13/04/2019

Aos 1100 painéis acrescentem este!


O Município a meter água!


A promessa é de 2014. Contadores inteligentes de água, tarifário reformado para tornar o preço da água mais transparente e mais justo e em inicio de 2016 a reabilitação do edifício adquirido para a futura sede das Águas de Viseu, no centro histórico da cidade. Já para não falar na barragem de Fagilde, 5 anos depois os tiros deram todos... água!

12/04/2019

Com papas e bolos...


Mudaram os cozinheiros, a farinha é outra e a receita agora é gourmet. Do pão com chouriço com quase um Km e da broa trambela no Guiness nem a côdea resta. O Chef é militante da causa e enche Viseu de doces. Amarga só vai ser a factura da festa!

11/04/2019

Imigração em Viseu

Portugal, tradicionalmente país de emigração, conheceu, nas últimas décadas, uma nova realidade de fluxos regulares e relativamente intensos de imigrantes. Viseu não escapa a esta inevitabilidade e quem vem de fora cedo se apercebe do aumento do número de cidadãos imigrantes na cidade. Muitos brasileiros, indianos, moldavos, russos, chineses, etc… podem encontrar-se com facilidade nos supermercados, nos espaços comerciais e naturalmente no mercado de trabalho do concelho.

É facilmente perceptível que esse novo cenário acarreta vantagens e desvantagens para a região e, bem entendido, falando de imigração legalizada. A necessidade de mão-de-obra em determinados sectores da economia local não é compensada pelo mercado de trabalho interno sendo importante a vinda de imigrantes. A imigração pode-se revelar crucial para satisfazer as necessidades do mercado laboral, e a um nível mais lato, pode contribuir decisivamente para o crescimento económico da região mas é necessária uma política imigratória consistente e reguladora desta lei de oferta/procura a par de um permanente acompanhamento local, pois caso, contrário podem tornar-se meros concorrentes da população viseense activa com todos os inconvenientes que isso acarreta.

Da transparência!

10/04/2019

Cada tiro cada melro!

No programa "Tendências" da RCI o autarca mor cá do burgo afirma a propósito do "MUVsafety" que hoje todas as escolas já dispõem de "passadeiras inteligentes". Bastou-me ir a 2 delas para ter a certeza do logro! Se tudo o que a Praça anuncia fosse uma realidade Singapura envergonhava-se de ser comparada com Viseu!



Tentem ouvir sem rir!



No programa Tendências da RCI em 05Abr19:
- Nós começámos a pensar e a desenhar este sistema há 4 anos (...) passar do paradigma das camionetes para o paradigma da mobilidade.
- Passaremos a ter 2 minibus no centro histórico
- Linhas c1 e c2 com 8 bus sendo 2 eléctricos dos quais estão 6 a circular em cada momento
- 20 em 20 minutos sai um minibus de 10 em 10 minutos. Em pontos centrais de 10 em 10 minutos está a passar um minibus
- 24 veículos novos que farão 23 linhas
- O município é autoridade de transportes e pode alterar os horários
- Todos os veículos trazem wifi
- MUV na palma da mão e a partir do mês de Abril as pessoas já sabem por antecipação onde está o autocarro que querem apanhar
- Passe estudante, passe família, passe empresa e passe sénior
- O passe sénior é gratuito até ao final do ano
- Até ao final do ano teremos o serviço telebus
- Integrar a mobilidade suave (...) vamos ter trotinetes eléctricas este mês de Abril
- Podem trazer a sua bicicleta no autocarro
- A cereja no bolo serão os 2 viriatos. No primeiro semestre do próximo ano esperamos ter estes veículos (nota, foi anunciado para inicio de 2019 e já passou para 2020)
- Construção de 3 novos parques 
- Sensorizados 1700 lugares (...) todo o sistema está pensado numa perspectiva de facilitar a visa dos cidadãos
- Muvsafety (...) toda a circunvalação é hoje uma via inteligente onde existem semáforos dissuasores de velocidade e passadeiras inteligentes 
- Junto a todas as escolas instalámos passadeiras inteligentes (...) 
- Este é que é o modelo da smart city

Parece difícil mas não é!


No âmbito da mobilidade urbana o executivo parco de ideias e prenhe de propaganda anuncia mais alcatrão para a cidade. De um lado diz proteger o ambiente e de outro constrói atentados à qualidade de vida dos viseenses. Querem mais um parque auto no inicio da Av Europa? Pois que o façam mas subterrâneo deixando que a população possa desfrutar de mais um espaço verde na cidade.

Guardem para memória futura!


Entre isto e isto vai um autocarro cheio de propaganda!

09/04/2019

Duplas!

Uma medida do sucesso do Visit Viseu está aqui na plataforma de YouTube. Ao fim de 3 anos de existência o canal regista 76 subscritores e o melhor dos vídeos nem um milhar de visualizações.
Agora comparem com o canal do Cabeludo em Portugal, um casal de brasileiros residentes em Viseu. De seguida vejam quanto a dupla da Praça gastou no programa Visit Viseu e perguntem à dupla brasileira quanto gastam na promoção de Viseu. 

