16/05/2019

Unir esforços pelo ensino superior viseense!

A reforma de Bolonha reduziu o tempo das licenciaturas, democratizou os mestrados e tornou os doutoramentos mais acessíveis, mas, visto de perto este processo pouco atendeu às necessidades dos alunos, que são os principais clientes do Ensino Superior. São os estudantes que vão todos os dias às aulas, que fazem testes, trabalhos, projetos e que sentem no seu quotidiano o peso de um ensino desligado de uma realidade para a qual procuram uma formação de qualidade que preenchem o Ensino Superior em Viseu. Ao mesmo tempo, os docentes universitários são igualmente importantes e continuam à espera de uma reforma do ensino que equilibre a valorização do ensino e da investigação nas suas carreiras. São os professores que dão aulas, que se preparam para várias provas públicas, que são obrigados a construir permanentemente um curriculum que privilegia a investigação e que são paralisados por uma máquina burocrática que os retira do centro daquilo que importa fazer que dão nome e qualidade ao Ensino Superior em Viseu. E convém não esquecer os trabalhadores não docentes que estão na primeira linha a empurrar instituições demasiado presas a uma entorpecedora burocracia. São estas pessoas que ajudam a construir todos os dias o Ensino Superior em Viseu.

14/05/2019

Se fosse vinho outro galo cantaria!


Além dos evidentes factos que o Alexandre Azevedo Pinto aponta neste seu artigo sobre as Águas de Viseu bastará uma visita breve ao site para se constar que o desinvestimento até na transparência de gestão se faz sentir. Os dados financeiros mais actualizados são do tempo de Fernando Ruas. Estamos em 2019. As ultimas e incompletas informações de gestão são de 2016.