05/10/2018

Prémio "Os Pategos do ANO"

O poder inebria é facto e quando o ego é grande mais fácil fica para as empresas que se alimentam destes cromos "premiar o consumidor". O Alex no Olho de Gato desmonta isso com a perspicácia inteligente que lhe conhecemos e se ligarmos ainda mais a ventoinha acabaremos por descobrir que, provavelmente, até dinheiro público se usou para participar nesta palhaçada cómica! 

03/10/2018

E as crianças votam?

Dos 6 milhões de euros da propaganda que a CMV anunciou ir investir em educação no ano lectivo 2018/2019 em despesas com material didáctico, transportes, visitas de estudos, alimentação e pessoal não docente até aos 10 mil já gastos em material escolar vai a triste realidade de que um mês após o inicio das aulas há escolas que ainda aguardam pelo fornecimento dos prometidos manuais gratuitos para as crianças! Votassem eles e outro passarinho cantaria na Praça da República!

Transporte público em Viseu

Tendo em conta que é a CMV que paga a conta, porque é que os transportes urbanos não são gratuitos, em dia de trabalho, para os funcionários municipais que ganham o ordenado mínimo? 
Com esta medida não só poupava uns euros a quem ganha pouco, como contribuía para o esforço do uso do transporte publico e redução de emissões poluentes. E até podiam aproveitar dos novos autocarros... oops!

01/10/2018

Viseu, capital da inclusão!

Vai realizar-se a primeira marcha pelos direitos LGBTI em Viseu e, como em tudo, há quem concorde e quem discorde da realização da mesma. Longe vai o ano de 2005 em que Viseu abria os telejornais pelas piores razões chegando a ser adjectivada como a capital da homofobia. Eu acredito que Viseu deve caminhar no sentido de ser uma cidade moderna, inclusiva, respeitadora das liberdades individuais e portanto, lamento sempre quando alguém tenta limitar a liberdade de terceiros. Viseu é de todos, independentemente da raça, religião, orientação sexual, género, é de todos os que cá vivem, de todos os que cá trabalham, de todos os que nos visitam. A cidade que eu defendo é, acima de tudo, uma cidade que sabe acolher na diferença e na diversidade.