29/03/2012

Tempos negros...

“Estamos quase no ponto zero. Anteontem tivemos que comprar bens alimentares para fazermos alguns cabazes para serem distribuídos, mas em termos de bens alimentares não temos nada”, lamenta Fernando Borges à Renascença.