11/10/2012

O mal alastra!

O grau de delegação de competências na CMV, pelos vistos é de tal ordem que já um técnico decide sobre a possibilidade de realizar de eventos desportivos mas como nunca por nunca se delega responsabilidade por certo que Guilherme Almeida terá uma boa explicação a dar nesta matéria. Ou será que ainda não percebeu que mesmo participando em causas meritórias nada muda a não ser o traje? O cancro de tal decisão só pode ter sido ele próprio e Tiago Freitas apenas uma das suas muitas metástases!