27/01/2014

A norma e a excepção!

O Jornal de Negócios avança hoje que Almeida Henriques "considerado o "pai" do Revitalizar, programa lançado pelo actual Governo para salvar empresas, quer agora mostrar ao Estado central como se faz, a partir de Viseu, para pôr a economia a mexer. À frente da autarquia há cerca de três meses, Almeida Henriques tem já em marcha medidas de "fiscalidade amiga", sobretudo para as micro e as PME, e decidiu libertar 5,3 milhões de euros de garantias bancárias contratadas por fornecedoras do município, que têm custos e limitam o acesso dos privados a créditos para novos projectos."
A noticia omite que o Poder Central a quem Almeida Henriques quer dar o exemplo já o fez através do Dec Lei 190/2012, que o dinheiro não sendo da Autarquia só o devolve aos donos, que afinal os serviços antes funcionavam mal ou não funcionavam e sinal que agora estão mais agilizados sendo que esta deve ser a norma que se espera mantida e melhorada, ou seja, parte é noticia positiva mas o resto é muito do mesmo... propaganda! Convém é não descurar a responsabilidade das partes no caso das empreitadas públicas, é que ninguém gostará de comprar um carro mais barato a troco da dispensa de garantia e ficar sem forma de reclamar junto do vendedor no caso de avaria!