28/06/2012

Tão previsivel quanto anedótico!

Bastou a Fernando Ruas ler as "gordas" deste estudo da DECO que aponta Viseu como a cidade portuguesa com melhor qualidade de vida para rapidamente inferir que deste facto o mais significativo é o que ele representa como resposta para todos aqueles que criticam a sua politica. Não perdeu tempo para ler os dados sobre emprego e mercado de trabalho que cotam a cidade nesta matéria em valores medíocres nem para constatar que a prostituição de rua está ao mesmo nível da actividade cultural citadina, não perdeu tempo para se recordar que esta "entidade isenta" elabora questionários sobre a qualidade dos caixotes do lixo com a mesma ausência de critérios científicos com que analisa da qualidade de vida nas cidades, não perdeu tempo para pensar nas razões que nesta contenda colocam o Funchal (2º) e Angra do Heroísmo (3º) nos lugares seguintes do pódio, nem para reflectir que dos critérios do estudo não constam a maioria dos requisitos que fazem as cidades modernas, aquelas em que as pessoas de facto querem viver: emprego qualificado, inovação e diversidade económicas, cultura cosmopolita, elites sociais, culturais e económicas independentes do poder político, etc... 
Não será pois, de estranhar que na Assembleia Municipal de amanhã e durante o próximo semestre continue a atribuir a este galardão a mesma importância que a sua estreita visão dá aos "tarecos" que nas viagens de turismo autárquico das geminações com as cidades irmãs recebe da mão dos seus congéneres enchendo-lhe o ego mas que de nada servem ao concelho nem enchem barriga aos viseenses. Há políticos que se contentam com pouco... e Fernando Ruas é desses!