04/02/2013

José e Zé, Lda!

Fechado o dossier Almeida Henriques, muito por culpa de Fernando Ruas e das estruturas locais, o PSD tem agora que encontrar solução que combata a exposição mediática e o trauliteirismo político de José Junqueiro. Américo Nunes, Mota Faria e Guilherme Almeida continuam a ser nomes falados mas serão sempre escolhas arriscadas senão mesmo perdedoras. Anulada a "disponibilidade" de José Costa só a possibilidade de Carlos Marta avançar para a corrida equilibrará a balança, de acordo com as supostas sondagens realizadas mas, teme-se que não "venda" nas freguesias rurais e pior ainda, Ruas nem quererá sequer equacionar tal possibilidade. 
No meio deste rasteiro lodo politico encaixa na perfeição, até pela porta que fecha a Tondela o nosso conterrâneo Sec Estado José Cesário, viajante ecuménico distribuidor de charme e mini bibliotecas pela Diáspora que, de acordo com estimativas à luz da portaria das ajudas de custo por deslocação ao estrangeiro em função das 49 viagens já realizadas durante os 294 dias ausência de Portugal já terá recebido perto de 50.000 euros, parece estar disposto a trocar este seu estatuto de "Rainha de Inglaterra" pela condição de candidato à sucessão de Ruas. No seu mural do Facebook pergunta se neste contexto eleitoral, estará em causa um confronto de projectos para Viseu, uma disputa de personalidades ou um simples combate entre partidos? Ora, um confronto de projectos é impossivel porque se Junqueiro é o vazio do passado, Cesário é o vazio de sempre, disputa de personalidades também não será porque então teriam que ser outras as escolhas do PS e PSD de modo que, se o Zé, como gosta de ser conhecido por cá, for o escolhido de Passos Coelho, apenas trará mais do mesmo, do simples combate partidário mas, muito mais burlesco!