27/09/2012

E agora Sebastião?

O panorama da ausência de procura do IPV por parte dos alunos que concorrem ao ensino superior não se restringe a este ano de 2012, nem a crise tudo justificará, bastando atentar no que já o ano passado se verificou e ao facto de outros estabelecimento terem taxas de ocupação elevadas. A 2ª fase nesse ano não foi melhor pese o esforço feito pelo IPV para contrariar a tendência. O quadro negro da 1º fase confirma-se após o terminus da 2ª fase do concurso com 7 cursos sem um único aluno e outros 12 menos de 1/4 das vagas preenchidas, cenário este a que nenhum viseense pode ficar indiferente.
Na ESTGV os cursos de Tecnologia e Design de Mobiliário, Engenharia e Gestão Industrial e Engenharia Electrotécnica ficaram por preencher acontecendo o mesmo com os cursos de Engenharia de Biossistemas, Engenharia Alimentar e Engenharia Zootécnica da ESAV. No polo de Lamego da ESTG Contabilidade e Auditoria (regime pós-laboral) também ficou a zeros! Os cursos de Engenharia Civil e Engenharia do Ambiente da ESTG têm 1 aluno assim como Engenharia Agronómica da ESAV e em Lamego Secretariado de Administração (regime nocturno) e Engenharia Informática e Telecomunicações registam a mesma adesão. Nos restantes cursos e Escolas o cenário não é famoso também com apenas 32% das vagas a concurso preenchidas sendo apenas 10 os cursos preenchidos na totalidade. Pelos vistos valeu de pouco terem ficado em 1º lugar  no que concerne aos institutos politécnicos portugueses sobre os sites oficiais no  estudo do MIT – Massachusetts Institute of Technology!