29/04/2020

Autarquia de Viseu: propaganda sim, crítica não

Dizem uns e com a razão que lhes assiste que a crítica nestes tempos conturbados é dispensável, mas eu acrescentaria, a crítica pela crítica é-o de facto, mas já a crítica pela exigência é até recomendável. Evita que a imobilidade se instale, que a inércia se torne rotina, que o erro se repita e no limite que vidas se percam. A diferença terá que residir na qualidade da crítica, acrescentando valor à decisão do executivo para de seguida se actuar com eficácia e celeridade. Poderíamos também perante o mesmo circunstancialismo questionar da importância da propaganda, ie, não se deve criticar, mas pode-se fazer propaganda política?

Vem isto a propósito do que tem sido o dia a dia no concelho, o executivo mantém o nível de propaganda, mas os viseenses que nesta altura têm outras preocupações devolvem-lhe acesa crítica.

O executivo anuncia que vai criar o Viseu Segura e as pessoas perguntam pelo desconto na factura da água. O executivo anuncia 15% de desconto na factura da água e as pessoas perguntam se estão a brincar com coisas sérias. E o rol de críticas poderia continuar dado que de todos os concelhos vizinhos e com menos recursos chegam exemplos positivos que as pessoas aplaudem e questionam do porquê de não serem aplicadas no concelho de “tão boa saúde financeira”. Será falta de vontade política? Desprezo pelas pessoas? Ignorância perante a doença Covid-19 e seus efeitos sócio-económicos?