08/04/2019

A marca do Viseu Marca


As más contas deste Executivo

Por paradoxal que pareça, o mesmo autarca que reclama de uma sociedade digital para todos é o mesmo que sonega informação aos seus munícipes e que mostra no quotidiano da governação total desprezo pela transparência.

Montado numa máquina despesista de propaganda ignora contudo que no mundo actual o google é uma ferramenta extraordinária e que o escrutínio da governação é por força da tecnologia maior bem como maior é o mediatismo por força das redes sociais.

Vem isto a propósito dos documentos de gestão como os Relatórios de Contas que de acordo com a lei devem ser do conhecimento público e não apenas da oposição, que na maioria das vezes ou os ignora ou não analisa na profundidade merecida.

Fica o convite!

No próximo dia 11 de Abril pelas 21h30 na sede da Liga dos Combatentes em Viseu na Rua da Prebenda tem lugar a apresentação do livro Kinda e Outras Histórias de uma Guerra Esquecida, Vivências de uma guerra africana de Carlos Acabado.

O autor ingressou na Força Aérea como piloto, permanecendo 11 anos em África durante a Guerra de 1961-74. Foram-lhe atribuídas as medalhas de Prata de Serviços Distintos e a da Cruz de Guerra, tendo passado voluntariamente à reserva no posto de Major. Numa escrita de qualidade literária inquestionável, revela-se o lado profundamente humano da vida militar, onde o entrosamento com as populações nativas e os seus valores são mais uma vez reveladores da maneira portuguesa de estar noutras terras, entre outras gentes.

Na sinopse o autor diz “narrar factos vividos durante os anos em que Portugal travou as últimas batalhas do Império. Da bruma densa que ainda hoje envolve a memória desses tempos de luta, emergem, como fantasmas, fi guras reais cujos caminhos se cruzaram com o meu. Para os recordar como os vi então, retoquei-lhes o rosto e o perfil, roubando assim à morte, ao tempo e à vida, a possibilidade de os adulterarem. Fixei-os como se os olhasse em fotografia antiga, onde os velhos parecem jovens e os mortos ainda riem, lembrando-os nobres e puros como eram quando, como figurantes, desempenharam um papel no drama que Portugal representou no palco africano”

O livro foi editado pela Caminhos Romanos e faz parte da colecção Fim do Império da Liga dos Combatentes. 

Gato escondido...

Mais de um milhão e meio de euros gastos em serviços externos sem que se conheçam como impõe a lei os prestadores desses serviços. O que esconde afinal o Viseu Marca? Se não temem a transparência como apregoam porque não divulgam os restantes documentos do Relatório? 

Um relatório auditado e verificado por um ROC e tem erros crassos como o de nem saber a designação correcta de um dos seus parceiros diz bem do que ali vai pelos lados da Feira. Siga a festa!

Importante ler!


07/04/2019

Que se passa afinal?

Do Relatório de Gestão e Contas (incompleto) da Viseu Marca consta a não realização dos 4% do CERV para o Fundo da Associação. Porque será? Já não há papel?

ET: Não contem nada à oposição para não os baralharem mais, ok?

Estamos esclarecidos!


A nomeação de um funcionário sem qualificações e em total conflito de interesses com outras funções já desempenhadas mais que a indignação manifestada pela oposição revela um aspecto importante da governação. Tratando-se da área do atendimento ao público o executivo mostra bem a consideração em que tem o munícipe viseense!

Estamos conversados!


40 anos depois esta é ainda a massa critica da cidade!

Ontem já era tarde!

O IPV precisa de novas dinâmicas que o ajudem a criar uma marca forte e positiva e com esse carimbo fomentar uma presença assídua do IPV nos mercados internacionais identificados como prioritários por forma a captar novos estudantes e docentes internacionais. Estes encontros dedicados à internacionalização, com vista à partilha de experiências integradas entre o IPV, outras instituições de ensino e as empresas são muito importantes para fortalecer a dinamização do tecido económico da região onde se encontra o IPV.

Coimbrões fica noutra cota!

A moda de não divulgar os relatórios de gestão e contas está a fazer escola cá pelo burgo. Depois do Viseu Marca numa outra cota da cidade também a AIRV só apresenta resultados de 2016. Daí para cá a gestão de Cotta é opaca e fica difícil assim perceber se é verdadeiro ou falso o rumor de que a auditoria realizada aquela instituição a dá como falida! 

Campeonato da cidade região!


Os Jogos Desportivos de Viseu nasceram em 1992 pela mão de Américo Nunes como forma de envolver praticantes de todas as idades na prática desportiva, tirando partido do movimento associativo no qual assenta toda uma dinâmica mobilizadora. Cresceram em modalidades, número de praticantes e princípios até 2014, ano a partir do qual o actual executivo os liquidou. 
Entretanto em 2019 aqui ao lado em Tondela os Jogos Desportivos ainda têm lugar e vão já na XXI edição. Talvez por isso Tondela tenha um clube de futebol na 1ª Liga e Viseu se prepare para matar também o andebol. Cada um joga no campeonato para o qual tem pernas. Uns no nacional e outros no da cidade região!