18/07/2012

O blog feito pelos leitores

Carta aberta de um Paciente da Autoridade - Viseu

Ex.mo Senhor Director Nacional da PSP
Ex.mo Senhor Comandante Distrital da PSP de Viseu

Venho pela presente apresentar a minha mais veemente indignação pela situação presenciada no parque de estacionamento de uma superfície comercial na cidade de Viseu.
Como se comprova através das fotografias em anexo, o carro patrulha da PSP da marca Citroen, modelo Xsara com a matricula xx-xx-xx, encontrava-se indevidamente estacionado num lugar reservado ao estacionamento de veículos de transporte de pessoa com deficiência.
Esta situação foi registada ontem dia 13 (sexta-feira) pelas 22:15h.

 
Desde o momento em que estacionei o meu carro e me deparei com tal displicência, até ao momento em que abandonei o local decorreram cerca de 30 minutos. Durante este período de tempo não verifiquei no interior nem no exterior do estabelecimento qualquer situação anómala ou de aparente emergência, que embora não justificasse tal insensatez, pudesse servir de desculpa.
As estes supostos “agentes da autoridade” era exigido que actuassem em conformidade com a lei e punissem o outro veículo que já se encontrava em transgressão, mas ao invés adoptaram uma postura de imbecilidade e total desrespeito pela dignidade humana, tendo à sua disposição um imenso parque com centenas de lugares disponíveis.
As estes supostos “agentes da autoridade” informo que estupidez e falta de respeito não são consideradas deficiências. Na minha modesta condição de condutor, informo esses senhores que por mais que uma vez já fui a determinados locais e vim embora sem ter feito o que pretendia, porque os únicos lugares de estacionamento disponíveis eram os reservados a veículos de transporte de pessoa com deficiência. E não o fiz para evitar eventuais coimas, mas antes, por algo que felizmente tive o prazer de herdar de quem me educou e que se chama educação e respeito.
Na qualidade de cidadão com deveres mas também com direitos, exijo que através dos dados fornecidos, sejam identificados os prevaricadores e punidos nos termos da lei como qualquer outro cidadão ao abrigo da leis da República Portuguesa.
Na qualidade de cidadão cumpridor, e que ainda acredita nas autoridades portuguesas, exijo ser informado da identificação desses prevaricadores. Porque me sinto no direito de que cada vez que futuramente seja interceptado por uma qualquer operação de prevenção ou segurança, possa reconhecer se estou diante de um verdadeiro agente da autoridade ou de um suposto “agente da autoridade”.

Certo de que o assunto vai merecer a melhor atenção de V.Ex.as.
Com os meus mais respeitosos cumprimentos,

Nuno Filipe (leitor devidamente identificado)