28/06/2019

Crítica Social da Semana: sobre o que vale muito e o que nada vale

1- João Felix foi distinguido como embaixador de Viseu pelo presidente da Câmara.
Num país que atribui Comendas a criaturas como Salgado, Bava, Granadeiro, Berardo, Vara, e outros artistas famosos pelas “proezas” que fizeram, é uma honra ser-se distinguido por ainda não se ter feito nada.
Ainda assim, o município agraciou um cidadão de Viseu que teve de imigrar para singrar na vida. Passos Coelho incentivou os portugueses a emigrarem e foi massacrado por isso. Almeida Henriques pelo mesmo feito atribui honras. Vale-nos que António Costa oferece 6.500€ a quem quiser regressar.

2- O presidente da autarquia pretende iniciar obras num terreno da segurança social. Finalmente, reconhece que um município não pode viver só de festas. A vontade é tanta que ameaça mesmo com buldózeres, tal a ânsia, agora, de criar as tão necessárias infra-estrutras.

3- O edil ameaça também os vereadores da oposição com tribunais. Depois do anúncio da queixa contra um deputado municipal do PS, avisa agora os vereadores socialistas que não vai tolerar mais suspeições levantadas contra si e contra a restante maioria PSD, numa atitude que faz lembrar Salazar e a PIDE.
O autarca afirmou ainda que “A democracia em Portugal está doente e precisa de ser alimentada e de ter remédios, que passam por nós, políticos. O comportamento que podemos ter podem ajudar a curar a democracia”.
Exactamente. Eu não diria melhor. Resta saber quem põe a democracia doente...

Venderam o jovem João Felix por 126.000.000 de euros. Houvesse uma alma caridosa que desse alguma coisa por certos políticos, e os levassem daqui também. Esses até os deixamos ir de borla.

Bom fim-de-semana

(Autor anónimo - recebido por email)

26/06/2019

Deputados abanadores de cabeça

Se perguntarem à população do distrito de Viseu quem são os seus eleitos e representantes no Parlamento Nacional o mais provável é que a grande maioria nem sequer conheça o cabeça de lista.

O PS não foge à regra e basta olhar para o registo de actividade próxima de zero dos deputados socialistas eleitos por Viseu para se perceber do trabalho de cada um em prol do distrito e suas gentes.

É por isso curioso verificar que de repente durante as jornadas parlamentares que o PS escolheu fazer em Viseu, deputados que passaram uma legislatura na sua função de abanadores de cabeça venham agora reclamar louros do seu trabalho e propagandear resultados que só existem no papel que lhes colocam à frente para ler.