31/03/2020

Não baixamos os braços!

Há dias elenquei quase 3 dezenas de medidas e sugestões que a autarquia deveria, na minha modesta opinião, analisar, equacionar e colocar em prática se tais fossem entendidas válidas e nessa perspectiva assumidas como suas.

Não significa que aquelas que, entretanto, foram anunciadas não sejam importantes, mas são manifestamente curtas e incapazes de dotar as famílias viseenses e as empresas do concelho de recursos que lhes permitam enfrentar os difíceis tempos de pandemia económica que se avizinham.

Impossibilitados de prosseguir a política da propaganda e foguetório torna-se agora mais evidente que o concelho não tem liderança com visão e vontade para ultrapassar esta crise ou qualquer outra crise. Só a notória participação cívica dos cidadãos enquanto profissionais de saúde, forças de segurança, bombeiros e todos os demais que asseguraram os serviços essenciais tem permitido ultrapassar e até limitar os turbulentos momentos que a pandemia trouxe.

Se há autarcas como Rui Moreira que primam pela proactividade na resposta pronta aos munícipes, outros há que pura e simplesmente se tornaram como o vírus, invisíveis.