17/06/2020

As máscaras virtuais da autarquia viseense

Antes estivéssemos no Carnaval, neste tempo de máscaras, mas em boa verdade já antes havia quem as usasse todos os dias, mesmo antes desta malvada pandemia do Covid-19. Cedo ou tarde também estas máscaras cairão. É o inexorável e inevitável ciclo da vida, o tempo passará, as circunstâncias mudarão, a rotina recuperar-se-á, as máscaras cairão e até a mentira dará lugar à verdade. Ultimamente já temos assistido ao cair de inúmeras “máscaras”, mas nenhuma delas é a que foi distribuída pela autarquia aos munícipes por uma razão muito simples, nem uma foi distribuída até ao dia de hoje. Estivessem os viseenses à espera delas para sair de casa protegidos do vírus e já teriam morrido à fome. 

A governação deste executivo é uma mascarada pegada de promessas disfarçadas de obras, de caridade disfarçada em apoios sociais, de concursos para os amigos disfarçados em investimento, de callcenters disfarçados de emprego qualificado, enfim, até uma promessa de máscara à caixa do correio vazia!