26/08/2012

O blog feito pelos leitores

Bombeiros Voluntários de Viseu são ricos

Afinal a herança nos Bombeiros Voluntários de Viseu, que ao que se ouve dizer têm uma direcção sem quórum e da qual se não conhecem as atas, não foi deixada mas está em construção.
Parece que a União Europeia, essas generosas gentes, entregaram mais 120 mil euros de fundos comunitários para os famigerados acessos. Bem mais do que a hipoteca do prédio, Sede, da rua José Branquinho. Se fizermos as contas, portanto, a herança do anterior presidente, que não precisa de advogado de defesa, terá sido boa. Quase que arriscava um lucro de 7 mil euros na construção de um quartel modular, e de acordo com o preceituado na lei, que se vai degradando. Como a horta, que depois de mediatizada, secou.
Depois temos os peditórios domingueiros em que a generosidade dos viseenses, e não é da crise, se esvaiu. Bem pode a direcção, que resta e que não abandonou o barco, gritar com os voluntários (olhe senhor Valdemar comigo não grita mais) que a culpa não é dos bombeiros. Bem pode chocalhar as latas e insultar os voluntários perante as latas vazias que os viseenses já perceberam o que esperam dos seus bombeiros voluntários.


Mas enfim espera-se que a comunicação social da terra, sempre tão expedita a denunciar o quartel sem água e sem luz ou a horta que entretanto mirrou, venha a terreiro noticiar mais 120 mil euros de fundos comunitários atribuídos aos acessos do novo quartel. Que se juntam aos 637 mil euros já atribuídos. E aos quase 200 mil enviados pela câmara municipal. E que poderiam ser mais não fossem algumas candidaturas, como a da escola de mergulho, passadas a terceiro e outras abandonadas por…falta de vontade, digo eu que lavo a roupa suja nas assembleias-gerais.
E já agora, a título de antecipação da herança que há-de vir, essa mesmíssima comunicação social poderia ir averiguar o vinho. Parece que na Comissão do Dão houve um problema com uns cursos de formação profissional, do anterior consulado, que mereceram a atenção do Ministério Público. Sinais…

Tito Livío, bombeiro em efectividade de direitos que tem medo das retaliações da senhora directora
(leitor devidamente identificado)