20/05/2020

A vacina chega em 2021

No cenário que o País atravessa nada mais restava ao executivo senão a opção tomada do cancelamento da Feira de São Mateus, porque ninguém aceitaria colocar em risco a saúde pública num evento de massas, embora não seja o mítico milhão que todos os anos o marido da directora da Viseu Marca teima em nos vender.

É facto que muitos milhares, felizmente, passam por este evento reconhecido, mas neste contexto da possibilidade de propagação do Coronavirus, quer os emigrantes quer os visitantes, os feirantes ou os artistas vindos dos vários cantos do País e do Mundo poderiam ser os vectores de um contágio comunitário elevado, e sem forma de controlar todas as variáveis do ponto de vista da segurança e da saúde não há como contornar a solução tomada, a não ser que o executivo fosse tão irresponsável como os camaradas da CGTP ou do PCP.

É facto que podemos chegar ao período em que a Feira ocorreria e termos a certeza de que foi um erro adiar a mesma, é bom sinal até que isso aconteça, mas de nada adiantará chorar sobre leite derramado, há sim, que aproveitar a pausa para reflectir sobre o evento e planear o seu arranque no próximo ano com mais pujança e maior envolvência.