12/05/2013

A verdade é como o azeite...

A propósito dos comentários aqui vertidos o autor do livro deixa para quem a quiser ler a verdade dos factos:
(...) 
Para o 3º anónimo (21:11): O facto de F.R. não ter comparecido, não é relevante. O mesmo já não digo de a CMV se não ter feito representar, como era esperado, por um dos seus vereadores (pelo menos aquele a quem inicialmente foi apresentado e oferecido o trabalho para publicação). Adiadar a apresentação, era o que vinha sendo feito, por várias vezes, desde Janeiro.

Para o 6º anónimo (09:06): Sou autor do trabalho em questão e, tanto quanto sei, não sou o falecido pai do secretário da CIM. Assim sendo a sua insinuação é abjecta, ignóbil e ... "anónima". Quanto ao resto, informe-se junto das respectivas câmaras ou da CIM.

Para o 7º (12:24) e 8º (14:27) anónimos: Se alguma vez o seu "lixo" foi premiado por alguma entidade pública, o problema é seu. Quanto à presente edição, esclareço-os que teve o aval científico do Centro de Estudos Interdisciplinares Século XX, da Universidade de Coimbra. Sabem o que isso é e o que significa?

Porque fui educado a assumir a responsabilidade daquilo que digo, dou a cara.

Carlos Lunet