06/06/2013

O meu compromisso com Hélder Amaral

Texto de opinião publicado na edição 586 de 06 de Junho de 2013 do Jornal do Centro

Não será novidade alguma se ao leitor habitual deste jornal afirmar, sem falsa modéstia, que herdei do meu pai além do sentido de humor este hábito, irritante para muita gente, de reflectir sobre o nosso futuro colectivo, sobre o que podemos e devemos fazer de modo a enfrentar e resolver dificuldades, construindo um amanhã melhor. Esse hábito é complementado por outro, ainda mais irritante: digo e escrevo, sem rodeios nem pruridos de consciência, tudo isso em jornais e blogs. Tenho pautado a minha vida pelos valores e princípios que a família me transmitiu e a experiência profissional castrense cimentou, como tal, actuo sempre de forma independente, pela minha própria cabeça, sendo apenas guiado por um imperativo moral e pela concepção de justiça, motivando as pessoas, sem excluir ninguém, procurando dar o exemplo e fazer sempre tudo no limite da minha capacidade de trabalho. Baseio a minha “autoridade” numa vida limpa, o meu passado é transparente e abro as portas a quem o quiser visitar, porque essa é a única forma de procurar um tempo justo. E, de facto, essa ideia tal qual bem o afirmava a Agustina Bessa-Luís, persegue-me: o exemplo é a única forma de mudar o mundo.


Quero acreditar que terá sido essa a principal razão porque vários agentes locais me colocaram perante o desafio de, uma vez mais, servir a causa pública. No entanto, apenas Hélder Amaral o fez de forma desinteressada, coerente, responsável, séria e com um objectivo temporal claramente definido. Aceitei o desafio de ser, como independente, o cabeça de lista do CDS para a Assembleia Municipal nas próximas autárquicas com a firme certeza de que perde mais o candidato à CMV em me ter a seu lado do que eu perco em o acompanhar nesta alternativa eleitoral. Aposto, neste desafio, o capital de espirito livre, critico e de isenção que porventura, graças ao espaço de opinião que este jornal me oferece, possa ter angariado mas fica o compromisso, até porque é nessa honrada garantia de palavra que se baseia a candidatura, que não mudarei a minha escrita e tão só mudará a forma como me passarão a ler. Não deixarei de ser o que gosto de ser nem abandonarei a ideia de que servir é um acto nobre e que só com o colectivo dos viseenses se pode desenhar o futuro do concelho e projectar o horizonte dos filhos e gerações vindouras. Sou incapaz, por feitio, de lidar com a incompetência instalada, com a desnecessária burocracia vigente, com a má gestão dos dinheiros públicos que tanto hoje nos penaliza e com a falta de esperança num porvir melhor. Hélder Amaral não me pediu que fosse diferente e aceitei com essa convicção.

Por saber que o deputado, com créditos firmados na capacidade de trabalho parlamentar, coloca também o seu compromisso no Poder Local, por estar mais próximo das pessoas, local de excelência para nos podemos mobilizar para um objectivo comum, onde é possível construir soluções colectivas que tiram partido da qualidade do território, dos seus recursos naturais, da sua cultura e costumes, dos seus produtos tradicionais, das tradições, das sinergias com concelhos vizinhos procurando vantagens competitivas e de eficiência, tendo por base o incremento de actividade económica que crie mais-valias e, permita reforçar a economia, criar mais e melhor emprego e gerar oportunidades não foi difícil abdicar do lugar de conforto da opinião formada para o difícil patamar da realização de obra pelo concelho. Os projectos políticos sérios não são pessoais: quando são, todos já percebemos ao que isso conduz. A minha motivação pessoal para esta tarefa é a de liderar na Assembleia a discussão de ideias e a procura da melhor solução para um concelho equilibrado e sustentável que defendo, com uma estratégia de desenvolvimento, ambiciosa e realista, que perspective e projecte Viseu no futuro, fazendo evoluir a economia local de forma a gerar valor, emprego e prosperidade. Foi este o desafio de Hélder Amaral, será esse o meu compromisso com a candidatura. Até 2017, seja qual o resultado alcançado em Setembro próximo, não deixarei de respeitar esse compromisso com os eleitores. Foi esse o único pedido que Hélder Amaral me colocou. É esse o pedido que aceitei realizar a seu lado e para isso, também conto convosco.
Sem medo!