente no assunto, depois porque o IPV tem vindo a preparar-se para assumir tal postura com a criação de um quadro docente cada vez mais ambicioso, na linha do doutoramento, a qual, como se sabe, é muito exigente e morosa. Por conseguinte, não seria a criação de outra instituição que viria resolver qualquer problema na região. Antes, a dar-se o caso, contribuiria apenas para o agravar, a diversas dimensões. Daí admitir ser bastante mais lógica e racional, em todos os sentidos, a transformação do IPV em universidade pública, o que, aliás, a maioria defende, inclusive quando o caso passa pela Assembleia Municipal.
Parece claro que neste momento falar em universidade não só é irrealista como seria continuar a dar trunfos aos adversários da região.